Mais espaço e segurança para os ciclistas da Capital

No Dia Nacional do Ciclista (19/8), o Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) protocolou um projeto de lei que determina o fechamento de toda a avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio) para a circulação de veículos aos sábados, domingos e feriados. Além de ampliar as áreas de lazer para a população da Capital, a intenção é garantir mais espaço e segurança aos atletas que habitualmente utilizam a orla do Guaíba para a prática de treinamento. O bloqueio da avenida vigorará das 6h às 20h, sendo estendido até 21h no período de Horário Brasileiro de Verão.

Da tribuna, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) explicou que o fechamento da Beira-Rio não causará grande impacto no tráfego de veículos. “Existem alternativas, como as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas”, explicou. Segundo ele, o projeto busca restabelecer uma medida adotada em 1989, no primeiro governo da Frente Popular em Porto Alegre. Por decreto, o então prefeito Olívio Dutra (PT) proibiu o tráfego de automóveis na orla considerando “a grande afluência de público” e “que as pessoas, quando entregues ao entretenimento, mais facilmente se descuidam da segurança”. “Vemos que, já naquela época, o nosso companheiro Olívio pensava e governava privilegiando as pessoas.”

A medida, no entanto, foi suspensa em janeiro de 2012, após um novo decreto do prefeito José Fortunati (PDT). “A alegação usada pela atual gestão é de que o fechamento da Beira-Rio causa diversos transtornos e prejuízos à circulação de veículos. Ou seja, pensando na fluidez do trânsito, a prefeitura mantém a visão carrocêntrica, andando na contra-mão do que acontece em várias cidades do mundo, onde cada vez mais se restringe o espaço para os automóveis”, afirmou.

O parlamentar disse, ainda, que este tipo de ação incentiva o abuso da velocidade. “Em julho deste ano, a EPTC flagrou 291 motoristas trafegando acima do limite permitido na Edvaldo, sendo que 44 estavam a mais de 90km/h e outros 12 acima de 100km/h. Um deles foi flagrado a 139km/h. Ou seja, quando a fluidez do tráfego é colocada acima do interesse das pessoas, estamos colocando muitas vidas em risco”, alertou. Outra iniciativa protocolada neste 19 de agosto foi um pedido de providência para que seja criada uma Área de Proteção ao Ciclismo de Competição na avenida Beira-Rio. A delimitação deverá ser feita por meio da instalação de placas de sinalização alertando os condutores para a presença de ciclistas em treinamento, bem como com o reforço da fiscalização por parte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), inclusive com a implantação de um controlador eletrônico de velocidade (pardal). Ex-ciclista profissional, Marcelo lembrou que as duas medidas poderão salvar vidas. “Em 2005, tivemos a trágica morte do professor Antônio Carlos Stringhini, pró-reitor da Ufrgs e triatleta que foi atropelado enquanto treinava numa tarde de sábado.”

Cidade Mais Humana



Categorias:Bicicleta, Ciclofaixas, Meios de Transporte / Trânsito, segurança

Tags:, ,

27 respostas

  1. Eu não me sinto seguro com esses motoristas boçais que dirigem por aí.
    Vou sugerir ao vereador Sgarbossa que peça o fechamento da Princesa Isabel, Silva Só e Goethe para que eu possa pedalar em paz até o Parcão e voltar vivo. Não precisa ser as duas pistas, uma só já está bom.

    Curtir

    • Não seria uma má ideia, pelo menos para fins de via de lazer no final-de-semana. Daria muito bem pra fechar um lado da avenida, ou isolar uma faixa em cada lado, sem afetar de forma significativa a mobilidade dos motorizados.

      Curtir

  2. ´Pelo visto o vereador não tem andado pelos arredores do Beira-Rio/Iberê/Barra Shopping aos sábados e domingos. É trânsito como o de 18h em dia de semana…

    Curtir

  3. Podia aproveitar e propor o fechamentos dos parques no periodo das 21hs – 06hs, porque so’ meliantes frequentam parques esse horario. No mundo desenvolvido todo e’ assim.

    Curtir

  4. Eu só não gosto dessa história de ” Coletivo Marcelo Sgarbossa”. Se é coletivo não é para render frutos para politicos, partidos ou empresas. Se é coletivo, tanto os atuantes quanto os beneficiários são a coletividade sem titulos ou donos.

    Curtir

  5. Olha, depois que terminarem a Padre Cacique e a Tronco, vai ser uma boa. Antes do fim das obras, vai dar problema. Mas o amigo que falou que não tem sentido fechar a rua em dias de jogos tem razão. Aí teria que ter uma excessão.

    Curtir

  6. Sobre o trecho final do texto:

    Se tinha gente a 139km/h com a pista do jeito que era antes, imagina depois que ficar pronta a duplicação.

    Fazer uma pista larga, reta e longa como essa é convidar os motoristas a pisarem fundo. Pardais e placas de limite de velocidade não adiantam praticamente nada em casos assim. É como encher a mesa com doces e chocolates e esperar que as crianças obedeçam os adultos que dizem que não é pra comer os doces.

    Curtir

    • Pardal + lombadas. Adianta sim. Mas a EPTC prefere fiscar com radar movel porque arrecada mais…

      Curtir

      • Sem lombadas, por favor. São um péssimo meio de redução de velocidade, pois “educa” muitos motoristas a reduzir velocidade apenas porque tem a lombada e não porque é o limite da via. Fora que como estudante de eng. mecânica, as vejo como uma aberração, pois no mundo inteiro os carros tem um projeto que precisa ser modificado ao chegar no Brasil por causa delas, prejudicando estabilidade, economia de combustível e emissões de poluentes ao “levantar” a suspensão. Podem me negativar, mas há métodos para redução de velocidade mais eficientes que o “quebra-molas”, me digam, dos que aqui já foram à Europa ou à algum país de “primeiro mundo”, quantas lombadas viram nas ruas?

        Curtir

        • Guilherme: é bem comum fazer traffic calming na Europa com o emprego de quebra-molas. Eles têm um formato um pouco diferente dos nossos, mas existem.

          Curtir

  7. Ótima proposta.

    Curtir

  8. Gostei da proposta, pois praticamente todo mundo começa a pedalar por lazer, mas se rapidamente se percebe que se pode vencer longas distâncias com pouquíssimo esforço.

    Curtir

  9. Passando pela região do Estádio Beira Rio dá para se ter uma ideia já de como é a fatídica duplicação da Av. Beira Rio. Trata-se de um número descomunal de pistas separando a orla da cidade. Não há projeto do Lerner ou semáforos que tragam a população de volta quando a própria prefeitura quer vê-la longe.

    Curtir

    • Amiguinho, quantas orlas no mundo tem avenidas perto? A questão é que o espaço de aproveitamento da orla por si só já é bem maior do que a barranca que nós temos.

      Curtir

  10. Saudades do Olívio!!!, esta tu me derrubou, gosto do blog, mas tá forçando a barra falando desta forma unilateral, sou parcialmente a favor do projeto do vereador ciclista, mas para fechar tem que ter ruas, coisa que o partido dele não é chegado em construir, Sou ciclista e ando na apertada ciclovia que foi construída lá e acho que o parque Marinha do Brasil perde um importante acesso quando bloqueada a pista da Beira Rio.

    Curtir

  11. Nunca fiquei tão satisfeito em dar um voto para um político como agora com o Vereador Sgarbossa!

    Curtir

  12. “A medida, no entanto, foi suspensa em janeiro de 2012, após um novo decreto do prefeito José Fortunati (PDT).”

    Não sei por que isso não me surpreende…

    Curtir

  13. Fora que ela tem que funcionar em dias de jogo do Inter senão perde o sentido da duplicação da Avenida…

    Curtir

    • Vai estar bloqueada esta avenida nos jogos da copa. Isso é padrão Fifa (qualquer parte do mundo não se incentiva o pessoal ir de carro pra jogos).

      Então não tem muito problema de deixar pelo meno 1 sentido bloqueado para o pessoal que utiliza o gasometro como lazer.

      Curtir

      • Ninguém falou em jogos Copa, e sim do Inter. E tem problema sim trancar a via. Pelo visto tu fala por falar, sem nunca ter ido ao jogo de futebol.

        Curtir

        • Eu já voltei do Beira-Rio de carro em dia de jogo, e o que posso dizer é que, antes da duplicação, a operação da EPTC de colocar a Beira-Rio em um sentido só já funcionava muito bem. Essa operação dava efetivamente três faixas, que é exatamente o que vai ter em cada sentido da avenida duplicada.

          Como eu disse em outro comentário, faria sim muito sentido isolar o lado Centro-Bairro para via de lazer no final-de-semana. O fluxo do Beira-Rio ficaria no outro lado, podendo até ser reversível para comportar saída e entrada do jogo. A Avenida Atlântica, em Copacabana, funciona mais ou menos assim nos domingos.

          Curtir

  14. O único senão da medida é que sábado é dia útil, e com a Padre Cacique fechada, o trânsito para a Zona Sul fica extremamente comprometido (domingo já um caos). Acho que só seria viável a medida após a conclusão das obras.

    Curtir

  15. Não sou grande fã de espaços de lazer com hora de abertura e fechamento, mas adorei a notícia, até melhora minha imagem em relação a duplicação. Ao menos aquelas pistas serão usadas para convívio também. Imagino que talvez derrubem ou modifiquem a proposta, mas se conseguirem fechar um dos sentidos apenas já é uma vitória.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: