Salgado Filho inicia a sua modernização

Aeroporto deve receber três grandes investimentos até o final do ano que vem

Salgado Filho deve receber série de investimentos  Foto: Gabriel Heusi / Divulgação PMPA / CP

Salgado Filho deve receber série de investimentos Foto: Gabriel Heusi / Divulgação PMPA / CP

Dos três investimentos fundamentais para a modernização do Aeroporto Internacional Salgado Filho — novo equipamento antineblina e ampliações do terminal de passageiros e da pista — o primeiro será entregue na primeira quinzena de outubro se não voltarem as chuvas fortes. O segundo é prometido para maio do ano que vem e o último deve ser inaugurado até dezembro de 2015.

Das obras, apenas uma está em andamento e com 90% da sua estrutura física concluída. É a do Instrument Landing System (ILS II). Sua casa de força está pronta e sete das nove torres de iluminação do Auxiliary Light System (ALS), já foram concluídas, a exemplo das luzes do eixo da pista, segundo informa o superintendente do aeroporto, Carlos Alberto da Silva Souza.

Quando entrar em operação, o ILS II permitirá pousos e decolagens de aeronaves com 400 metros de visibilidade horizontal e 30 metros de visibilidade vertical. Hoje os limites são de 800 metros e 60 metros. É um investimento de R$ 70 milhões. “Haverá ganho operacional de 50% ao aeroporto”, resume Souza. “Se a visibilidade ficar abaixo dos novos parâmetros, paralisa tudo, são as normas da aviação”, lembrou.

No cronograma da primeira fase de expansão da estação de passageiros, empreendimento orçado hoje em R$ 181 milhões, a empresa vencedora da licitação, Espaço Aberto, começará a obra quando firmar, junto aos bancos, o contrato do seguro da obra. Esse processo não deve demorar muito tempo, mas “é exigência da legislação”, explicou o superintendente.

Em termos físicos, a ampliação corresponderá a mais 23 mil metros quadrados de área construída. Garantirá movimentação de mais 3 milhões a 4 milhões de passageiros por ano e deixará o espaço total do terminal com 60 mil metros quadrados. A média atual de circulação é de 8 milhões de passageiros ao ano. No sentido geográfico das obras elas ocorrerão “no lado esquerdo de quem sai do aeroporto” orienta Souza. O prazo de conclusão, estimado para ocorrer antes da etapa dos jogos da Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre, embora pareça, não é curto, na avaliação do superintendente. Ele observa: “Trata-se de uma construção moderna, toda feita por sistemas de módulos”.

Dúvidas pairam sobre a nova pista

Até dezembro a obra da ampliação dos 2.280 metros atuais da pista do aeroporto em 930 metros será lançada. “Os editais estarão prontos”, projeta o superintendente Carlos Souza. Voos de longa distância sem escalas serão possíveis. Grandes aviões, de passageiros e de cargas, poderão decolar com ocupação total, porão e tanque de combustível cheios. Mais peso exige mais pista. Já foram concluídas as transferências de moradores do entorno. O prazo da obra é de 18 a 24 meses. “Será feita só nas madrugadas devido às operações”, diz Souza.

A custos de hoje a ampliação exigiria R$ 230 milhões, porém, se os recursos faltarem, “o PAC fará a complementação, isso já está decidido”, informa o superintendente. Conforme Souza, há outros investimentos em execução no Aeroporto Salgado Filho. São os casos, por exemplo, de reformas nos banheiros, nova sala de desembarque e mais uma esteira (são três hoje) para deslocamento de bagagens. Essas modificações serão finalizadas em novembro, assegura. Em seu conjunto, os investimentos há vários anos são reclamados por passageiros e empresas.

Coordenador do Conselho de Infraestrutura da Fiergs, Ricardo Portella Nunes não põe em dúvida prazos anunciados de início e término da agenda de obras, só não consegue abandonar seu ceticismo. O novo terminal entrou em operação em setembro de 2001, “mas esperamos o fim desses gargalos há uma década. Sempre vem alguma coisa contra: ou do Patrimônio Histórico, ou do Ministério Público, ou do Tribunal de Contas, ou dos ambientalistas e sempre voltamos ao marco zero. Só na estreita BR 116 os gaúchos perdem R$ 5 milhões por dia”, assinalou.

Correio do Povo



Categorias:Aeroporto Internacional Salgado Filho, Aviação

Tags:, , , , ,

8 respostas

  1. Vão acabar com o puxadinho da TAM e fazer a ampliação do terminal como tem que ser feita? Ou vai ser o puxadinho^2?

    Curtir

  2. Uma das obras de modernização é o famoso “Puxadinho”. Realmente fantástico, maravilha de aeroporto, coisa de primeiro mundo. Agora sim, contaremos com um aeroporto sensacional!

    Curtir

  3. Esteiras arcaicas? Não entendi essa.
    “no lado esquerdo de quem sai do aeroporto” orienta Souza. Acho que está equivocada esta informação é “no lado direito” de quem sai do aeroporto.

    Curtir

  4. Na “terra das eternas promessas” so acredito depois de pronto….

    Curtir

  5. As notícias de ampliações são boas, mas está longe do ideal (exemplo: vamos continuar com as esteiras arcaicas).

    Fazendo uma regra de três básica: R$ 247 milhões o km de pista! Isso procede?
    Alguém com mais conhecimentos poderia esclarecer, por favor?

    Curtir

    • Quais esteiras tu menciona?

      Sobre o preço, eu acho que nós não temos conhecimento de preços de pistas de pouso de aviões pra dar opinião sobre esse preço.

      Curtir

      • Exato. Como se fosse simplesmente tocar asfalto por cima da terra.

        Tem aviões com várias toneladas “batendo” nela. É necessário um preparo muito especial.

        Curtir

    • Pista de aeroporto não é uma coisa simples. Não é só jogar um asfalto e pronto. A camada de asfalto tem que ser bastante profunda (metros até onde sei), especialmente no ponto de toque, pois do contrário o piso se desmancharia no primeiro pouso.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: