Dom Sebastião: uma praça que precisa ser revitalizada

Dom Sebastião, uma das mais centrais e antigas praças de Porto Alegre precisava de uma revitalização. Está com manutenção descuidada, pisos irregulares, sem cuidado algum, monumentos da praça em estado de miséria, placas foram roubadas e não recolocadas, serve de dormitório para indigentes (que novidade), os quais fazem fogo próximo a árvores.

Na praça encontramos o respiradouro de concreto do túnel da Conceição, com esculturas em ferro do Xico Stockinger, completamente enferrujadas e sem manutenção ha pelo menos desde a inauguração do Túnel, em 1972. O cenário é de completo abandono.

Veja como era no passado:

Praça Dom Sebastião - década de 40.

Praça Dom Sebastião – década de 40.

 

Até 1884 seu nome era praça da Conceição. Neste ano passou a ser Dom Sebastião.

Em 1889 a praça foi nivelada e ajardinada e, em 1904, recebeu o gradeamento que pertenceu às praças Marechal Deodoro e XV de Novembro.

Em 1920, as velhas paineiras, que já haviam crescido desmesuradamente, foram abatidas.

“Em 1925 foram removidos os gradis e, em 1935, a praça foi totalmente remodelada, sendo ajardinada em um padrão geométrico, e recebendo uma fonte luminosa e cascatas artificiais, onde se colocaram as quatro estátuas de mármore remanescentes das cinco estátuas as quais, entre 1866 e 1910, adornavam um magnífico chafariz de mármore importado de Carrara, Itália, no centro da Praça da Matriz, personificando os grandes rios da bacia do Guaíba: Cahy, Gravatahy, Sino e Jacuhy, conforme a grafia antiga na sua base. Chafariz este o qual constituía-se como o primeiro monumento comemorativo a ser instalado ao ar livre no Rio Grande do Sul, montado com esta configuração comemorativa por ideia do arquiteto José Obino. Infelizmente todas estátuas do grupo já foram depredadas repetidas vezes, entre 1935 e os dias atuais, e se encontram em mau estado de conservação, apesar de já terem sido restauradas mais de uma vez, pondo a perder talvez o único conjunto remanescente de estatuária pública em mármore do século XIX na cidade. Na década de 1990, as cascatas foram desmontadas e aterradas, e as estátuas foram reinstaladas em um novo chafariz luminoso criado no centro da praça.” (wikipédia)

Um detalhe que não entendo em Porto Alegre é por que as fontes não são mantidas. Outra fonte que perdemos, que era inclusive luminosa. Uma pena, Porto Alegre !

Agora vejam as fotos tiradas uns dias atrás. Merece ou não uma revitalização?



Categorias:Abandono, Arquitetura | Urbanismo, Paisagismo, Parques da Cidade

Tags:, , , , , , ,

13 respostas

  1. Revitalização nessa praça, só se for à portuguesa! 😉

    Curtir

  2. a praça julio de castilhos, desde foi adotada pelo hospital moinhos de vento, esteve sempre impecável. parabéns! a propósito, o colégio rosário bem que poderia adotar a dom sebastião…

    Curtir

  3. Sabado agora pssei numa praça ali perto da Independência, fiquei espantado, a praça bem cuidada e com os chafarizes funcionando.
    Muito bom.

    E acreditem, a praça foi “privatizada” pelos malditos capitalistas que adotaram ela…

    Curtir

  4. Obras de revitalização durante alguns meses… pichada novamente na semana seguinte. Até quando haverá tanta tolerância com esses marginais ?

    Curtir

  5. Acredito que as pessoas não se importariam em pagar um IPTU mais alto, por exemplo, desde que pudessem viver em em uma cidade mais bem cuidada.

    Curtir

  6. E tudo POA sendo a 13ª no ranking da carga tributária municipal com R$ 1.210.740,464,86 arrecadados com a media per capita de R$ 854,61.

    http://www1.folha.uol.com.br/infograficos/2013/10/78512-ranking-da-carga-tributaria-municipal.shtml

    Curtir

  7. Minha impressão é que a cidade não está bem cuidada, mas também de que já esteve bem pior. Também tenho a impressão de que mesmo após certas revitalizações nos espaços, pouco muda ou logo em breve tudo já adquire um novo aspecto degradado. É que tais trabalhos levados a cabo nesta capital onde torram-se milhões são a bem da verdade trimedíocres, nada contemporâneos e nos quais são empregados materiais vagabundos, de baixa qualidade mesmo e que acabam gerando resultados estéticos sofríveis via de regra. Enfim, se formos parar para pensar bem diferente de outros locais em que se fazem restaurações e revitalizações, os espaços da capital gaúcha mudam muito pouco e praticamente não melhoram após estas intervenções, porque falta competência e sobra proteção de mercado para “profissionais” locais. Para ilustrar vejam o quanto um trabalho decente pode gerar efeitos positivos no espaço público visualizando o antes e depois do entorno recentemente revitalizado da maravilhosa estação Constituición de Buenos Aires.
    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1646565&page=7

    Curtir

  8. Sim, Porto Alegre esta na UTI. Porém eu tenho uma dúvida, como estão as finanças da cidade, alguém sabe? Falta dinheiro e sobra projeto ou o contrário? O prefeito vive reclamando da falta de recursos, mas isso é motivo para deixar a cidade do jeito que esta? Muitas dúvidas.

    Curtir

  9. Enquanto isso, nos maravilhosos parques de Curitiba…

    Parques e praças. Há uma praça do Centro, entre a Universidade Federal e o Teatro, que lembra a nossa da Alfândega, é linda e maravilhosa, e tem um imenso chafariz central com águas dançantes.

    Aliás, é só um dos chafarizes do Centro, pois a Rua da Praia deles, é toda florida, é cheia de cafés na calçada, e cheia de vida a noite – também tem seus grandes chafarizes.

    Ah, voltando àquela praça do Centro, na frente do Teatro… lembro que ela não tem pracinha com cores berrantes pra criança.

    Curtir

  10. Isso é uma triste característica de Porto Alegre, a total falta de manutenção da cidade!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: