Obras para ampliação do Clínicas devem começar até o fim do ano

Contrato para aumentar em 70% a estrutura do hospital foi assinado nesta quinta

Maquete da ampliação. Imagem: HCPA

Maquete da ampliação. Imagem: HCPA

As obras de ampliação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre devem começar até o final deste ano. O contrato para a execução do projeto foi assinado nesta quinta-feira, entre a direção do hospital e o consórcio que irá realizar a construção. O prazo previsto para a conclusão é de 42 meses.

A construção dos anexos I e II vai aumentar em 70% a estrutura do hospital. Atualmente são 126 mil metros quadrados de área construída. O projeto prevê mais 84 mil metros quadrados, no espaço onde hoje está localizado o estacionamento. O novo complexo hospitalar dará atenção especial ao atendimento de pacientes considerados criticamente enfermos. A emergência, por exemplo, irá triplicar o seu espaço, passando de 1,7 mil metros quadrados para mais de 5 mil. O Centro de Tratamento Intensivo (CTI), hoje com 54 leitos, terá 110. Os dois anexos também contarão com 722 vagas de estacionamento no subsolo.

Durante a assinatura do contrato, o presidente do Hospital de Clínicas, Amarílio Vieira de Macedo Neto, destacou que há anos a instituição opera no limite da sua capacidade física. Após a conclusão das obras, haverá um prazo para a instalação de equipamentos. De acordo com o presidente do hospital, a expectativa é de que o novo complexo entre em operação em 2017.

A obra está a cargo do consórcio Tratenge-Engeform. O presidente da Tratenge Engenharia, Renato Salvador, calcula em 36 meses o tempo necessário para a conclusão do projeto. A obra tem um custo total de R$ 408 milhões, recurso oriundo do Ministério da Educação.

Correio do Povo



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Prédios

Tags:,

9 respostas

  1. Pessoal bate palma mas esquece que esse é o procedimento empregado para a quase totalidade das obras públicas em Porto Alegre: licitação por menor preço, que envolve O PROJETO e a construção, muitas vezes em conjunto.

    É o caso da linha 2 do metrô: preparem-se para estações medíocres, banais, como as “obras de arte” em construção (viadutos) na Bento e Oscar Pereira. Assim se plasma uma cidade de merda, feia e inóspita para as pessoas.

    Projeto público pede concurso público.

    PS apenas para registro, eu como todos desejo a melhoria da infra-estrutura hospitalar, mas com um projeto de qualidade, que componha com a notável preexistência e qualifique o espaço público.

    Curtir

  2. 408 milhões do MINSTÉRIO DA EDUCAÇÃO? mas hospital não é responsabilidade do ministério da saúde? bah fiquei na duvida agora

    Curtir

    • Por ser um hospital universitário, ligado a Ufrgs, fica subordinado ao Ministério da Educação.

      Curtir

  3. Só espero que construam direito esses prédios, e não como a última construção da Ufrgs, o “anexo do Demec” que em menos de 2 meses depois de pronto já apresenta infiltrações e os elevadores já estragaram. Fora a falta de planejamento, onde após 4 meses e reclamações de alunos e professores sobre o calor e sol excessivo instalaram quebra-sóis.

    Curtir

    • Eu ia comentar que essa obra é de um hospital, tudo é projetado de forma muito profissional, afinal, é um lugar onde vai se cuidar da saúde das pessoas.
      Mas daí lembrei que estamos no brasil…

      Curtir

  4. Starbucks abrirá onde era o Habibs na Goethe: verdade ou mentira?

    Curtir

    • Aposto que é mentira, pois a Habibs está voltando ao RS em cerca de 3 meses. Não sei se pro mesmo lugar, mas acho que sim.
      Não existe plano de expansão da Starbucks pro sul do Brasil.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: