Celulose Riograndense inicia ampliação em Guaíba

Empresa deverá gerar 4,1 mil vagas de trabalho e até 20 mil empregos indiretos

Governador Tarso Genro participou da cerimônia em Guaíba Crédito: André Ávila

Governador Tarso Genro participou da cerimônia em Guaíba
Crédito: André Ávila

A pedra fundamental das obras de expansão da CMPC Celulose Riograndense foi lançada na manhã desta quinta-feira em Guaíba, na Região Metropolitana. A empresa, que resultou da fusão entre a Aracruz Celulose e o grupo chileno CMPC, deve gerar 4,1 mil vagas de forma direta e até 20 mil empregos indiretamente.

O aporte financeiro para ampliação da planta industrial da empresa, de R$ 5 bilhões, é o maior investimento privado da história do RS. A previsão é de que a produção no local seja de 1,8 milhão de toneladas por ano. O projeto de expansão inclui a implementação da nova linha de produção de celulose no local.

O governador Tarso Genro participou da cerimônia em Guaíba. Na cidade, também haverá a formatura de alunos de cursos realizados por programas governamentais, como o Pacto Gaúcho pela Educação e Pronatec.

Correio do Povo

celrs-02



Categorias:Economia Estadual

Tags:, ,

22 respostas

  1. Parabéns ao Rigotto por ter apostado neste potencial…

    Curtir

  2. Esse investimento e’ tao grande e relevante em todos os sentidos que e’ capaz de livrar a cara do Tarso no quesito atracao de investimentos para o Estado.

    Curtir

    • “Indústria do Rio Grande do Sul tem segundo maior crescimento do país em junho, aponta IBGE” – ClicRBS

      Curtir

  3. Parabens de novo para dona Yeda, Rigotto por mais este investimento, ultimo desde que Yeda saiu, mas mesmo assim boa noticia.

    Curtir

    • Acho que o mérito é mais do governo que trouxe a Riocell/borregard/whatever para Guaíba.

      Curtir

      • os 2 maiores investimentos do RS no período do governo Tarso… a fábrica da GM e a fábrica de Celulose

        é no mínimo interessante… ja q nenhum dos dois foi “conquistado” durante o governo Tarso

        Curtir

        • Honestamente acho engraçado pensar que governos devem “conquistar empresas” e não criar infra…

          Curtir

        • infelizmente uma das consequencias do grande poder q o estado toma para si é a de negociar investimentos de grande porte, uma vez q ele concede “privilégios fiscais” e compensa a falta de infraestrutura gerada pela burocracia e pela própria incapacidade de investir…

          Curtir

    • Eu posso ser o maior anti-PT do mundo, mas não daria parabéns pro Rigotto nem se ele desse um tiro na cabeça do Lula. (bom, talvez sim, mas não quero incitar a violência)

      Curtir

      • Nao sou fa de Rigotto tambem, mas ele se esforcou para trazer estas industrias, inclusive o polo naval de Rio Grande. Mas fazer oque o povo ai foi condicionado como os caes de Pavlov a votar em esquerdistas……

        Curtir

  4. É engraçado o cara que participa do grupo político de destruiu pesquisas com eucalipto (lembram?) agora comemorar a ampliação de empresa de celulose.

    Curtir

    • papeleiras podem ter produção bastante limpa. A Finlândia é referência em questões ambientais tem sua economia baseada na produção de papel. Entretanto deserto verde é sempre deserto verde, principalmente de eucalipto que nem é nativa do RS ou do Brasil. O papel produzido na Finlândia usa pinheiros nativos vindo principalmente da Rússia.

      Acho que foi involuntário, mas está certo trocar a plantação de eucalipto desertificafor por indústria atraindo mão de obra qualificada.

      Curtir

    • Não entendo a razão de tanta revolta quanto o tal de eucalipto. Toda monocultura agride o meio ambiente, seja de soja, milho, etc. Aliás, toda produção agrícola e a pecuária em si, agride – a maioria dessas culturas não é nativa. Até a criação extensiva de gado, típica do pampa gaúcho, ajuda na degradação da vegetação local. Mas suponho que a agricultura esteja avançada o suficiente pra evitar esses medos fantasiosos, com trabalhos de reposição de solos. Sinceramente acho que tecnologia pra isso existe, senão todas as terras do planalto deveriam estar esgotadas, porque há décadas se produzem ciclos de monocultura que consomem uma quantidade imensa de recursos hídricos pra se desenvolverem.

      Curtir

      • Algumas terras já estão esgotadas… O nordeste brasileiro já foi muito fértil.

        Curtir

      • O problema e’ que estes investimentos criam riqueza e prosperidade a uma cadeia enorme de empreendimentos (eu mesmo tentei colocar tratores para trabalhar para eles, como muita gente sem muito dinheiro tentou) Dai tu ja viu! os esquerdistas entram em povorosa quando o povo pobre tem uma chance de melhorar atravez de seu proprio esforco, sem precisar de esmolas do governo. E por isso que eles odeiam crescimento economico e desenvolvimento.

        Curtir

    • Qual é a de vocês? Vocês estão de mimim porque vai ter indústria que gera um monte de emprego e não tem plantação de eucalipto que quase não gera emprego? Até soja gera mais emprego que cultura do eucalipto que tem colheita só a cada 7 anos.

      Curtir

      • Sitnomático que os que reclamam são os mesmos que dizem que a Ford foi expulsa pelo Olívio e que chamam quem se posiciona por algo de “contra-tudo”.

        Curtir

        • A Ford foi mandada embora por Olivio, ele queria o dinheiro para a contratacao de CC’s, lembram? E ninguem esta reclamando deste investimento, que ja estava prevista a anos, negociado por Rigotto e depois garantido por Yeda. Pelo oque eu estou lendo sao vcs contra-tudo-contra-todos que estao reclamando do eucalipto e “deserto verde” que numca vi. Passei muitos feriados (anos 70) em Barra do Ribeiro que e’ cercada de eucaliptos (borregard plantava) e jamais vi qualquer coisa do tipo que vcs falam.

          Curtir

        • Bah Phil, não foi isso que aconteceu… o Rogério já chegou a colocar pilhas de explicações e referências sobre o tema.

          Curtir

%d blogueiros gostam disto: