Mais qualidade menos caixotes

Porto Alegre tem uma das 10 maiores rendas per capita do país. No entanto, parece que os endinheirados consumidores não fazem muito exigência em questão de arquitetura de prédios residenciais.  Basta ver os lançamentos imobiliários: uma coleção de caixotes e pombais, como o Múcio 60 (abaixo)  Me pergunto porque?

Mais abaixo, dois exemplos de arquitetura residencial que me deparei essa manhã navegando na net.  O primeiro é de uma prédio de apartamentos em Melbourne, Austrália.  O segundo é em Beirute, uma cidade pouco lembrada a não ser por guerras civis mas que tem uma veia arquitetônica bem invulgar e lições a dar a nossa rica capital.

O Líbano está no 85º lugar na lista dos paises mais ricos. O Brasil é o sétimo.

The_Wave_Apartments,_Gold_Coast,_QLD,_AU

beirut-terraces



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:, , ,

36 respostas

  1. Mas ninguém respondeu: porque em Porto Alegre se constrói tão mediocremente? Porque, temos os prédios entres os mais feios do país – incluindo os prédios NOBRES, que parecem caixotes dos anos 60?

    Olha, pombal e caixote tem em todo o país, mas no resto do país, pelo menos os predios nobres são belos. Tem curvas. São sinuosos. São diferentes. São audaciosos. Tem design até quando são discretos. Há prédios sem nada demais, mas com leveza.

    Vejam os predios de Fortaleza, Salvador, BH, Curitiba…

    Nessas cidades há prédios belos – e muitos.

    ____________________________________________

    Curtir

  2. Sério que o primeiro exemplo mostrado é sinônimo de boa arquitetura pra vocês? Eu o achei horrível. Quase no mesmo nível que esse prédio de Porto Alegre. A diferença é que lá eles foram “ousados”, enquanto o nosso é mais do mesmo. Já o segundo exemplo, aí eu concordo, é lindo!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: