PIB gaúcho cresce 15,0% no segundo trimestre e 8,9% no semestre

Da Redação

Segundo análise da FEE (Fundação de Economia e Estatística), o Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul cresceu 15,0% no segundo trimestre de 2013, na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. O principal destaque foi o crescimento de 111,7% da Agropecuária, impulsionada pelo aumento nas produções de soja (114,6%) e de milho (69,6%). A indústria como um todo expandiu-se 3,9%. A indústria de transformação cresceu 4,6%, com destaque para as atividades de máquinas e equipamentos (11,5%), borracha e plástico (15,2%), bebidas (20,6%) e veículos automotores (13,8%). A construção civil aumentou 4,0%, e as demais indústrias caíram 0,3%. O setor de serviços cresceu 3,4%, com todas as atividades expandindo-se. O comércio teve acréscimo de 2,5%, com os principais impulsos vindos das vendas de equipamentos de informática, materiais de construção e de combustíveis. A atividade de transportes aumentou 8,5%, incentivada pelas demandas da agropecuária e da indústria de transformação. Aluguéis cresceram 2,8%, administração pública, 3,3%, e os demais serviços, 2,9%.

Fonte: FEE/CIE/Núcleo de Contas Regionais.

Fonte: FEE/CIE/Núcleo de Contas Regionais.

No primeiro semestre do ano, comparado com igual período do ano anterior, o PIB gaúcho cresceu 8,9%. A agropecuária teve um acréscimo de 60,1%, com significativo desempenho da soja. A indústria expandiu-se 1,6%. A indústria de transformação cresceu 2,0%, amparada nos aumentos das produções das mesmas quatro atividades que impulsionaram o setor no segundo trimestre. Já a construção civil cresceu 1,9% nessa base de comparação. As demais indústrias caíram 1,6%. Os serviços expandiram-se 2,8%, tendo como destaque novamente a atividade de transportes, com aumento de 4,2%. O comércio cresceu 2,8%, os aluguéis, 2,6%, a administração pública, 3,3%, e os demais serviços, 2,0%.

SUL 21 – Com informações da FEE



Categorias:Economia Estadual

Tags:, , ,

8 respostas

  1. E continuamos na m****.

    Mas ja é um baita numero.

    Curtir

  2. Os dados sempre os dados, que não correspondem em nada com a realidade! Se observamos o grau de miséria presente nas ruas da capital (realidade brutal) e a das muitas vilas, não resta dúvida de que este pibão é pura falácia. Apelação total, lavagem cerebral ostensiva, tudo para beneficiar o hominho instalado lá nas portentosas instalações do palácio e negar que infelizmente o Rio Grande do Sul está ficando cada vez mais para trás.

    Curtir

  3. Ou seja, ainda somos um estado essencialmente agrícola.

    Pobre Rio Grande!

    Curtir

  4. Muito cuidado com as falsas interpretações. Os 15% são em relação ao mesmo trimestre do ano passado, onde houve um péssimo desempenho decorrente de uma seca, onde o crescimento foi de -5,2%.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: