“Não vai ter Copa”, por Vinicius Torres Freire

Manifestações marcadas para começar no dia 25 podem embaralhar previsões para este 2014

“NÃO VAI TER COPA” é o mote de protestos marcados para o dia 25 de janeiro, em todas as capitais, ou pelo menos nas “capitais da Copa”. Seria um ensaio da reestreia dos protestos, iniciativa de alguns daqueles grupos que desencadearam as manifestações de 2013.

Como tais grupos são desarticulados e dispersos, é difícil saber o que articulam. Muito menos é possível saber se vai haver repeteco da articulação esdrúxula, acidental e mesmo indesejada entre pequenos grupos de esquerda e massas indignadas mas apolíticas, o grosso de quem foi às ruas.

A Copa é, óbvio, um prato cheio de desperdício, politicagem autoritária, incompetência e outros acintes. A depender do gosto do freguês manifestante, não vai ser difícil contrastar essa despesa perdulária e arbitrária com algum motivo de revolta com a selvageria social e a inércia política brasileiras.

Vai colar? O 25 de janeiro pode ser um fiasco, ao menos em termos midiáticos, pois os ponta de lança da onda inicial de junho, os estudantes, ainda estarão de férias. Mas não convém especular com hipóteses fáceis.

Junho de 2013 não apenas começou como se desenvolveu e terminou de modo imprevisto, com ondas de choque se espraiando em direções diversas, um miniBig Bang político-social.

Houve os notórios, midiáticos e então subitamente submersos Black Blocs, mas muito mais. Houve revoltas contra a violência polícial em bairros paulistanos de “classe média baixa”, um dia bastiões de voto conservador. Houve séries de protestos de associações de gente deserdada da periferia, a bloquear estradas e avenidas nos fundões da cidade. Não há como saber se mesmo um 25 de janeiro fraco vai reanimar brasas dormidas ou revelar novas organizações.

Pode haver fastio: muita gente pode ter se desencantado com a inconsequência prática dos protestos; de resto, revolução permanente não é o estado habitual de gente alguma, exceto em cataclismos históricos raros, seculares. A tentativa de repeteco de 2013 pode, assim, não colar.

Pode haver oportunismos: as manifestações fizeram estrago sério no prestígio de governos. O tumulto nas ruas pode ser obviamente um instrumento para avariar, ao menos, o prestígio de quem quer que esteja no poder, mas de petistas em especial. Repetir 2013 pode ser arma eleitoral.

O leitor, que é perspicaz, pode refutar tudo isso com um “especulativo, protesto”, como se diz em filme de tribunal americano. Mas há de concordar que são demasiadamente ricas para não serem exploradas as oportunidades políticas e politiqueiras de um ano de Copa com eleição e eventual tumulto de rua transmitido pelo mundo inteiro.

Enfim, o caldo socioeconômico pode estar mais azedo e contribuir para os protestos; ou os protestos podem azedar o caldo.

A tendência básica do ano é de tudo crescendo mais devagar ou na mesma: renda, emprego, consumo, inflação. Há riscos de tumultos no câmbio, de o Congresso aprovar coisas como renegociação de dívidas de Estados e municípios ou de o Supremo dar uma tunda nos bancos no caso dos reajustes das poupanças dos planos econômicos velhos. Tudo isso intoxicaria o ambiente econômico e, assim, ânimos políticos, ao menos entre as elites.

FOLHA DE SÃO PAULO / UOL



Categorias:Artigos, COPA 2014, Manifestações

Tags:, ,

15 respostas

  1. Não vi um post comentando que SÓ o Equador escolheu o estado “MAIS BONITO DO MUNDO” como sede de treinamentos…

    Curtir

    • Mas isso faz sentido e só os políticos idiotas daqui não viam.
      Por que uma seleção vai vir pro frio de junho/julho no RS, se deslocar muito mais para outros estados onde a temperatura vai ser bem mais alta?

      Curtir

    • Rafael,
      Eu conheço 98% das cidades gauchas porque trabalho nas estações de telecomunicações, por tanto viajo muito, inclusive já trabalhei por quase todo Brasil e até fora daqui… E lhe digo, o Nosso querido Rio Grande do Sul não é tao bonito como as pessoas pensam, no mais a serra e algumas localidades o restante é feio, sim feio mesmo…

      Acho que o estado está acomodado demais com a fama do Rs ser bonzão, o interior de são paulo esta muito desenvolvido assim como muitas cidades e estados espalhados pelo Brasil, acho que o povo gaúcho tem que unir forças trabalhar duro e reconquistar o patamar do passado, porque nós infelizmente vivemos do passado…

      Obs: um estado rico e forte, terá dinheiro para se desenvolver e promover o embelezamento das localidades que o cercam, porém um estado quebrado que vive das sombras de um passado, não tem dinheiro suficiente para se desenvolver e crescer. (é a minha opinião, ok)

      Curtir

      • Serra, Vale do Sinos, algumas cidades do Noroeste e só. O resto é podre no nosso estado. Mesmo na Serra, só a parte Colonial italiana e alemã é bonita, porque nos Campos de Cima da Serra as cidades são pobres, alguma paupérrimas, sujas e bem sujas e muito feias. O que salva é a natureza, que é exuberante. Mas até quando vamos viver apenas das belezas naturais? Precisamos acordar!

        Curtir

  2. Manifestação tem que ter é no dia da eleição, essa eu queria ver, mas na Copa? Penso no caso de Porto Alegre, vão fazer o que? Depredar o beira rio? Esse bando de baderneiro quer um motivo pra tudo, eu hein!

    Curtir

  3. Sinceramente, to de saco cheio de black blocs, protestos contra tudo e todos e essa gente politiqueira e aproveitadora que quer mais e usar a copa a favor e contra o governo. Se a cidade for invadida por esses baderneiros eu sou um que pego nem que sejaum taco de golfe pra dar um basta nesses black blocs ou bando de baderneiros do pstu e afins

    Curtir

  4. Se a copa do mundo fosse disputada ”somente” no Rio Grande do Sul, não haveria super faturamento nas obras dos estádios, por um motivo simples: Beira Rio e arena, são particulares.

    O que queima o filme são os estádios municipais como Maracanã e Mineirão onde o superfaturamento é um abuso, deixando a população indignada e pedindo que o dinheiro seja melhor aplicado.

    No Beira Rio o Fortunati não coloca um pá de brita da prefeitura no estádio colorado porque é propriedade particular, enquanto isso o Botafogo ganha o Engenhão sem esforço e o Nautico a Arena Pernambuco, palhaçada isso..

    O Grêmio teve que dar o Olímpico de entrada para Oas,
    O Inter vendeu o estádio Eucaliptos para comprar a cobertura.

    Lembrando que o Grêmio terá que pagar a Oas por mais de 20 anos e Inter terá que ceder os camarotes, skyboxes e estacionamento para a A.G. por 20 anos…

    O dinheiro do Bndes para A.G reformar o Beira Rio, ”não” foi dado, por tanto terá que ser pago…

    Curtir

  5. Recentemente vi no Sportv um dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Londres falar que o evento custou 35 bilhões de libras para ser realizado. No período exato dos jogos o turismo chegou a diminuir, uma vez que afastou os turistas tradicionais. Contudo, as previsão de faturamento em 10 anos é de 135 bilhões de libras em razão da realização de negócios, valorização de areas degradadas e aumento do turismo. Ou seja, todos os países se engalfinham para ter esse tipo de evento porque eles geram uma série de benefícios a curto, médio e longo prazo. O turismo na Africa do Sul e na Austrália aumentaram substantivamente após as Olimpíadas e a Copa do Mundo. Ainda que se invistam em estádios e ginásios, esses são gastos que se pagam e, normalmente deixam imensos benefícios para a população local.

    Nem o mais obtuso dos cidadãos pode negar que Poa está tendo mais obras nesse momento do que nos úlltimos 20 anos somados. Verdade que nem tudo são flores – longe disso -, mas não dá para bater de frente com a realidade.

    A vontade de algunso de que os eventos sejam um fracasso só para desgastar o PT é de uma irracionalidade tão grande que não tem como justificar. Pior é que, pelo que se observa, tem mais gente torcendo para que tudo dê errado do que pensando em como ganhar dinheiro ou gerar oportunidades de negócios com eventos que giram cifras na casas das centenas de bilhões de reais.

    Estranha o fato de que praticamente não se vê qualquer jornal impresso, da internet ou TV falando das oportunidades que deveriam ser aproveitadas com a Copa e com as Olimpíadas.

    Dizem que louco é quem rasga dinheiro. Pois bem… a nossa sociedade definitivamente virou um manicômio, pois tem muita gente que prefere perder dinheiro mas ver o PT se dar mal do que aproveitar as oportunidades que vão se abrir.

    Curtir

  6. Eram para ter protestado contra a copa a 7 anos atrás (aposto que a maioria ficou bem quietinha). Agora não é meio tarde para isto?

    Curtir

    • Pois eh, quando o brasil foi escolhido para sediar o mundial todo mundo ficou vibrando, agora querem fazer protesto, sem comentarios

      Curtir

    • Exato! E ainda querem dizer que um dos motivos de protestarem contra a copa é o “desperdício de verba pública”. Desperdício vai ser se, agora – depois de o governo já ter gastado bilhões com estádios e demais obras estruturais – a copa não vir pra cá e ficarmos sem a arrecadação que essa nos traria. Isso sim seria um desperdício incalculável.

      Curtir

    • Nunca é tarde! Sempre é tempo de acordar e gritar. A festa, 7 anos atras foi de uma turma que queria dividendos politicos. Que estava mais preocupada com a alienação do povo, assim como foi no tri: ditadura e circo para acalmar. De certa forma, a nossa imprensa infla muito o futebol, e parece que todo mundo esta adorando. Quando foi confirmada a copa no Brasil, havia uma estrutura de mobilidade com BRTs e Metrô, avenidas troncais que seriam construidas, hoteis, estadios, centros de treinamentos. Ficaram somente os estádios e os super faturamentos.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: