Prefeitura divulga resultado dos interessados no Metrô da Capital

metro-poaO resultado da avaliação das Propostas de Manifestações de Interesse (PMI) das empresas interessadas na construção do metrô de Porto Alegre será divulgado nesta sexta-feira, 29, às 15h, na sede do Escritório do MetrôPoa, localizado na avenida Padre Cacique, 290. O evento conta com a participação do prefeito José Fortunati e do secretário de Estado de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta. O julgamento e análise das PMI da iniciativa privada, recebidas no dia 18 de novembro, foram realizados pela Comissão Técnica designada pela Prefeitura Porto Alegre e pelo Governo do Estado.

As sete empresas e uma pessoa física que manifestaram interesse em realizar o Metrô tiveram a análise criteriosa da documentação referente à habilitação jurídica, projeto funcional, modelo de negócio e plano de trabalho, conforme solicitado no edital. “Nossa preocupação foi estabelecer parâmetros e critérios adequados à realidade da construção do metrô. Estamos tomando todas as medidas para ter a maior segurança, dando condições para a execução dessa grande obra da cidade”, afirmou o prefeito José Fortunati.

A partir da publicação do resultado do julgamento da comissão no Diário Oficial do Município e do Estado, prevista para dia 2 de dezembro de 2013, as empresas terão o prazo de 5 dias úteis para apresentação de eventual recurso. Todos proponentes autorizados deverão apresentar os Projetos e Estudos Técnicos no dia 12 de março de 2014, entre as 14 e 16 horas, na sede do Escritório do MetrôPoa, localizado na Avenida Padre Cacique, 290, devendo observar os termos do Edital da PMI 001/2013.

O projeto do MetrôPoa tem investimento orçado em R$ 4,8 bilhões. O governo federal destinará R$ 1,770 bilhão a fundo perdido. O investimento da Prefeitura totalizará R$ 1,385 bilhão, somando R$ 690 milhões em financiamento para a execução da obra, R$ 195 milhões para as desapropriações e R$ 500 milhões em 25 parcelas de R$ 20 milhões, como contraprestação do serviço durante a operação. O Governo do Estado fará aporte de R$ 1,080 bilhão em financiamentos e o parceiro privado participará com R$ 1,303 bilhão.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Metro Linha 2

Tags:,

25 respostas

  1. ‘A grande tristeza de Porto Alegre é não ser Florianópolis’, diz Dilma.

    Pelo menos em um ponto ela até está certa. Os vizinhos irmãos, numa prova de transparência pública, visão estratégica e independência de gestão, lançaram primeiramente uma PMI para “Recebimento de estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis.”

    E 7 empresas com expertise em estudos e projetos apresentaram propostas.

    Aqui, em Porto Alegre, o que está sendo alardeado é o que diz o Fortunati: “Será escolhido o melhor, que apresente as melhores condições para construção, com qualidade, custo adequado, conforto e segurança”.

    Até devemos respeitar a qualificação das empresas selecionadas, mas será pouco provável que alguma apresente significativas condições divergentes uma da outra. A construção com TBM (exigência do edital) não permite grandes diferenciais de custos. Qualidade e segurança todas seguem padrões já consolidados. Conforto construtivo?

    Ou seja, vamos aos finalmentes, pois é o que interessa. As eleições estão chegando e é preciso capitalizar os resultados.

    Se os exemplos locais forem seguidos, devemos nos preocupar com o que diz Kerzner (1998): a excelência em gerenciamento de projeto é definida como um fluxo contínuo de sucessos em projetos independentemente de suas dimensões, prazos e orçamentos.

    A propósito – alguém já leu o estudo elaborado pelo Ministério das Cidades/CBTU sobre transporte urbano, onde inclui Porto Alegre? O que mudou? A visão do Ministério? http://www.antp.net/biblioteca/SMN7MF0803T03.pdf

    Curtir

  2. Como assim as empresas apresentarão projetos até 2 de março? Quer dizer que o projeto de uma sistema de metrô será feito em 3 meses? Quer dizer que serão feito 7 projetos de um metrô, será escolhido um deles, e os outros vão para o lixo (como ninguém joga dinheiro no lixo os projetos serão bem básicos, é obvio!).
    Um projeto de metrô envolve o túnel, que não é pouca coisa, estudos geotécnicos, as estações subterrâneas com todos seus sistemas individuais, as subestações elétricas, todos os sistemas de telecomunicações, sinalização, a via permanente, os trens que dependem da definição de vários requisitos anteriores, o controle central e o modelo operacional e administrativo.
    O correto seria a prefeitura fazer o projeto ideal para a cidade e depois de maturado, uma licitação para execução .
    Neste formato teremos projetos bem básicos, feitos por empreiteiras interessadas em por a mão no dinheiro, baseado em médias de custo por quilometro que ficam distante da realidade.
    Este projeto apresenta vários erros: falta de integração com o modal trem, linha paralela muito próxima com a Trensurb, estações muito distantes para a zona mais carregada, o que desencorajará seu uso. As construtoras não irão corrigir as falhas. Mesmo que alguma delas assuma a operação, o prejuízo advindo da solução errada, será compensada pela erário, pois elas nunca põe a perder.
    O que mais escandaliza é que eles dizem que a obra começa em 2015.

    Curtir

    • Parabéns, marco.ac, sua análise é perfeita. Só não vê quem não quer como este “projeto” está sendo conduzido. O prefeito Fortunati só fala em túnel e tatuzão, como se tudo se resumisse a isso. Parece até um empreiteiro. O silêncio da mídia e das autoridades de fiscalização são totais. Sem falar no legislativo municipal. Interessante que das 5 empresas selecionadas, 4 são construtoras ou concessionárias. O escopo desta PMI não era APRESENTAÇÃO DE ESTUDOS DE VIABILIDADE TÉCNICA, AMBIENTAL, ECONÔMICO-FINANCEIRA, JURÍDICA E MODELAGEM DA LINHA DO METRÔ DE PORTO ALEGRE?

      Curtir

  3. Não se esqueçam que quando o Raul Pont foi prefeito, não havia destinação de nem 1 Real de verba federal para o metrô. Melhor, para qualquer metrô no país. Tem que ser muito obtuso para não enxergar o fatod e que quase todas as obras viárias e de infraestrutura possuem recursos federais. Recursos estes que até alguns anos atrás não existiam para os Municípios.

    Curtir

  4. Esse ex-prefeito chama-se Raul Pont.

    Curtir

  5. Invepar/Odebrecht (Rio de Janeiro)
    Construtora Queiroz Galvão (Rio de Janeiro)

    Curtir

  6. Pessoa física? Como?
    “As sete empresas e uma PESSOA FÍSICA que manifestaram interesse em realizar o Metrô tiveram a análise criteriosa da documentação referente à…..”

    Curtir

  7. [fora de contexto]
    Santander (a cidade, nao o banco) tem um projeto interessantissimo de tornar a cidade inteligente por meio da implantacao de diversos sensores, tais como: sensores de estacionamento para indicar as vagas livres; sensores de chuva para controlar a irrigacao; e por ai vai.

    Vale a pena conferir: http://www.smartsantander.eu/

    Curtir

  8. Para não esquecer, talvez a questão de se implantar o metrô esteja conectado com fins eleitorais, para dizer depois ao povo, em período eleitoral, que eu trouxe o metrô para Porto Alegre.

    Por que com um discurso destes, muitos acabam se elegendo, estamos vivendo no Brasil.

    Aliás, o atual mandatário do Paço Municipal de Porto Alegre se elegeu em cima das obras, que depois o mesmo, mandou dizer ao povo que as obras não eram mais prioritárias e não estariam envolvidas com a Copa do Mundo.

    E Agora José, o que pensar sobre isso.

    Curtir

    • Antes um metrô pra ganhar votos do que outros que passaram meio seculo sendo até contra esse sistema de transporte publico.

      Curtir

      • Essa eu nunca tinha ouvido… Quem se mostrou contra o metrô?

        Curtir

        • Não digo que todos os ex prefeitos, nem posso afirmar algo sem fonte, mas já faz alguns anos que fiquei sabendo que teve um antigo prefeito que achava que não precisava de metrô por que Poa era uma província, que os corredores de ônibus resolveriam tudo.

          Porém, como o transito piorou muito na ultima década, pode ser que tenha mudado de ideia, e claro, posso estar enganado e ter escutado apenas um falto boato.

          Curtir

        • Não duvido que tenha sido o Telmo Thompson Flores, afinal, foi esse o cara que desativou os bondes em Porto Alegre em favor dos ônibus, e de lambuja, ainda construiu 6 viadutos na cidade.

          Curtir

      • Se não muito me engano, o metrô para a Zona Norte é algo que se fala desde 1997.

        Curtir

  9. o Aeromóvel seria a solução mais barata a qual se utilizaria os corredores de ônibus já existentes, mas como se trata de dinheiro e a insistência em se implantar o metrô custe o que custar, embora se entenda todos os lados da discordância, certamente seria o ideal e a cidade não se tornaria um caos total que esse obra caríssima vai trazer em transtornos a todos os cidadãos.

    E Agora José, o que dizer sobre isso??????

    Curtir

    • Aeromovel não transporta tantas pessoas como num metrô, e o que mais querem evitar, são pilares com vias sobre as ruas, isso acaba com qualquer cidade brasileira.

      É só ver os viadutos da cidade.

      O certo era o aeromovel levar passageiros de onibus/estacionamentos para as estações de metrô,ai acho que funcionaria.

      Curtir

  10. Não quero preço bom, quero qualidade.

    Mas sem abusos.

    Acho que dessa vez esse metrô sai.

    Curtir

  11. Metrô é transporte de passageiros para capital de Primeiro Mundo. Nas principais cidades e capitais do mundo eles tiveram suas construções feitas há mais de 60 anos, cujas obras não causavam transtornos na superfície. Porque não implantam aqui o Monotrilho, ou Aeromóvel ou VLT (Transporte Leve sobre Trilhos). Transportes seguros, práticos e com a vantagem de economia de pneus, falando no dinossauro BRT.

    Curtir

    • Antigamente as obras de metrô causavam muito mais transtorno na superfície, pois ou eram feitas via cut-and-cover ou eram feitas com escavações arcaicas, anteriores ao NATM, que constantemente desabavam e matavam operários. Aliás, as construções de metrô subterrâneas antigamente também eram mais baratas pois não se dava o mínimo valor para a vida humana e não havia nenhuma preocupação com segurança no trabalho, periculosidade, insalubridade…

      Fora que, metrô não é transporte de passageiros para Capital de Primeiro mundo, é a melhor solução para transportas grandes quantidades de pessoas quando existe essa possibilidade. Vide La Paz por exemplo, que por sua elevada inclinação não permite linhas de metrô e compensou isso com uma rede de teleféricos.

      Quanto ao monotrilho, BRT, VLT ou aeromóvel, são modais de capacidade mais baixa. O aeromóvel ainda necessita de mais testes e e gradativamente linhas maiores até conseguir se consolidar como modal de transporte de massa. BRT, VLT e Monotrilho já demonstraram sua eficiência. Porém onde o metrô atenderá é um eixo de alta demanda, um BRT ou VLT ali já nasceria superlotado. Talvez o monotrilho pudesse ser uma opção, afinal SP está implantando o primeiro monotrilho de alta capacidade do mundo, na linha 15 prata, sendo que os trens terão capacidade para 1050 passageiros (os da Trensurb, por exemplo, levam 1080)

      Curtir

      • O monotrilho elevado de alta capacidade é uma opção horrorosa. É como colocar um enorme viaduto, ainda mais barulhento que um de automóveis no meio da cidade. Embaixo dele a cidade em geral vira uma favela pois tudo é degradado.

        Curtir

        • O monotrilho é mais limpo visualmente do que um viaduto, além do que ele pode ser muito mais alto pra causar ainda menos poluição visual. Só ver a obra de são paulo. Sem falar que barulho depende do tipo de veículo, não do modal em si.

          Curtir

        • Discordo totalmente. O monotrilho tem uma estrutura muito mais leve que a de um viaduto, afinal, são só duas “vigas” de 60 cm de largura e altura que varia de 1 m à 2 m, com um bom espaçamento entre elas, causando pouca sombra no solo e não permite moradias embaixo dele, pois não é largo como o viaduto. E não, não causa tanto barulho como um viaduto, ou mesmo uma elevada de trem, afinal, o concreto (já que a viga de concreto que faz as vezes de trilho para o monorail) absorve muito mais o som do que os trilhos, e os carros do monotrilho são elétricos e usam pneus, o que reduz e muito os ruídos.

          Curtir

  12. Seria interessante divulgarem os valores das propostas….para maior transparencia….juntamente com o escopo basico da mesma……Vamos aguardar para ver se irao divulgar para o bem da populacao…aguardamos

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: