Greve dos rodoviários prejudica mais de 1 milhão de pessoas

EPTC comunica ao TRT relatórios sobre o não cumprimento da medida judicial  Foto: Ricardo Giusti/PMPA

EPTC comunica ao TRT relatórios sobre o não cumprimento da medida judicial Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Mesmo com decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que acatou pedido da Prefeitura de 70% da frota de ônibus nas ruas nos horários de pico, os rodoviários paralisaram em 100% a circulação do transporte coletivo na cidade nesta quarta-feira, 29, com prejuízo para cerca de 1 milhão de passageiros diários, principalmente para os moradores das vilas e bairros mais populares. A EPTC está comunicando ao TRT os relatórios referentes ao não cumprimento da medida judicial pela categoria dos rodoviários. De acordo com decisão do TRT, o não cumprimento da decisão implica em multa diária de R$ 50 mil para o sindicato, pela ilegalidade da grave. Uma nova reunião está marcada para esta quinta-feira, 30, no TRT, entre o sindicato patronal, sindicato dos rodoviários, Ministério Público do Trabalho e representantes da prefeitura.

Depois de reunir-se durante a manhã de hoje na EPTC, para avaliar o movimento grevistas dos rodoviários e suas consequências na vida dos porto-alegrenses, o prefeito José fortunati disse que a prefeitura de Porto Alegre está tomando todas as providências que estão ao seu alcance para garantir o transporte coletivo para todos os cidadãos que dele necessitam. “Nossa preocupação, é especialmente com aquelas pessoas que moram em áreas mais afastadas e que não estavam sendo contempladas pela escala mínima de 30% dos ônibus. Esse esquema só conseguia atender os eixos estruturais, não entrando nas vilas e deixando sem transporte justamente a camada mais necessitada da população. Nós esperamos que motoristas e empresas cheguem a um acordo o mais rápido possível, para que o sistema volte à normalidade o quanto antes”, disse ele.

Desde o início da greve, a EPTC prossegue com seus agentes de fiscalização nas ruas, com orientações à população em geral. Houve a decisão de liberação dos corredores para a circulação dos lotações, com passageiros em pé. Foi liberado o corredor da Av. Cavalhada aos veículos em geral nos horários de pico.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , , , ,

7 respostas

  1. E tudo começou com um tal de José, que subestimou os movimentos sociais em Porto Alegre e apostou, resultado: um tiro no pé.

    E Agora José, o que fazer com os seus aliados que bancaram as campanhas políticas de muitos políticos que hoje se encontram no poder do Paço Municipal.

    Quem planta, colhe e agora José, o que fazer ……..

    Curtir

  2. Nem vou comentar. Uma falta de respeito por quem mais necessita, o Povo trabalhador……

    Curtir

    • realmente isso é um desrespeito com quem precisa de transporte , mas Deus é bom colocou em nosso caminho esses motoristas de vans que podiam estar descansando e estão fazendo o trabalho de quem não quer trabalhar.

      Curtir

  3. A ajuda da prefeitura é liberar os corredores para os carros… Legal hein? Quando teve greve em Florianópolis a prefeitura disponibilizou vans escolares.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: