Semáforo para maratonistas

A desconsideração com a segurança dos pedestres por parte da EPTC não tem limites. O semáforo do vídeo abaixo, na frente do Shopping Iguatemi, fica apenas sete segundos abertos para o pedestre. E depois a culpa é dos idosos, como disse Cappellari, diretor-presidente da EPTC. Malditos idosos baderneiros! Quem eles pensam que são para serem tão lerdos.

A cidade está cheia de casos como este, projetos ruins que põem em risco a vida dos pedestres. São semáforos com tempo curto demais e espera longa demais (que faz com que muitos desistam de esperar), falta de faixas de segurança, faixas de segurança em locais inadequados que forçam os pedestres a se deslocarem dezenas de metros a mais – um suplício para os idosos. E o principal: falta de fiscalização por parte da EPTC e de educação por parte dos motoristas, que ameaçam diariamente pedestres, mesmo que estes estejam sobre a faixa de segurança.

Blog Vá de Bici (Marcelo)

_________________________________

EPTC culpando os pedestres

Este blog já publicou alguns artigos sobre a tentativa constante colocar toda culpa da violência do trânsito nas vítimas, especialmente os pedestres. Por exemplo, neste artigo, ou esse ou esse.

Pois o último ataque veio diretamente de Vanderlei Capelari, presidente da EPTC, em entrevista à Rádio Gaúcha.

“A maioria é responsabilidade do pedestre. Não são jovens, pessoas de meia idade. São pessoas acima de 60 anos, que teoricamente deveriam ter responsabilidade maior, educação diferenciada no sentido de procurar locais adequados pra fazer a travessia.”

Não seria um bom momento para esta empresa pública pensar se estas pessoas não estão reagindo da maneira incorreta a um outro problema, que cabe a ela resolver? Questionamentos:

  • Há travessias em distâncias razoáveis?
  • A sinalização é clara?
  • O tempo dos semáforos é adequado, se existem?
  • Os semáforos são respeitados?
  • As calçadas estão em condições de uso?
  • A velocidade máxima permitida é adequada e respeitada?

Não é difícil de lembrar diversos lugares da cidade com diversos destes problemas.

Blog Vá de Bici (Felipe X)

________________________

Este post é um “reblog” do Blog Vá de Bici, dos dias 8 e 9 de agosto de 20013 – Autores: Felipe X e Marcelo

Publicado pelo Porto Imagem pois considerei muito pertinente. Os semáforos de Porto Alegre são simplesmente uns absurdos!



Categorias:EPTC, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , , , ,

28 respostas

  1. Divertido da discussão é que os que não vêem as bikepoa sendo usadas também não vêem problemas nas sinaleiras.

    Curtir

    • As pessoas precisam prestar muito mais atenção no trânsito. Não dá pra dirigir como se estivesse no sofá de casa.

      Curtir

  2. Pela lógica do autor do post, em todos os semáforos de Porto Alegre o tempo de travessia para os pedestres deveria ser de 2 minutos. Não interessa se naquele lugar não haja demanda para tanto. E daí que só atravessa 1 idoso por dia naquela sinaleira. Todos devem parar no semáforo durante 2 minutos e admirar a paisagem, visto que não há ninguém atravessando. Todos devem ter o direito de ficar parado sem fazer nada.

    Inteligente solução. Parabéns.

    Curtir

    • Não sou o autor, mas não vi isso escrito. Acho que deve haver um tempo mínimo sim, para que pessoas com problemas de locomoção consigam fazer com segurança visto que não muitos de nossos motoristas não tem bom senso mesmo.

      Curtir

  3. Devo observar: o local do vídeo (Iguatemi) tem solução sim, e é bem fácil. Explico:

    Se vocês observarem o tráfego daquela região, vocês vão notar que, além de ser uma via larga (4 faixas) com carros em alta velocidade, temos também a movimentação dos ônibus (e seus passageiros chegando em peso no shopping) e dos carros estacionando na rua ou entrando nos estacionamentos do Iguatemi. Ou seja, existe uma série de conflitos, seja de direção, de modo ou de velocidade, impedindo a operação segura do local. O resultado disso é uma rua que é uma terra de ninguém, onde quem se ferra é sempre o pedestre.

    Uma solução muito simples seria reformatar a via completamente, reconhecendo a demanda de ônibus do local e ampliando a segurança do pedestre. Para esse fim, poderíamos ter, da direita pra esquerda:

    – 3 faixas de rolamento
    – um canteiro central (com uns 3 metros de largura)
    – um corredor de ônibus

    Notem a ausência do espaço para estacionamento. Isso é intencional, e ajuda a eliminar um dos conflitos do local. O estacionamento do Iguatemi existe, e quem quer ir ao shopping que o use, cazzo! O corredor de ônibus poderia ter sua parada no espaço do canteiro, de forma que o passageiro teria que atravessar apenas o próprio corredor para chegar ao Shopping. Para o acesso ao estacionamento do shopping, bastaria um recorte neste canteiro, atravessando o dito corredor – bem mais seguro do que o que há hoje.

    Esse mesmíssimo modelo poderia ser estendido para o trecho seguinte (junto ao Bourbon Country), talvez com um canteiro mais estreito. A mesma alteração com certeza poderia ser feita na João Wallig no sentido contrário.

    Enfim, é só as mulas da EPTC e da SMOV botarem a cabeça pra funcionar e pensarem um pouco além das meras temporizações de semáforo.

    Curtir

    • O problema dessa avenida e dessa sinaleira em particular é que há um enorme fluxo de pedestres (boa parte deles correndo para pegar seus onibus ainda no ponto) e também há um grande fluxo de carros. A melhor solução seria segregar completamente os dois com um tunel para pedestres (poderia ter sido exigido como contrapartida ao Iguatemi, tendo manutenção feita pelo iguatemi), tendo escada rolante e elevador. No exterior é quase sempre feito assim, pois é a unica forma de garantir a completa segurança de todos.

      Curtir

      • A segurança dos pedestres se dá com semáforos bem programados e educação dos motoristas.

        A segregação até pode ser discutida, mas ela é útil mesmo é para garantir o fluxo do trânsito, não para segurança.

        Curtir

      • Túneis para pedestres constumam atrair crime e virar banheiros públicos. Por um lado é bom, pois faltam banheiros públicos em Porto Alegre.

        Curtir

      • Dá pra chegar numa solução razoável gastando bem menos. Não é como se fosse um gargalo pra cidade inteira a ponto de justificar um túnel ou passarela.

        Curtir

  4. Sempre que eu parei de carro nessa sinaleira, ao abrir os carros esperaram todos que já estavam atravessando chegarem do outro lado da rua.

    Outro argumento: se o pouco tempo de abertura causa acidentes, deveríamos ter tido alguns atropelamentos ali por carros que arrancaram e atropelaram quem ainda estava cruzando a avenida. Que eu saiba isso nunca ocorreu ou não se tem registro de tal fato.

    Curtir

    • Sim Adriano, porque a lei diz que você tem que esperar, e ainda existem muitos motoristas que seguem a lei. O problema é por exemplo se tiver dois carros parados nas duas faixas da esquerda deixando o pedestre terminar a travessia, e chega um carro na faixa que estava livre e atropela o pedestre. Essa sinaleira do Iguatemi, do jeito que está, é questão de tempo acontecer isso. Esse é um problema que o pedestre portoalegrense enfrenta em todas as travessias compridas da cidade, e precisa ser abordado urgentemente.

      Quanto às estatísticas com locais dos acidentes: elas nem sequer existem publicamente! Se a EPTC tivesse algum compromisso com a transparência no processo, publicaria isso. Pode até ser que não ocorram tantos acidentes assim, mas essas aberrações tornam as ruas bem menos convidativas aos pedestres.

      Curtir

      • Isso acontece muito com motociclistas que ao para ao lado de carros altos ou caminhões não enxergam o pedestre cruzando. As vezes muito pior, o motociclista vem embalado pois o sinal já está aberto.

        Curtir

        • Exato. Tem vários pontos da cidade com esse problema de travessias muito compridas. Devia ter um limite no comprimento que o pedestre tem que fazer “de uma vez só”. Algo como 9 metros (três faixas) seria o ideal.

          Curtir

%d blogueiros gostam disto: