Corredor de ônibus da Zona Sul começa a funcionar dia 11

Com 4,5 quilômetros, faixa prioritária fica entre a Costa Lima e a Eduardo Prado  Foto: Divulgação/PMPA

Com 4,5 quilômetros, faixa prioritária fica entre a Costa Lima e a Eduardo Prado Foto: Divulgação/PMPA

A partir do dia 11, segunda-feira, começa a operação no novo corredor de ônibus da Zona Sul da Capital. A faixa prioritária, que fica no eixo das avenidas Cavalhada, Nonoai e Teresópolis, terá 4,5 quilômetros de extensão, entre a rua Costa Lima e a avenida Eduardo Prado. O horário de operação será das 6h às 9h e das 16h às 20h, de segunda a sexta-feira, nos dois sentidos da via. Além da divulgação nos meios de comunicação, a partir de quinta-feira, 7, serão distribuídos à população cerca de 5 mil folhetos informativos sobre as mudanças no trânsito na região.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, explica que o objetivo é melhorar a mobilidade na região e estimular o uso do transporte público. “O número de carros aumentou muito nos últimos anos e hoje não existe espaço para transitar com agilidade pelas vias se todos, ao mesmo tempo, circularem com seus veículos particulares. Nós não somos contra o uso do carro, até porque essa é uma realidade com a qual temos que conviver. Mas queremos que mais pessoas utilizem o transporte coletivo e que aquelas que optarem por essa mudança de hábitos sejam beneficiadas com agilidade e qualificação do transporte público”, afirmou Cappellari.

As faixas horárias de operação foram definidas levando-se em conta a velocidade dos ônibus e volumes de tráfego. O corredor foi implantado à direita da via, com sinalização horizontal específica na cor azul e sinalização vertical regulamentando o uso. O projeto redefiniu o posicionamento das paradas com o objetivo de, junto com a faixa prioritária de circulação, dar mais velocidade à operação, reduzindo os intervalos, atrasos e tempos de deslocamento dos usuários. Todos os abrigos foram substituídos pelas Paradas Segura, com iluminação, piso especial, piso tátil, bancos e lixeiras.

No trecho do corredor prioritário, haverá 33 pontos de paradas, sendo 16 no sentido bairro-centro e 17 no sentido centro-bairro. Naquele eixo, operam 45 linhas do transporte coletivo, com 2,2 mil viagens, transportando 126 mil passageiros por dia. Com os 4,5 quilômetros, serão 60 quilômetros exclusivos para deslocamento de ônibus na Capital.

Possuem corredores exclusivos as seguintes vias: Bento Gonçalves, Protásio Alves, Osvaldo Aranha, Assis Brasil, Farrapos, Sertório, Baltazar de Oliveira Garcia, Cristóvão Colombo, Independência, João Pessoa, Érico Veríssimo e 3ª Perimetral.

Veja as regras para utilização do novo corredor da Zona Sul *

O horário de funcionamento do corredor é das 6h às 9h e das 16h às 20h. Veja como serão as regras de circulação para cada tipo de veículo:

Ônibus e Lotações

Devem trafegar somente na faixa da direita, demarcada como corredor preferencial e caracterizada com a pintura azul.

Carros, Táxis e Outros Veículos Motorizados

Devem trafegar fora do novo corredor de ônibus, rodando somente nas faixas do centro e à esquerda. Podem acessar o corredor prioritário sempre que forem realizar uma conversão à direita, bem como se o destino for acessar algum estabelecimento comercial ou particular, localizado próximo à nova faixa prioritária. Carros e táxis não podem, em hipótese alguma, permanecerem parados ou estacionados no corredor.

Bicicletas

Devem trafegar no corredor, que é a faixa mais à direita da via, junto ao meio fio. Todos os veículos devem sempre respeitar o ciclista e seu tempo de deslocamento, guardando uma distância mínima de 1,5 metros.

* Conforme normas do Código de Trânsito Brasileiro

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

29 respostas

  1. Eu me refiro a este como um “corredor” entre aspas mesmo, porque nada mais é do que uma faixa exclusiva para ônibus, e que nunca vai cumprir integralmente a sua função, pois os carros particulares têm livre acesso a essa pista.
    Claro que o ideal seria um corredor no meio da avenida como os demais de Porto Alegre, mas aí se teria que derrubar as árvores do canteiro… e ninguém quer isso.

    Curtir

  2. Quero ver a EPTC multar por parada ilegal. Quando a letra E está tachada duas vezes é proibido estacionar e proibido parar, mas nunca soube de ninguém levar multa por parada ilegal. Agora com essa faixa para ônibus, não pode haver parada de forma alguma!

    Curtir

    • Só que essas faixas nesse lado da pista gera um problema ao não permitir parar: E quem quiser apenas desembarcar ou embarcar, como caronas e taxistas?

      Curtir

      • Que entre em uma rua lateral ou entre na garagem.

        Curtir

      • Placa de parada e estacionamento proibido (letra E tachada 2X) não é novidade. Não pode, não pode em nenhum hipótese. Procure outro lugar para desembarque (antes, mais adiante, rua lateral…).

        Curtir

      • Aliás isso é um “virus” dos usuários de carros. Tem que embarcar/desembarcar/estacionar exatamente onde precisa. No supermercado, por exemplo, as pessoas passam horas rodando o estacionamento para deixar na “cara” da entrada do estabelecimento. Só falta querer entrar com o carro dentro do estabelecimento e deixar lá. Custa caminhar um pouco?

        Curtir

  3. Assim que deve ser um corredor, na faixa da direita.
    Só me preocupo com os ciclistas, mas acho que eles tem mais noção das coisas do que os carroceiros que ja vi quase causarem acidentes.

    Só acho que falta alguma coisa a mais pra deixar bem claro que ali é faixa de onibus, mesmo não sendo 24 horas por dia, mas pra lembrar bem nos horários de pico.
    Alguns olhos de gato, mas nada muito próximo.

    Curtir

  4. acho interessante essa mudança da pista dos ônibus para o lado direito da via, sendo que os carros podem eventualmente usar a mesma para conversões e acesso ao comércio… pode funcionar

    Curtir

    • É uma pista mais lenta e por isso deve ter menos eficiência que o corredor central, mas é melhor que nada. Fora isso tem o problema com veículos mais lentos como bicicletas.

      Curtir

      • Ainda é melhor que utilizar uma faixa apenas para deixar carros parados. É uma ação meio paliativa ainda, mas futuramente (bem no futuro) quem sabe não fazem um corredor mesmo, ao centro da via, com as ciclofaixas à direita, ou mesmo uma linha de metrô ou aeromovel, afinal, é a prolongação de um importante eixo da cidade (a 3ª perimetral).

        Curtir

      • Em Londres as faixas exclusivas para o transporte público são “na direita” (na mão inglesa, à esquerda) e os motoristas do transporte público são treinados para respeitar e dividir a via com os cilcistas, e por lá dá certo. Seria interessante se algo assim funcionasse por aqui…

        Curtir

  5. Quero ver os motoristas de ônibus respeitar os ciclistas. Duvido!

    Curtir

    • Quero ver os ciclistas respeitar os demais no trânsito. Duvido!

      Curtir

    • Sou ciclista, e por incrível que possa parecer, os motoristas de ônibus e lotação são os que mais respeitam. Os que mais desrespeitam, na minha experiência, são taxistas e condutores de automóveis estilo caminhonetes/CR-Vs.

      Curtir

      • Exatamente o que eu sempre falo.

        Curtir

      • A combinação Mulher sozinha + SUV é o que mais me irrita no transito. Geralmente é madame que se acha dona da rua e não respeita NINGUÉM! Seja pedestre, ciclista, carro, ônibus, ninguém! Além de achar que tamanho é documento, ainda anda sozinha em um carro de 7 lugares. É um dos piores vírus do transito, e infelizmente, perfil comum.

        Curtir

  6. EPTC deixando de ser EPTC. Parabéns pela iniciativa.
    Agora vamos fazer isso na Ipiranga, Independencia, Nilo Peçanha, Goethe, 24 de outubro e/ou Cristóvão?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: