Onze aeroportos da Copa têm atrasos no cronograma de obras

Doze intervenções em terminais de passageiros apresentam índice de execução inferior a 50% 

Aeroporto Salgado Filho tem o cronograma mais atrasado (crédito: Gabriel Heusi/Infraero)

Aeroporto Salgado Filho tem o cronograma mais atrasado (crédito: Gabriel Heusi/Infraero)

Onze dos 13 aeroportos da Copa do Mundo 2014 devem ter problemas para cumprir o prazo de execução das obras até o dia 12 de junho, data da abertura da competição. Doze intervenções em terminais de passageiros apresentam índice de execução inferior a 50%.

Os atrasos ocorrem em Belo Horizonte (Confins), Brasília (Juscelino Kubistchek), Campinas (Viracopos), Cuiabá (Marechal Rondon), Curitiba (Afonso Pena), Fortaleza (Pinto Martins), Natal (São Gonçalo do Amarante), Porto Alegre (Salgado Filho), Recife (Gilberto Freyre), Rio de Janeiro (Galeão) e Salvador (Dep. Luís Eduardo Magalhães). Apenas São Paulo (Guarulhos/Cumbica) e Manaus (Eduardo Gomes) têm trabalhos avançados.

No total, 30 obras estão presentes na Matriz de Responsabilidades, com investimento total de R$ 6,8 bilhões. Nove estão concluídas e 21 estao em andamento. A Infraero está à frente de 17 intervenções, que, juntas, estão orçadas em R$ 3,16 bilhões. A iniciativa privada investirá R$ 3,64 bilhões nos aeroportos de Brasília, Cumbica, Natal e Viracopos.

A maioria dos trabalhos nos terminais de passageiros está na fase inicial. O fato ocorre em Belo Horizonte (27% no atual e 0% no novo), Brasília (35%), Campinas (36%), Cuiabá (18%), Fortaleza (27%), Natal (27%), Porto Alegre (0%) e Rio/Galeão (22% no terminal 1 e 31% no 2). As obras em Curitiba e Salvador foram iniciadas no primeiro semestre deste ano.

Já o terminal do aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, chegou à marca de 66% de conclusão no final de junho. Em Guarulhos, três obras foram concluídas e a última intervenção ligada à Copa atingiu metade da execução.

Além das 14 obras em terminais, mais sete projetos estão em andamento em outros setores dos aeroportos. No Recife, por exemplo, só haverá trabalhos na torre de controle. A obra, porém, ainda está em licitação.

Em Salvador, ocorre a ampliação do pátio de aeronaves e a construção da torre de controle. No Galeão, a recuperação da pista e pátio está 71% concluída. Há trabalhos na pista em Confins (10% pronta), Porto Alegre e Curitiba –96% da obra está executada no Afonso Pena.

Fecham a lista da Copa mais seis obras concluídas: os Módulos Operacionais Provisórios (MOPs) de Brasília, Cuiabá, Porto Alegre e Viracopos, além da reforma no corpo central do terminal de Brasília e a restauração da pista em Curitiba. Um projeto foi excluído da Matriz: a ampliação da pista de pouso de decolagem do aeroporto de Porto Alegre.

Cronograma

Em 2010, a Infraero divulgou três cronogramas das obras dos aeroportos. As listas de março e maio continham datas de início e conclusão dos trabalhos. Em novembro do mesmo ano, contudo, a estatal atualizou o documento e excluiu a previsão para o começo das intervenções. Dessa forma, era impossível saber se houve ou não atrasos.

As obras do aeroporto Salgado Filho, por exemplo, começariam, segundo a Infraero, am abril de 2010. A segunda lista postergou a obra para julho de 2011. A reforma do terminal de passageiros começou a sair do papel, de fato, no mês passado. No total, são 36 meses de atraso.

No Recife, a construção da torre de controle aconteceria entre maio de 2011 e abril de 2012. As obras foram iniciadas apenas em 2013 e há risco da conclusão acontecer apenas depois da Copa do Mundo.

Portal 2014



Categorias:Aeroporto Internacional Salgado Filho, aeroportos brasileiros

Tags:,

4 respostas

  1. Creio que o corpo mole da Infraero é de propósito para privatizá-la a um preço pífio.

    Curtir

  2. A infraero no RS é Nome de gestão de incompetência e de total anestesia em obras e seus responsáveis deveriam ser mais cobrados pela falta de desempenho e dedicação nos assuntos referentes a ampliação da pista do aeroporto. Obra de uma importância extrema para todo o estado do RS.

    Curtir

  3. Todo dia eu me pergunto: Pra que (ou pra quem) serve esta Infraero?

    Curtir

  4. O de Brasília até pode estar atrasado, mas a obra está andando e me surpreendeu pela magnitude. Estão dobrando o tamanho do terminal e o número de pontes.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: