Leilão de energia eólica tem 377 projetos

Total ofertado é de 8.999 megawatts (MW), equivalente a duas vezes a média de produção da futura Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Vladimir Platonow, da Agência Brasil

Energia eólica: preço inicial do leilão será de R$ 117 por megawatt-hora

Energia eólica: preço inicial do leilão será de R$ 117 por megawatt-hora

Rio de Janeiro – A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) habilitou 377 empreendimentos de parques eólicos para o próximo leilão de energia de reserva, marcado para 23 de agosto.

O total ofertado é 8.999 megawatts (MW), o equivalente a duas vezes a média de produção da futura Usina Hidrelétrica de Belo Monte, que está sendo construída no Rio Xingu, no estado do Pará, e que deverá produzir 4.500 MW médios ao longo do ano.

Os futuros empreendimentos serão instalados em oito estados, sendo sete no Nordeste e um no Sul. O maior número de projetos habilitados é na Bahia, com 123 projetos e 2.920 MW.

Em seguida, vem o Rio Grande do Sul, com 94 projetos e 2.006 MW, à frente do Ceará, com 63 projetos e 1.487 MW. Na quarta posição, aparece o Rio Grande do Norte, com 41 projetos e 980 MW. Depois, aparecem Piauí, com 31 projetos e 913 MW; Pernambuco, 14 projetos e 371 MW; Paraíba, nove projetos e 264 MW, e Maranhão, dois projetos e 58 MW.

O preço inicial será de R$ 117 por megawatt-hora e firmarão contrato no leilão os fornecedores que oferecerem o menor preço de venda da energia para Contratos de Energia de Reserva, com início de suprimento em 1º de setembro de 2015. A informação foi divulgada hoje (14) e pode ser acessada na íntegra na página da empresa.

EXAME – ABRIL



Categorias:Energia, Energia Eólica, Formas alternativas de energia

Tags:, ,

5 respostas

  1. Quando um parque eólico não entrega a energia contratada o parque paga por essa energia não entregue, financiando instalações de outras fontes de energia. Da mesma forma se um parque fornece mais energia que o contratado, o parque recebe menos por essa energia entregue a mais.

    Curtir

  2. Mais tarde farei um quadro comparativo real mostrando que a notícia está totalmente distorcida!
    .
    Só para adiantar, estão comparando energia instalada (caso eólicas) com energia efetivamente gerada (caso Belo Monte), isto distorce tudo, pois admite-se que a energia gerada de uma eólica é em torno de 30% da energia instalada, ou seja, todas estas eólicas vão gerar muito menos que Belo Monte e a um preço muito mais caro.
    .
    Também atrás disto escondem uma triste realidade, cada eólica tem que ter uma outra fonte de energia pronta para em 24 horas entrar em funcionamento em qualquer momento. Isto se chama intermitência da geração eólica.
    .

    Curtir

    • Tem certeza disso?

      “Pelo novo procedimento, haverá apenas 10% de probabilidade de o parque produzir menos energia do que a quantidade vendida no leilão”, destacou a EPE em nota.

      http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2013/08/14/internas_economia,435082/leilao-de-energia-eolica-reune-377-projetos-em-8-estados.shtml

      Fora isso Melo Monte também é intermitente, a Amazônia tem o período de chuvas e o período de seca.

      Fora isso, de que nos adianta uma usina lá na Amazônia enquanto precisamos de energia elétrica aqui no RS. Por isso que queimamos carvão.

      Obs… já vi que essa discussão será mais uma discussão insólita!

      Curtir

      • Hidrelétricas têm reservatório exatamente para evitar a dependência do ciclo de chuvas. O que acontece é que Belo Monte terá um reservatório bem menor do que o usual para reduzir o impacto ecológico e social, o que vai deixar essa usina com uma margem de manobra muito menor.

        Sobre a usina estar longe dos locais de consumo… bem, não quero zoar você, mas é para isso que existem as linhas de transmissão. Além disso, a energia gerada em Belo Monte não precisa ser necessariamente mandada para o Sul e Sudeste, ela pode ser usada pelas regiões Norte e Nordeste, o que irá reduzir a demanda pela energia gerada em Itaipú, por exemplo.

        Curtir

        • É justamente o impacto das linhas de transmissão que me refiro, pois o impacto dessas linhas é equivalente ao impacto das turbinas eólicas.

          Curtir

%d blogueiros gostam disto: