Mercado Público comemora 144 anos hoje

Mercado Público Central de Porto Alegre Foto: © Gilberto Simon

Mercado Público Central de Porto Alegre Foto: © Gilberto Simon

Mercado Público Central de Porto Alegre Foto: © Gilberto Simon

Mercado Público Central de Porto Alegre Foto: © Gilberto Simon

O Mercado Público de Porto Alegre completa 144 anos, nesta quinta-feira, 3 de outubro. O aniversário será comemorado com um ato festivo que acontecerá às 11 horas, na área central do Mercado, com a presença do prefeito em exercício, Sebastião Melo, autoridades, permissionários e consumidores.

Referência cultural, política, social e econômica do Estado, é ponto turístico bastante visitado. Possui restaurantes tradicionais e oferece produtos de qualidade e raridades que o consumidor só encontra em suas bancas, praticando uma boa política de preços. O local também é um espaço para manifestações culturais e comunitárias.

História – Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre, o Mercado Público foi inaugurado em 1869 para abrigar o comércio de abastecimento da cidade. Tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural do município em 1979, sofreu quatro incêndios (1912, 1976,1979 e 2013) e resistiu à grande enchente de 1941. O Mercado é administrado pela prefeitura, por meio da Secretaria da Produção, Indústria e Comércio (Smic).

As bancas ficam abertas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 19h30, e sábados das 7h30 às 18h30. Os restaurantes funcionam até as 23 horas.

Prefeitura de POA

Restaurantes voltarão a operar durante restauro de telhado

Prefeito em exercício fez anúncio no aniversário de 144 anos do Mercado Público

Embora ainda sem data definida, o prefeito de Porto Alegre em exercício, Sebastião Melo, anunciou nesta quinta-feira – dia em que o Mercado Público completa 144 anos – que os oito restaurantes do segundo andar, danificados pelo incêndio de julho deste ano, voltarão a funcionar mesmo que de forma limitada. Em entrevista à Rádio Guaíba, Melo reforçou que para reabri-los totalmente é necessário a recuperação do telhado do prédio histórico.

Porém, ainda não se sabe quando as obras de reparo vão iniciar. “Eu estive reunido com os oito permissionários que tiveram perda total no andar de cima e estamos realocando eles na área que hoje é destinada aos eventos do Mercado Público. Vamos produzir uma obra provisória”, indicou Melo.

Segundo ele, o prefeito José Fortunati está finalizando as tratativas com a presidente Dilma Rousseff para assinar o documento que autoriza as obras de restauro do telhado do Mercado Público. “Vamos instalar cinco cozinhas para atender os oito estabelecimentos que seguem fechados. Eles vão ter que reduzir a quantidade de pratos, por exemplo. Mas vão sobreviver durante esse período das obras”, ponderou. “E aí depois eles voltarão para a parte superior do Mercado Público”, afirmou.

O incêndio

O Mercado Público da Capital foi reaberto no dia 13 de agosto, pouco mais de um mês após o quarto incêndio de sua história. O sinistro ocorreu na noite de 6 de julho. Por volta das 21h, cerca de 20 minutos depois do começo do incêndio, boa parte do segundo andar já havia sido consumida pelas chamas.

Diversas explosões ocorreram dentro do edifício, provavelmente provocadas por explosões de botijões de gás. O incêndio chamou a atenção de muitas pessoas, que se concentravam nas cercanias do prédio histórico. Dois dias depois, foi constatado que um curto-circuito de grande proporção foi responsável pela propagação das chamas. (Correio do Povo)



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Patrimônio Histórico

Tags:,

5 respostas

  1. O Mercado Público segue inacreditavelmente funcionando com horários proibitivos. Fica morto depois do horário de expediente durante a semana (ou será até 20h? não lembro) e simplesmente não abre a contento nos finais de semana, que é quando a gente honesta pode sair pra passear (risos).

    Curtir

  2. Deveria ganhar de presente uma revitalização decente do entorno, como retirar aquela porcaria de terminal Parobé dali e refazer calçadas com alta qualidade, implantar paisagismo, enfim todo um banho de boa estética nos seus arredores. Ah, se o Jaime Lerner fosse o prefeito!

    Curtir

    • O terminal Parobé precisa de manutenção, mas não diria que é uma porcaria.
      O que precisa urgente de uma reforma é aquela parte de venda de frutas que tem ao lado do terminal, aquilo dai é mal iluminado e passa a impressão de sujeira.

      Curtir

  3. Lindas imagens! Chaga a dar raiva o abandono do centro…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: