Novo fim para o Cine Astor

Donos cogitavam área para estacionamento, mas agora pensam em vendê-la.

Fachada Cine Astor. Foto: Gilberto Simon

Fachada Cine Astor. Foto: Gilberto Simon

O prédio do antigo Cine Astor, que virou ruínas, restando apenas a fachada, prepara-se para entrar em uma nova fase, bem longe dos astros do cinema. A família Valansi, proprietária do grupo nacional Cine-Teatro Rex, que engloba o Astor, fechou parceria com uma empresa para arrendar o espaço e explorá-lo como estacionamento. A previsão é de que os portões sejam abertos ainda neste mês.

Porém, o destino definitivo pode ser outro. Em assembleia realizada na quarta-feira, no Rio de Janeiro, a família se mostrou inclinada em vender o imóvel, segundo o representante do grupo Alex Menezes. Quatro outros antigos cinemas de Porto Alegre também estão na lista de vendas: Coral, Lido, Roma e Real. No total, o patrimônio está avaliado em R$ 13 milhões.

– A decisão definitiva foi postergada para o dia 29, quando haverá outra reunião. Os acionistas também discutem se a venda será em bloco (os cinco imóveis juntos) ou feita em separado. Já temos ofertas para as duas alternativas – explica Menezes.

A vontade em definir a situação do Astor se acelerou em abril de 2008. Nessa época, segundo Menezes, o imóvel foi invadido por uma pessoa que pretendia montar um estacionamento, sem autorização dos donos.

Por enquanto, as atenções estão voltadas para a fachada histórica. Nesta semana, um arquiteto e um engenheiro contratados pelos proprietários devem ir ao local fazer uma vistoria. Eles estarão acompanhados por técnicos da Equipe do Patrimônio Histórico e Cultural (Epahc) e vão tratar da conservação da fachada.

O Cine Astor foi inventariado pela prefeitura, ou seja, é considerado um bem a se preservar. Essa denominação não impede mudanças, mas qualquer alteração no prédio deve ser aprovada pela Epahc, com referendo do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico Cultural (Compahc).

Segundo a diretora da Epahc, Débora Magalhães, apesar do estado, a fachada do imóvel não corre risco de desabar.

– A platibanda, que é uma parte do telhado, e uma outra parte embaixo da sacada precisam de mais melhorias, mas não oferecem risco – diz Débora.

Saiba mais

– O Cine Astor fica na Rua Benjamin Constant, 1.891, no bairro Floresta, em Porto Alegre;
– Foi fundado em 1923, com o nome de Cinema Orpheu. Apresentava “funções noturnas”, com músicos e artistas, intercaladas com sessões de cinema. Tinha 1.395 lugares;
– Em 1963, após uma reforma, recebeu o nome de Cine Astor;
– Foi fechado em 1993;
– O prédio foi erguido no estilo Eclético, misturando o clássico ao barroco.

Fonte: The End – Cinemas de calçada em Porto Alegre, de Cristiano Zanella, e Epahc

Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico



Categorias:Patrimônio Histórico

Tags:, , , ,

7 respostas

  1. Fechou em 1993? E tá mais acabado que um ruína grega de 300 anos antes de cristo.Eu lembro de 2003 ele já estar assim…

    Curtir

  2. Eu passei por ali ontem e já funciona um estacionamento. Postes de madeira segurando telhas brasilit, algo bem improvisado.

    Curtir

  3. Triste fim à memória do bairro, da cidade, e de nossa memória infantojuvenil!

    Milhares de moradores de bairros adjacentes que frequentavam o mesmo, ao ler este post,
    ao passarem pela fachada do prédio, lembrem da época áurea dos cinemas da capital!

    Ao ver o atual estado dos prédios entregues como este, a realidade é de doer!

    Lembro-me ainda dos bondes, íamos eu e meus amigos assistir aos filmes no fim da década sessenta e início de setenta ao Cine Astor, bem como Cines Coral e Presidente.

    Hoje, sair à noite sem ser assaltado só se for num Shopping Center, e olhem lá!

    Bem, praticamente estes é que ficaram de opções nos bairros, mesmo assim com risco!

    Se o que administram a cidade incentivassem a cultura, memória artística e histórica, fizessem parcerias, com um bom policiamento ostensivo para assustar a bandidagem, quem sabe a capital gaúcha poderia ter cinemas como estes ainda funcionando .

    A capital gaúcha era um charme!

    Éramos felizes e não sabíamos!

    Curtir

  4. Como não tem mais o prédio em si, pelo visto só há a fachada, seria legal construir um novo prédio ali mas mantendo essa fachada. Acredito que dá pra fazer algo legal assim.

    Curtir

  5. Aquele terreno é tri bom pra fazer uma loja do tipo outlet, eu acho que até um pequeno centro comercial ficaria bom ali, vom um pátio interno e algumas lojinhas abrindo, como um Olaria.

    Curtir

  6. A não-preservação dos cinema de ruas de Bovinópolis retrata a falência e omissão do poder público .

    Curtir

  7. Tentaram invadir ou ja invadiram?

    Pra ti ve como são as coisas né, a palhaçada, invadir para fazer negocio.

    Bom, ja tem um estacionamento ali, faz um bom tempo.

    Se eu tivesse grana, compraria, faria uma sra reforma, por que ta feia a situação, e construiria uma loja com algum tipo de café no segundo andar.

    Bom que a Benjamin ta valorizando, estão reformando varias lojas e prédios, e até mesmo derrubaram um prédio, só não sei o que vão fazer la….

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: