Trabalho sujo em obras de Porto Alegre

Pela segunda vez, empreiteiras da Prefeitura de Porto Alegre são flagradas fazendo trabalho sujo em obras da Copa 2014, enchendo a tubulação de esgoto cloacal com terra e até massa de concreto.

Primeiro foi na nova pista do corredor BRT da Protásio Alves e agora na avenida Gaston Mazeron, início da futura radial Tronco.

Mais uma vez sobrou para o Dmae, que teve que quebrar o asfalto recém-colocado em abril deste ano e que, segundo o engenheiro da autarquia, faz o conserto e manda a conta para a empreiteira. Pelo certo, deveria ser com multa.

Danem-se os moradores, que passaram o fim de semana com aromas nada agradáveis e dificuldade de saírem de suas residências. Está na hora de matricular as empreiteiras em curso do Programa Gaúcho de Produtividade e Qualidade (PGQP).

********

A Prefeitura de Porto Alegre também tem parte de responsabilidade. Não há fiscais para tantas obras simultâneas. E os fiscais das empreiteiras onde estavam?

O governador Tarso Genro diz que, depois de liberadas as obras nas estradas, a demanda de empreiteiras supera a sua oferta no Estado. E elas devem ter problema de profissionais, o que, no entanto, não justifica estre tipo de trabalho sujo.

Affonso Ritter



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

10 respostas

  1. Revista do CREA-RS de 2008

    http://www.crea-rs.org.br/crea/download.php?file=ed46.pdf‎

    “Hoje, a Smam tem uma equipe especializada em resíduos sólidos, chefiada pela engenheira química e engenhei ra de segurança do trabalho Alessandra Nogueira Pires, agregando conhecimento com dois servidores do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU)”

    “Nesse processo, todos são responsáveis. Dessa forma, a Smam, junto com o DMLU, com o Sinduscon, com a Fepam, com a EPTC, elaborou um plano, que está na Câmara de Vereadores para ser votado.” – EM 2008!!

    Curtir

  2. Tenho observado isso principalmente aqui na Oswaldo Aranha e Protasio Alves onde passo todos os dias.
    Na Oswaldo Aranha os trabalhadores prenderam aquelas redes de proteção cor de laranja nas árvores recém plantadas matando muitas e nas palmeiras usaram pregos. Eu avisei a SMAM e eles vieram verificar.
    É impressionante como não existe entrosamento entre as partes e como nada é cuidado.
    É como sempre digo não existe Fiscalização nem Punição…..
    Coisa triste este pais sem respeito pelas coisas….

    Curtir

  3. Ao meu ver, o grande problema é a falta de fiscalização (ou fiscalização deficiente). Cabe salientar que as grandes empreiteiras brasileiras participam de licitações fora do Brasil, mas lá o serviço é de primeira, pois são fiscalizadas e, caso haja problemas, sentem no bolso!

    Curtir

  4. Parece que ultimamente tem sido assim, até mesmo em obras particulares, é fazer de qualquer jeito e vamos pra próxima. Tudo numa tremenda falta de vontade e capricho.

    Curtir

    • Julian, o problema é que não existe mais profissionais, estamos em Porto Alegre com um desemprego baixíssimo, uma situação literalmente de pleno emprego, os bons profissionais estão indo para quem paga mais, por consequência até que se formem novos profissionais teremos aumento de custos e mão de obra desqualificada.
      .
      Chamo atenção que as entidades vinculadas as federações patronais (Sesi, Senai,..) deveriam estar treinando profissionais nestas áreas, porém fazem cursos de doutorado e pedreiro qualificado, não.

      Curtir

  5. Acho que além da falta de fiscalização há falta de fiscalização independente. Onde está o CREA-RS com sua equipe, equipamentos e veículos próprios para isso?

    Curtir

    • Cada obra dessas rende uma fortuna para o CREA em ARTs e quase não ha contrapartida. Agora acontece qualquer acidente eles estão lá dando pitaco.

      Curtir

      • Pablo.
        .
        Não cabe ao CREA a fiscalização de obras, mas sim a da atividade profissional, se há falta de fiscalização da obra, o cliente poderá entrar com uma reclamação contra o profissional quanto a má conduta.
        .
        O problema do CREA não é ter mais fiscalização é cobrar menos do profissional, os preços das ARTs é um absurdo.

        Curtir

  6. Multa. Não tem multa para esse casos?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: