Anonymous organiza ato nacional contra a Copa

Mobilização está marcada para o dia 25 de janeiro em 39 pontos do País

O Anonymous Brasil articula grande mobilização nacional para o dia 25 de janeiro. Denominada de Operation World Cup, o objetivo é denunciar que a Copa Fifa 2014 “apresenta atrações implícitas”. No chamamento realizado por meio das redes sociais, os ativistas ressaltam que, ao chegarem no Brasil, os turistas podem ser surpreendidos por assaltos com armas de fogo. Dizem que os registros do Subsistema de Informação sobre Mortalidade – do Ministério da Saúde (SIM) permitem verificar que, entre 1980 e 2010, cerca de 800 mil cidadãos morreram por disparos de algum tipo de arma de fogo.

“O Brasil é um país violento. Só em São Paulo, que possui 48 milhões de habitantes, a Polícia Militar (excluindo as polícias civis) matou mais pessoas do que o Estados Unidos inteiro (que possui 300 milhões de habitantes). Indo para o âmbito geral da população, classifica-se como o 7º país com maior índice de assassinatos do mundo”.

Os ativistas observam que o intuito dos protestos contra a Copa 2014 é lutar pelos interesses do povo e de qualquer pessoa que deseja um país mais justo e menos desigual. “Os protestos contra a Copa 2014 no Brasil apresenta cunho suprapartidário, ou seja, estão acima dos interesses políticos de partidos específicos. Se houver alguma bandeira, que seja a das reivindicações populares. A intenção é colocar as causas populares acima deles e fazê-los repensarem seus papéis” justificam.

A meta principal, segundo um dos seguidores do Anonymous Brasil, é “pensar estratégias para inviabilizar os jogos” nas cidades-sede. Em Porto Alegre, a mobilização terá como ponto de partida a Praça Montevidéu. A concentração dos manifestantes começa às 17h. Até este domingo, 496 pessoas confirmaram presença. Já no Rio de Janeiro, os ativistas estarão concentrado no mesmo horário junto à Igreja Nossa Senhora da Candelária.

Ao todo serão 39 protestos simultâneos em vários pontos do país. Na capital paulista, por exemplo, o ato começará junto ao Museu de Arte de São Paulo. Na capital federal, os manifestaram estarão concentrados no Brasília Shopping. “O Brasil decreta leis arbitrárias, como a Lei de Organizações Criminosas, para reprimir manifestações da sociedade civil. Não podemos permitir que a repressão contra aqueles que querem mudar o país continue”, defende o Anonymous Brasil. O protesto também combaterá a prostituição infantil, a fome que, segundo os ativistas, atinge 32 milhões de brasileiros, e a precariedade na saúde pública. “São essas algumas das atrações que o mundo vai conhecer em 2014. Os brasileiros não estão indignados e protestando sem motivos contra a realização da Copa”, advertem.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

29 respostas

  1. Eu apoio Temos que melhorar este pais

    Curtir

  2. Palhaçada estes movimentos contra a Copa. Queria ver estes retardados se manifestarem quando foi anunciado que seria no Brasil. Aquela era a hora de sair nas ruas, de manifestar a indignação com esta afronta. Agora que ja roubaram um absurdo do dinheiro publico, que se construiu estadios nos lugares mais absurdos, que nenhuma promessa do poder publico foi concretizada, que o legado desta copa sera a vergonha que o país será exposto ao mundo, agora que falta pouco pro evento acontecer querem se manifestar. Agora é hora de apoiar a Copa, de tentar esconder do mundo a vergonha que será este evento. Depois do leite derramado é facil chorar e lamentar. Povinho facil de manipular, sem etica, sem vergonha na cara.

    Curtir

  3. Em vez de protestar, vão lá na vila explicar pro povo que não estudou como avaliar um candidato. Vão lá no interior conscientizar o pessoal que não é pra votar no candidato que dá carona ou emprego na prefeitura. Vão organizar debates na periferia, para tentar conscientizar as pessoas de que não se pode votar em quem não é 100% íntegro. Suponho que a camada mais esclarecida da população saiba votar, mas para garantir, criem organizações voltadas ao esclarecimento da população em relação à análise do currículo dos candidatos.

    Se ainda assim quiserem protestar, exijam o fim das campanhas. Não do financiamento privados, mas das campanhas. De nada nos adianta carinhas bonitas e jingles na TV. Que distribuam um cadernos com o currículo de cada candidato. Exijam que políticos sejam proibidos de inaugurar obras públicas e de comprar espaço de TV.

    Pois até agora, as únicas coisas que conseguiram de concreto com os últimos protestos foi a importacão de médicos cubanos e o fim de ar condicionado em ônibus.

    Curtir

    • Sensacional teu comentário.

      Lembro de um reportagem que li na Revista Super Interessante, falando de como os cidadãos de Maringá (PR) fizeram algo pela sua cidade (e de quebra ajudar a política como um todo).

      Do texto: ” Um exemplo surgiu em Maringá, Paraná. Durante os anos 90, mais de R$ 100 milhões foram desviados da prefeitura. Quando a mutreta foi descoberta, em 2000, a revolta foi enorme. Mas, em vez de ficar reclamando, a sociedade civil decidiu reagir. Primeiro, lideranças se reuniram e fundaram a Sociedade Eticamente Responsável (SER), em 2004…”

      Pra quem não tiver preguiça de ler, segue o texto:

      http://super.abril.com.br/cotidiano/nossa-politica-tao-burra-755513.shtml

      Em suma: ao invés de ficar protestando para que façam algo pela população, porque NÓS não fazemos algo? iniciativas como a do Panato, em analisar os dados do transporte coletivo de POA para propor tarifas melhores são louváveis. Precisamos mais disso! e não de ficar reclamando sentado ou encaminhando posts raivosos no Facebook….

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: