Fortunati descarta projeto do passe livre em Porto Alegre

Prefeito afirma que município chegou ao limite de isenções ao abrir mão do ISSQN

Fortunati descarta projeto do passe livre em Porto Alegre   Crédito: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

Fortunati descarta projeto do passe livre em Porto Alegre Crédito: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

O prefeito José Fortunati afirmou, nesta quinta-feira, que o indicativo de projeto de lei para passe livre no transporte público de Porto Alegre não terá andamento no Executivo municipal. “Não existe a menor possibilidade de a prefeitura ampliar qualquer tipo de vantagem para passagem sem novos recursos”, enfatizou.

Segundo Fortunati, a retirada do ISSQN sobre a tarifa, representa R$ 15 milhões a menos para a prefeitura por ano. Ele salientou que a liberação do imposto já foi feita e limitou outros recursos que a cidade poderia usar para zerar a passagem.

Na manhã desta quinta-feira, após oito dias de ocupação da Câmara de Vereadores da Capital, os projetos de passe livre para estudantes e desempregados e de abertura das planilhas de contas das empresas de ônibus foram protocolados pelas vereadoras Sofia Cavedon (PT) e Fernanda Melchionna (PSol), representando suas bancadas. Os temas eram condições do Bloco de Lutas para deixar o local.

A saída para o passe livre poderia estar em requisições do governo estadual. Na semana passada, comitiva defendeu a ampliação do transporte público subsidiado em Brasília. Foi sugerido que, entre os R$ 50 bilhões anunciados pelo Governo Federal para o PAC da Mobilidade, existam recursos específicos para custear a isenção de tarifa nos estados.

Correio do Povo



Categorias:onibus

Tags:, , , ,

16 respostas

  1. Garanto que eliminando 90% dos CC inúteis dele, o balanceamento desses R$ 15 mi/ano ficaria = 0.

    Dúvida: Fortunati tem alguma formação superior? Não deve ser em administração ou economia, pelo que parece.

    Curtir

    • Queria concordar contigo, mas segundo a wikipedia: É formado em matemática, administração pública, administração de empresas, e Direito, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

      Ou seja, ele provavelmente sabe que fala bobagem.

      Curtir

  2. Detalhe que o prefeito não leu o projeto do pessoal, pois lá está:
    NÃO SERÃO ACEITAS NOVAS ISENÇÕES!

    o objetivo, o qual o Fortunati vem se esgueirando como uma raposa, é abrir a caixa preta do transporte pública e ver quais são os custos REAIS do transporte público em Porto Alegre e o quanto os empresários estão ganhando em cima dessa farra.

    Curtir

  3. Tem é que baixar o lucro excessivo dos “mafnatas” os ônibus, isso sim!

    Curtir

  4. Particularmente, sou contra a concessão do passe livre. Mas sou a favor de uma redução drástica do valor da tarifa (algo em torno de 1 real), mesmo que seja com subsídio. Aliado à melhoria na qualidade do serviço e na disponibilidade de linhas, penso que seja uma maneira de incentivar a utilização do transporte coletivo e desafogar um pouco o trânsito de PoA.

    Curtir

  5. Abre as contas, depois a gente vê se realmente é impossível ou não o passe livre.

    Curtir

    • Exatamente. Não dá pra opinar com base em “achismos”.

      Tendo números verdadeiros e concretos é que dirá, se realmente daria para baixar o valor mais ainda da passagem ou mesmo torná-la 100% gratuita.

      Mas como o Fernando comentou, prefiro que custe R$ 1,00 do que não custar nada. Se for 100% gratuita não consigo imaginar sistema que aguente tamanha demanda.

      É a velha lógica do “de graça até injeção na testa”!

      Curtir

  6. Auditoria nas empresas ou otimizar as linhas para economizar não é possível?

    Curtir

  7. É absurda a idéia de usar dinheiro do PAC. O PAC é sobre investimentos.

    A saída é criar pedágios urbanos, aumentar o preço da zona azul e outras novas formas de arrecadação, usando estes recursos para financiar o transporte público.

    Curtir

    • Não tenho muitos anos de vida e tão pouco tenho algum conhecimento largo em políticas públicas.
      Porém, nesse pouco tempo de “análise”, me parece que em todos esses anos pagando impostos o Estado nunca foi efetivamente eficiente em atender as demandas da população – saúde, transporte, educação e etc.
      A verdadeira ideia absurda não seria colocar mais responsabilidade em cima daquele que já comprovou sua incompetência através dos anos?
      Criar mais taxas pra financiar serviços, sendo que já pagamos impostos altos e temos pouco retorno, me parece a mesma coisa que acreditar em papai noel, fada do dente, Deus…

      Curtir

      • Ok, criticaste minha idéia, mas qual a tua mesmo? Eu propor pedágio urbano não tem nada de conto de fadas, é feito mundo afora, como em Londres ou Sydney.

        Curtir

  8. Se usarem os recursos já insuficientes de investimentos em transporte público para subsidiar gratuidades de passagens daí sim que nunca teremos um sistema de transporte qualificado.

    Curtir

  9. Era só o que faltava, mais isenções, que na real, não são isenções, pois a gente que iria pagar por isso. Ainda bem que o prefeito descartou o projeto. Ja to ate vendo candidato a prefeito ano que vem, dizendo que ao assumir terá passe livre pra todos, aguardemos!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: