Prefeitura estima em R$ 1,5 milhão custo para reabrir Mercado

No térreo, 29 lojas devem ficar interditadas até problemas de infiltração serem resolvidos

Prefeitura estima em R$ 1,5 milhão custo para reabrir Mercado. Foto: Gilberto Simon 31/07/2013

Prefeitura estima em R$ 1,5 milhão custo para reabrir Mercado. Foto: Gilberto Simon 31/07/2013

O custo para reabrir o Mercado Público em Porto Alegre deverá ser de R$ 1,5 milhão. Essa é a estimativa da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov). O recurso para a recuperação do prédio, atingido por um incêndio no início do mês, deve sair do Fundo Municipal do Mercado Público (Funmercado, formado com a receita arrecadada das permissões).

O secretário de Obras, Mauro Zacher, afirmou que é razoável a expectativa dos permissionários de reabrir o mercado no dia 10 de agosto. Mesmo após reabertura parcial, 29 lojas do térreo, de frente para a rua Júlio de Castilhos, devem permanecer fechadas até que sejam corrigidos problemas de infiltração.

Na terça, uma reunião foi realizada para tratar da reabertura do Mercado entre representantes do Corpo de Bombeiros, da Prefeitura e das empresas que fazem a recuperação do complexo, que teve 10% da estrutura comprometida em função de um incêndio. No encontro, o vice-prefeito Sebastião Melo reconheceu que as exigências da corporação para a reabertura parcial vão determinar a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a ser firmado com o Ministério Público (MP).

Correio do Povo



Categorias:Incêndios e PPCI

Tags:,

12 respostas

  1. Um sistema de sprinklers custaria quanto?

    Curtir

  2. Algo precisa ser explicado: o Pref.Fortunati foi a Brasília em busca de recursos para a reforma do Mercado Público, cantou a quatro cantos que viria esse recurso a fundo perdido do Gov. Federal; se fala em seguro de 16 milhões do Mercado Público, claro que a Seguradora não irá pagar os estragos do incêndio, não havia PPCI para o local;agora se fala em gastar l.5 do Fundo do Mercado dos Concessionários.

    Enfim, qual foi o gasto que a Pref. teve com a Empresa de Seguros, na qual se fez um seguro sem atender pré-requisitos como o PPCI.

    Depois roubaram os fios de dentro do Mercado Público e ninguém viu.

    Algo estranho em tudo isso.

    Curtir

  3. você tá fora da casa mesmo Rafael !!!!!
    reformar pra deixar parecido como um shopping center,
    só que daí ele deixará de ser Mercado Público.
    com uma Frente de Trabalho 24 horas por dia, isso sim é mutirão,
    em duas semanas o Mercado estaria aberto.

    Curtir

    • KaKá (sem o assento parece caca!), o que entendi é que o Rafael está querendo algo limpo e bem cuidado, isto faria o mercado público não perder suas características e aumentaria ainda mais o seu público.

      Curtir

  4. Igor, Rafael e Pablo, perdoem minha ignorância, mas digam-me uma coisa: é mera impressão minha ou estou mesmo ficando louco quando “acho” que tenho a certeza de ter, logo depois do incêndio, um porta-voz da prefeitura declarado a existência de um seguro de Cr$ 16 milhões? Se não estiver errado portanto, não precisamos ficar “queimando” o cérebro nesta discussão mas sim substituí-la por outra que seria: por que lançar mão deste tal fundo se existe o seguro???

    Curtir

  5. Cheiro de super faturamento e políticos e empresários corruptos ganhando mesmo dessa tragédia? Não, claro que não.

    Curtir

    • R$ 1,5 milhão e você acha superfaturamento?

      Esse dinheiro mal dá para realizar uma reforminha básica! E vamos combinar… o mercado andava precisando de muito mais dinheiro para torná-lo um local limpo e seguro como um shopping center.

      Curtir

    • Não acho muito… Tem que refazer o telhado de uma área bem grande, fora a concerto das salas.

      Curtir

    • Concordo com Rafael e Pablo, e digo mais, até achei pouco!

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: