Aeromóvel: os primeiros passageiros

aeromovel1

aeromovel2

aeromovel3

aeromovel4

 

Jornal Metro – Porto Alegre – 12/08/2013



Categorias:Aeromóvel, Aeroporto Internacional Salgado Filho

Tags:, ,

25 respostas

  1. o Aeromóvel pode ser aplicado para reduzir os tempos médios de viagem atualmente observados, tirando proveito de sua racional ocupação vertical do espaço urbano, que dispensa em grande parte as onerosas ampliações nas pistas de rolagem e demais intervenções, sendo, portanto, uma alternativa de baixo custo e ambientalmente orientada; que torna mais célere a capacidade de mobilidade, e em consequência disso, contribui para aumentar a qualidade de vida nas grandes cidades.

    Curtir

  2. Não me joguem pedras, não quero parecer debochado, mas a pergunta que vou fazer pode parecer. Não seria mais barato fazer uma esteira nesse percurso de 800m, como é nos aeroportos que vejo pelo mundo?

    Curtir

    • Alguém que conhec o assunto escreveu em um post muito antigo que para esta distancia nao caberia esteira.

      Curtir

    • Na realidade eu não tenho nenhum dado concreto sobre o assunto, porém podemos fazer algumas estimativas sujeitas a chuvas e trovoadas.
      .
      Para fazermos uma esteira do aeroporto a estação do Trensurb teríamos que fazer uma passarela coberta elevada entre os dois pontos, somando a largura de cada esteira mais uma passagem lateral de cada lado a largura total seria equivalente as duas pistas do Aeromóvel, Esta passarela deveria ser coberta em toda a extensão, logo quanto a obra civil me parece que o custo seria equivalente (ME PARECE!!!, não tenho certeza).
      .
      Quanto ao equipamento mecânico acho que os treichos da esteiras rolantes devem ter comprimentos da ordem de 100 metros (acho que talvez seja menor, de novo um ACHO QUE), logo precisaríamos no mínimo 16 trechos (8 de ida e 8 de volta), a cada trecho teríamos motores, sensores para ligar e desligar a esteira, logo de novo teríamos um custo equivalente. Não considerei o preço da esteira, pois este não tenho a mínima noção.
      .
      O pior que teríamos na esteira seria a manutenção, quando viajava a serviço, umas duas vezes passei por esteiras desligadas, posso estimar que em 5% do tempo elas estavam em manutenção, logo não é um meio de transporte tão confiável assim.
      .
      Depois o consumo de energia seria muito maior, tracionar esteiras para uma pessoa é necessário movimentar toneladas de aço para um ou dois passageiros, isto tudo com um atrito razoável.
      .
      Por último teria o tempo de transporte, uma esteira tem que ter a velocidade de uma pessoa com mobilidade meio reduzida, pois se não a pessoa não consegue subir nela, isto daria um tempo de viagem da ordem de vinte a trinta minutos.
      .
      Sinceramente, não acho uma boa solução, mas atenção, estou partindo de várias hipóteses, que poderão ou não ser verdadeiras, se alguém conhece mais, que se habilite.

      Curtir

      • Achei alguns dados no manual de escadas rolantes e esteiras da Atlas-Schindler.
        Velocidade <0,65 m/s (velocidade recomendada)
        Largura de esteiras de aeroporto 1,2 m a 1,4 m
        Comprimento máximo de cada trecho 150 m
        Motorização 2 X 11 kW por vão.
        Mais ou menos seria 12 vãos (6 de ida e 6 de volta)
        264 kW
        Velocidade de percurso 800 m / (0,65 + 0,55) = 11 min (com a pessoa caminhando).

        Curtir

    • O que mudou da primeira estimativa: Largura da passarela 2 * 2,00 (para 1,4 de largura útil) + 6,00 m (passagens laterais) 10,00 m.
      Tempo de viagem:
      Parado na esteira 20 min.
      Caminhando na esteira 11 min.
      Quanto a custos ficamos na mesma.

      Curtir

  3. Ele parece custar por volta de 40 milhões o km, correto?

    Curtir

    • É mais ou menos isso.. mas esse valor varia bastante. Essa linha do Aeroporto é especial, pois é via simples, tem dois veículos grandes para menos de 1km e é cheia de curvas.
      Em uma linha longa deve sair menos de 50 km em via dupla e menos de 30 em via simples.

      Curtir

      • Mesmo assim é um valor baixo comparado ao metrô. 10 km, daria uns 400 milhões. Mas tem a questão da capacidade né….enfim

        Curtir

  4. O aeromóvel é muito legal e uma excelente alternativa. Mas ‘passear’ e tirar fotos é muita pobreza hahahaha.

    Curtir

    • Não acho que seja pobreza. Qualquer lugar civilizado acontece isso. Na verdade é preconceito teu!

      Curtir

      • O fino é tirar fotos de naves espaciais, como ninguém anda em naves espaciais, vamos tirando nossas fotinhos no aeromóvel.
        .
        Eu já estou pensando em promover um passeio turístico com a minha família, com direito a galinha assada e ovo duro.
        .
        Na Europa o pessoal são farofeiros para lá de metro, fazem passeios deste tipo para olharem qualquer coisa, aí é bonito, pois são franceses que fazem.
        .
        O velho espírito de cão vira-lata não consegue desaparecer.

        Curtir

  5. Há um fator que todos estão minimizando no Aeromóvel, é um benefício intangível para a nossa cidade que poucos estão considerando.
    .
    Nas demais cidades brasileiras, saindo-se que um aeroporto toma-se geralmente um táxi, que para muitos passageiros europeus causa desconforto. Quando estes chegarem a Porto Alegre, entrarão em um veículo futurístico até um transporte que estão acostumados, um trem suburbano.
    .
    Este pequeno trajeto causará um impacto positivo, mostrando modernidade que todos nós aqui queremos em Porto Alegre, posso dizer com certeza, que em breve a nossa cidade será conhecida pelo Aeromóvel.
    .
    Inclusive deveria ter na estação de embarque alguns posters BEM PRODUZIDOS em várias línguas (no mínimo Inglês e Francês) explicando rapidamente o que é o Aeromóvel, e dando ênfase na origem gaúcha do mesmo.

    Curtir

  6. Acho que eles não iriam investir tanto pra correr um risco desses,

    O que pode acontecer é de o aeromovel não ser tão eficiente, ou ser muito eficiente, mas não chegaria ao ponto de dar prejuízo.

    Curtir

  7. Somos os primeiros a receber o Aeromóvel, é um marco para a cidade, temos que agradecer ao Coester, mas o importante é o que vai acontecer daqui para frente.

    Teremos coragem (e culhão) de peitar da ATP e implantar aeromóveis pela cidade de Porto Alegre?

    Curtir

    • Com certeza! Mas nem que seja necessário jogar uma bomba atômica na sede deles!

      Curtir

      • Espero que seja uma bomba atômica bem pequena. O ideal seria processá-los e quem sabe um dia prendê-los por crimes contra a cidade e a população Porto Alegrense.
        Mas convenhamos, isso é quase impossível. Crimes de colarinho branco, sempre acabam em prestação de serviços comunitários e cestas básicas.
        E teve até um deles que enfiou o pé na jaca quando era presidente de um clube de crickett no Gabão. Prestando Irresponsáveis, Sorrateiros e Lesivos prejuízos ao clube. Mas quando chegou no corporativismo do Conselho Deliberativo, não quiseram nem ao menos ler o relatório da Comissão de Ética. Arquivaram o tal relatório, incineram e mandaram todas as cópias em uma viagem só de ida para Plutão. Se o tal sujeito faz isso com o clube do coração, imaginem o que não faz com a população da muy leal e valorosa…

        Curtir

    • Agora fica bem mais simples, a eficiência e a operacionalidade do Aeromóvel vai ser testada em escala real, conforme os resultados pode ficar inviável não criar mais linhas.
      Vamos aguardar.

      Curtir

      • Essa avaliação que aguardo. Espero que os números mostrem o benefício $$$ em relação aos demais modais.
        Uma coisa é certa, pelos comentários críticos de pessoas de dentro do Trensurb que lemos em um post da semana passada, se não for economicamente compatível ou tecnicamente administrável, ficaremos sabendo rapidinho.

        Parabéns a Porto Alegre.

        Curtir

      • A ATP/EPTC conseguem mostrar que é mais caro andar de ônibus do que 4 pessoas dentro de um carro… Eu não confio muito em números quando se refere à esfera pública.

        Curtir

        • Pablo, mas agora não serão mais dados da EPTC, serão dados da conta de luz!

          Curtir

        • Tem outra coisa Rogério, mais de 50% do custo da passagem é “pessoal”. Esse meio de transporte não tem motorista e com uma automatização simples pode-se eliminar quase todos os cobradores.

          Considerando custos equivalentes de energia, manutenção e administração, de cara o Aromóvel é 50% mais barato que ônibus.

          Curtir

  8. Imagine a memória que essas crianças que fizeram as primeiras viagens terão? Esses serão críticos ferrenhos aos ônibus barulhentos, gastadores e desconfortáveis.

    Curtir

  9. Triste é ver tanta gente criticando essa obra, que pode ser uma revolução no transporte publico em Porto Alegre e quem sabe até no Brasil.

    Espero ver uns videos dele… 🙂

    Curtir

    • Sem duvida, Guilherme, este é um equipamento que distingue a cidade. Esta é uma coisas boas que aconteceu na cidade. Porto Alegre precisa de equipamentos que deem visibilidade. Faz bem ao turismo. Visitantes querem ir a cidades que tenham atrações. A arquitetura é especialmente uma atração que qualifica uma cidade e é fator de auto estima dos seus habitantes o Equipamento Aeromóvel qualifica Porto Alegre.

      Parabéns Sr. Coester!

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: