RS ganha fábrica de cabos da Fujikura e ProCable

Fujikura e ProCable anunciaram, hoje, fábrica de cabos em Montenegro. Serão gerados 300 empregos.

Foi anunciado hoje o início das obras da fábrica de cabos para-raios com fibras ópticas (OPGW) e cabos de alumínio especiais em Montenegro, RS.

A unidade será construída pela joint venture entre a japonesa Fujikura e a ProCable Energia e Telecomunicações, de São Paulo. A produção começa em agosto de 2014 e haverá criação de 300 empregos. A Fujikura tem unidades nos EUA, Reino Unido e Alemanha.

O CEO da Fujikura, Yoichi Nagahama, afirma que a companhia japonesa optou pelo sul pela relação que a ProCable, parceira no Brasil, tem com a gaúcha CEEE

Como é próprio dos orientais, o presidente da Fujikura, Yoichi Nagahama, foi reservado ao receber a reportagem de AMANHÃ nesta quarta-feira (17) em um hotel da zona norte de Porto Alegre. Questionado sobre suas expectativas ao iniciar a fabricação de cabos de alta resistência no Brasil, Nagahama foi otimista, porém sem dar números. “Temos expectativas de crescimento do segmento de distribuição de energia, não só do Brasil como da América Latina como um todo”, resume. Esse cenário levou a companhia japonesa a anunciar uma joint-venture com sua parceira brasileira ProCable – uma empresa que nasce com capital social de R$ 30 milhões.

A união não foi por acaso, pois há duas décadas as empresas já mantém relação comercial. Também foi natural, segundo Nagahama, a escolha pela região sul – a fábrica será construída na cidade de Montenegro, a 65 quilômetros de Porto Alegre. Porém, os negócios não devem ficar restritos ao Rio Grande do Sul. A companhia pretende produzir em Montenegro e comercializar para todo o Brasil e também para a América Latina. “Também influiu na nossa decisão por investir no Rio Grande do Sul a boa relação comercial que a ProCable, nossa parceira, mantém com a empresa de energia local CEEE há bastante tempo”, detalhou Nagahama.

Quanto aos incentivos fiscais recebidos para instalar a empresa em solo gaúcho, Fumitaka Nishimura, presidente da ProCable, não quis revelar detalhes. “Recebemos incentivos não mais do que os que são dados para demais empresas. Não recebemos benefícios adicionais. Somente aqueles normalmente estabelecidos”, limitou-se a dizer. Sobre o ambiente de negócios no Brasil, Yoichi Nagahama entende que há dificuldades a serem vencidas, como a perda de mercados no exterior, mas enfatiza que a empresa tem expectativas otimistas e aposta no crescimento dos negócios nos setores de energia e telecomunicações.

Informações da Revista Amanhã



Categorias:Economia Estadual

Tags:, , , , ,

7 respostas

  1. O mais engraçado que está empresa não tem a mínima estrutura …. Sem administração e nem planejamento…

    Curtir

  2. parabens sr. fumitaka nishimura o sr. merece este titulo de vencedor de um grande admirador do seu trabalho e um ex funcionario ronaldo

    Curtir

  3. Bah, era esse o nome que eu tava procurando pro meu joguinho do celular sobre marcas.
    haha

    Sobre a noticia, finalmente algum investimento no estado.

    Curtir

  4. Isso sim é que é investimento! Isso sim gera riqueza, ao contrário de shoppings e comercio.

    Curtir

  5. Eu acho q esse investimento ja tinha sido anunciado

    Curtir

  6. Não, não acredito que os comedores de criancinhas petistas trouxeram essa fábrica para cá ..

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: