BR 448 não deve desafogar acesso a Porto Alegre, diz Cappellari

Diretor da EPTC afirmou que obras em andamento estrangulam tráfego em vários pontos

br-448-rodovia-parque-imagem-aerea-rs (1)As dificuldades de tráfego no acesso a Porto Alegre pela avenida dos Estados não deve melhorar com a inauguração da BR 448, a Rodovia do Parque, marcada para esta sexta-feira. O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, afirmou que diversas obras em andamento estrangulam o trânsito em vários pontos, como nos dois estreitamentos de pista na BR 290, no viaduto que dá acesso à ponte do Guaíba e na entrada da avenida Mauá. “Todas as manhãs nós fazemos operação na avenida Castelo Branco para melhorar o trânsito. Quando o ano começar em março, nós vamos ter grandes engarrafamentos na chegada a Porto Alegre”, afirmou em entrevista à Rádio Guaíba nesta quinta-feira.

Cappellari disse que está sendo estudada a duplicação da rua Voluntários da Pátria até o acesso à avenida Sertório, abrindo caminho para a zona Norte da Capital e desafogando o tráfego da freeway. O diretor-presidente da EPTC destacou ainda que estão em negociação com o governo federal mais obras viárias na região e, por enquanto, não será liberada a alça de descida da BR 448 ao bairro Humaitá.

Rodovia do Parque será liberada no sábado

A inauguração da BR 448 está confirmada para esta sexta-feira, às 11h. Um palco será montado para a cerimônia na ponte estaiada na chegada Porto Alegre, nas imediações da Arena do Grêmio. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit) informa que a Rodovia do Parque será liberada para o tráfego ao meio-dia deste sábado.

A autarquia orienta os motoristas a ficarem atentos ao limite de velocidade permitida. Para carros, a velocidade é de 100 Km/h e para ônibus e caminhões, de 80 km/h. O novo trecho está liberado de ponta a ponta e haverá fiscalização por radares móveis pela Polícia Rodoviária Federal. O acesso a Esteio e Canoas deve ser concluído no próximo ano.

Estações do Trensurb

Depois da confirmação de que a presidente da República Dilma Rousseff não compareceria à cerimônia de inauguração das novas estações da Trensurb em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, o evento foi foi adiado sem previsão de nova data. Segundo a Trensurb, a paralisação dos metroviários inviabilizou a fase de teste das três novas estações para viagens experimentais.

Correio do Povo



Categorias:Rodovia do Parque

Tags:,

17 respostas

  1. Falta planejamento urbano em Porto Alegre. A EPTC só sabe colocar sinaleira e pardal e nunca pensam em redistribuir os fluxos das vias, não pensam em construir passarelas para pedestres evitando mais sinaleiras e mais importante de tudo não fiscalizam as empresas de ônibus e seus horários.
    Porque não usar a via paralela a BR290 freway? Não seria de responsabilidade da operadora de pedágios arrumar aquela via? E no porto porque não construir outra faixa lateral a direita no sentido Canoas – Porto Alegre? É muita burrice. Sirvam nossas façanhas de modelo para toda a terra – é triste.

    Curtir

  2. Como não deve melhorar??
    Pode continuar o tráfego pesado mas é evidente que vai melhorar.
    Antes só havia a opção da BR-116, agora há outra opção.
    É evidente que vai melhorar. Mas não é o caso de cruzar os braços e sim continuar criando soluções pra facilitar esse escoamento de trânsito. Sem contar que as estações do trensurb de Novo Hamburgo estão na fase de testes, ou seja, além disso tem o trem.
    Bora continuar construindo soluções para o transporte, escoamento do trânsito que o problema não está solucionado, só ganhou uma sobrevida. Tempo pra pensar em novas soluções. Mas tem que ser rápido antes que o caos esteja instalado novamente.

    Em tempos: As pessoas vão optar pela estrada. Quem precisar ir para a zona sul e Guaíba ou Eldorado provavelmente optarão pela nova estrada, quem precisar ir para Viamão, zona norte e outros bairros na região da Puc, optarão pela BR 116.
    Enfim, só de ter a possibilidade de optar já é uma baita diferença.
    Eu que morei anos em Esteio vejo várias possiblidades, dependendo a região que eu quiser ir. E de qualquer forma, por ambas as estradas dá pra ir para as mesmas regiões.

    Curtir

  3. A vida no residencial bairro humaitá há de se tornar insuportável, caso não se tomem providências de traffic calming.

    Curtir

    • Traffic Calming no fim de uma rodovia expressa é uma ideia idiota. Um túnel ou trincheira ali sairia mais caro, mas acabaria sendo melhor, pois segregaria o trafego de veículos em Alta velocidade da vida do bairro.

      Curtir

  4. É claro que não vai desafogar o acesso a PoA, nenhuma solução que não contemple transporte de de massa via desafogar nada.

    Curtir

  5. Tomando o papel do Mobus, e opção de transporte de massa sobre trilhos ali nem pensar né?

    Curtir

    • O mais irônico é saber que ali é o nosso único arremedo de transporte sobre trilhos: o trensurb.

      Eu sempre me perguntei, pq não continuar o metrô em via subterrânea até a zona sul? Podiam seguir reto a partir do mercado, com estações no gasômetro, praia de belas, beira-rio, barra shopping… pelo menos até ali é tranquilo, tanta construção por perto. Podiam fazer o metrô por baixo do parque marinha usando tatuzão. Sei que ali é aterro, mas tá cheio de projetos de metrôs que atravessam rios pelo mundo. Integrando isso a ramificações de metrô pelos principais eixos, como Assis Brasil, Protásio e Bento, talvez as pessoas começassem a andar de transporte coletivo em POA.

      Mas não adianta ter um trem que só vai até o centro, e dali em diante, se a pessoa não trabalha no centro, ela tem que entrar na loteria do transporte coletivo da capital.

      Curtir

      • Ótima ideia! Seria um sonho!

        Curtir

      • Um projeto parecido foi notícia à não muito tempo: O aeromóvel da zona sul com seus 18 km. Também passaria por gasômetro, centro administrativo, Praia de Belas, marinha, Beira-rio e Cristal. Porém, agora ele está protegido pela EPTC e ATP para que não corra o risco de sair do papel.

        Curtir

  6. Quem lê este Cappellari entende que ele tá afirmando que fazer obras viárias é ruim e piora o trãnsito.

    Curtir

  7. O congestionamento da free-way entre o centro e a Arena do Grêmio já deve ser o maior gargalo de Porto Alegre. Hoje mesmo, levei uma hora e meia pra fazer o trajeto entre a FIERGS e o Centro de POA pela free-way.

    Do jeito que está, terão que colocar 4 faixas até a rótula da Assis Brasil. Além disso, terão que agilizar a duplicação da Voluntários da Pátria e também ampliar a João Moreira Maciel.

    Curtir

    • Pode botar 8 faixas de cada lado da freeway que não adiantará nada. Enquanto não resolverem o acesso para o Porto Seco (que por sinal tão pretendendo fazer um troço BEM meia boca) vai continuar a tranqueira na chegada a Poa via Assis Brasil.

      Ao centro então, pior ainda.

      Curtir

      • Me lembro que fizeram um alvoroço com as obras no Porto Seco e no fim não deu em nada…

        Curtir

      • se fizessem o acesso a alvorada da free-way até a americana aliviaria a Assis brasil, mas não fizeram nem a proteção (DIQUE) deixando alvorada a merce das enchentes e os engarrafamentos correm soltos

        Curtir

  8. Incompetência da prefeitura extrapolando todos os limites. A rodovia do Parque esteve em construção por dois anos. Porquê não agilizaram as soluções para a entrada do Humaitá? É fácil jogar a responsabilidade pro Governo Federal de obras que são de esfera municipal.

    Curtir

    • Exatamente o que pensei! O culpado são os outros por não fazerem obras viarias que aliviariam as entradas caoticas de Porto Alegre. Vindo pela freeway temos 3: Assis Brasil, Farrapos e Castelo Branco, uma pior que a outra e ficando cada vez mais trancadas e perigosas há anos. O governo federal deveria dar uma mãozinha pra OAS e construir o entorno da Arena também. O problema parece ser esse!

      Curtir

    • Não concordo! A culpa é de ambos, pois não se trata somente do acesso ao bairro Humaitá (este, sim, é de responsabilidade da prefeitura que nada fez nos últimos anos).

      O governo federal deveria ter projetado melhor esta rodovia. Quem vem do sul do estado deve obrigatoriamente passar pelo trecho entre a ponte e a arena para acessar a rodovia em direção ao norte. O mesmo vale para quem vem do norte em direção ao sul do estado.
      Por que não fizeram uma conexão direta da BR-290 (Eldorado do Sul) com a rodovia do parque? Palhaçada!

      E ainda querem construir mais uma ponte!!! É certo que será um CAOS TOTAL entre a atual ponte e a Arena do Grêmio!

      Solução: tem que tirar o fluxo norte-sul e sul-norte da região metropolitana!

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: