BM usa gás lacrimogêneo e balas de borracha contra indígenas

Grupo teria tentado invadir sede do governo do Estado, em Porto Alegre

Grupo teria tentado invadir sede do governo do Estado, em Porto Alegre Crédito: Tarsila Pereira

Grupo teria tentado invadir sede do governo do Estado, em Porto Alegre
Crédito: Tarsila Pereira

Durante protesto de grupos indígenas em frente ao Palácio Piratini, no Centro de Porto Alegre, a Brigada Militar (BM) utilizou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar a multidão, que teria tentado invadir o prédio da sede do governo do Estado na tarde desta sexta-feira.

Mais cedo, o governo gaúcho informou que iria encaminhar um ofício aos representantes indígenas, anunciando as próximas medidas adotadas pelo Executivo para tentar solucionar o impasse que envolve a demarcação de terras para as tribos do Estado. A informação foi confirmada pelo secretário da Justiça, Fabiano Pereira.

Entretanto, já que o documento não foi entregue, os indígenas resolveram agir. Segundo o cacique Luiz Salvador, da comunidade indígena de Rio dos Índios de Vicente Dutra, houve abuso da BM quando os indígenas tentavam se organizar para receber o documento no Palácio Piratini.

Ao menos quatro pessoas ficaram feridas, todas indígenas. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) levou um adulto ao Hospital de Pronto Socorro (HPS) da Capital, com intoxicação. Populares ainda socorrem uma criança e dois adolescentes que também foram intoxicados pelo gás lacrimogêneo.

Junto aos índios na Praça da Matriz estão também representantes de centrais sindicais, que protestam em função do Dia Nacional de Luta e Mobilização, e integrantes do Bloco de Lutas Pelo Transporte Público.

Com informações do repórter Voltaire Porto e Luis Sérgio Dibe

copa

indios2Fotos: Tarsila Pereira

Correio do Povo



Categorias:Manifestações, violência

Tags:, , , ,

16 respostas

  1. Acho muito grave essas afirmações de que os índios “iriam entrar e quebrar tudo”, ou “iriam botar fogo”…que prova se tem disso?

    Curtir

  2. E o policial que teve o pé machucado por uma lança?
    Ninguem lembra?

    Se a BM peida ja ficam loucos da vida, se deixam entrar e tocar fogo, vão achar um absurdo, ai complica mesmo.

    Curtir

    • Não lembro mesmo. Foi nessa manifestação ou é uma daquelas generalizações suuuuuper úteis?

      Curtir

  3. Certamente essa história tem dois lados, os direitos dos índios e a forma como a Brigada Militar trata dos cidadãos, ao se ver a as imagens, concluiu-se que foi desnecessário as atitudes comandadas por essa Instituição que se acha acima de tudo e de todos.

    Certamente, essas atitudes como as demonstradas no Palácio Piratini, Paço Municipal, contra os trabalhadores em geral, serão de grande valia para atacar o Governo que tentará a reeleição.

    Ou o Governador muda esse comportamento dessa Instituição ou em breve receberá os corpos no colo como presente.

    Aliás, já vimos no Paço Municipal o caso do cidadão que ficou a espera de atendimento pelo SAMU, sobrou para o Prefeito os devidos esclarecimentos.

    Para não esquecer, não vi em nenhum momento, desculpas por parte do erário público municipal.

    E Agora José e Tarso??????????????????????????????

    Curtir

  4. Foram tentar invadir o local errado, se fosse na prefeitura ou câmara de vereadores o caminho estava livre, mas tentaram a sede do governo do estado e apanharam covardemente. A propósito de Brigada, o que essa instituição decadente fez na quarta-feira antes do jogo do Grêmio foi covardia.

    Curtir

  5. A Brigada e o Governo do RS são tão covardes, tão intransponíveis e sem diálogo que consegue tocar bomba e gás em +- 10 indígenas que protestavam pela demarcação territorial.
    “Democracia” pra que(m)?!
    Quem policia a polícia?

    Curtir

    • Não, Democracia também é respeitar os canais e processos democráticos estabelecidos. E quem não respeita essa ordem, querendo impor seus projetos próprios, está sujeita a ser repelido pela força que protege esse estado democrático.

      Curtir

      • Imagino que o canal seja mendigar?

        Curtir

      • Essa canais exigem contratação de advogados, estudos ou até contratação de empresas que conheçam os meandres desses canais. Como indígenas conseguirão dinheiro para usar esses canais? Grilando suas próprias terras?

        Curtir

  6. Qual o destino dos índios como grupo? Modernização. Internamente eles já não querem ser os índios de 500 anos atrás. Atualmente são grupos de baixíssima renda com histórico cultural diferenciado. Mas daqui 500 anos quem vai querer ser índio e viver no mato e implorar ajuda do governo para isso?

    Curtir

    • estado democrático de direito: você não vê por aqui.

      Curtir

      • Índios: reservam-se no direito de viverem em reservas com leis próprias fora do estado democrático de direito. Além do quê, não falei a favor do fim deles, apenas comentei o óbvio: o fim é inevitável.

        Curtir

  7. Absurdo o que esses índios querem, a desapropriação de milhares de pequenos agricultores (com menos de 50 ha), que ocupam essas terras há quase um século, produzindo alimentos e sustentando, para formar uma reserva com apenas algumas centenas de indígenas. É praticamente uma reforma agrária ao contrário.

    Curtir

    • Não tenho opinião formada, mas sempre é bom lembrar há quanto tempo os indígenas ocupavam essas terras antes dos brancos chegarem. E também que os indígenas não estão lutando somente pelas terras, mas pela devida realocação e indenização a esses agricultores.

      Curtir

      • É importante lembrar que os indígenas mudavam-se de local em local, jamais conhecendo os conceitos de propriedade e produção em escala.

        Curtir

  8. Está demais essa esculhambação, agora qualquer grupelho acha que pode trancar rua a qualquer hora, invadir Câmara de vereadores ou Palácio do governo e quebrar tudo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: