Rodoviários tentam voltar ao trabalho, mas ônibus são apedrejados

Ônibus chegaram a sair das garagens, mas voltaram após apedrejamento

Esta quarta-feira, o décimo dia de greve dos rodoviários, começou com alguns motoristas e cobradores tentando voltar ao trabalho e impedidos por defensores da greve. Onze ônibus do consórcio STS chegaram a deixar as garagens, mas voltaram após um deles ser apedrejado. A mudança na postura de alguns rodoviários seria motivada pelo não recebimento do adiantamento de 40% do salário, pago normalmente por todas as empresas por conta do dissídio.

Segundo o diretor-administrativo da Sopal, João Paulo Marzotto, a medida não é um corte da empresa. O adiantamento não teria sido feito porque o pagamento ocorre a partir da arrecadação dos ônibus, que estão em paralisação total desde a última quarta-feira. Ainda de acordo com Marzotto, 50 duplas de rodoviários se apresentaram querendo trabalhar hoje, mas foram impedidos de deixar as garagens pelos grevistas.

O argumento do diretor-administrativo da Sopal é rebatido pelo motorista Sandro Oliveira, um dos grevistas que está no piquete em frente à empresa. Para Oliveira, o não pagamento é uma represália dos empresários aos rodoviários. “Eles já receberam esse dinheiro. O cartão Tri é pago antecipado. Dinheiro eles têm, mas não querem pagar em represália. Eles querem nos matar no cansaço, mas não vão conseguir”, declarou à Rádio Guaíba.

Informações do repórter Dico Reis

Correio do Povo

About these ads

52 comentários em “Rodoviários tentam voltar ao trabalho, mas ônibus são apedrejados

      • Não vejo essa revolta toda de ti sobre a falta de licitação. Interessante.

      • Isto não é tão imediato. Mas sou totalmente a favor de licitação, embora com o prazo apertado que deram e com este governo, tenho medo que não saia algo que preste.

        Satisfeito?

    • Fortunati inútil, não? ATP inútil, não? Não que o Tarso esteja movendo uma palha para resolver a questão da greve, mas concordo com o posicionamento dele em relação à repressão policial: em briga de patrão e empregado, não se mete a brigada.

      Quanto ao fato de os patrões não pagarem o adiantamento, acho justo e faz parte do jogo da greve. Cabe aos rodoviários pedirem ajuda financeira junto à CUT para que o movimento grevista consiga continuar forte. Afinal, a ATP já recebe ajuda política suficiente da imprensa e da prefeitura, ou seja, está bem representada na defesa de seus interesses.

      Eu acho que se essa greve terminar nos 7,5%, será uma derrota para a sociedade. Derrota porque seja 7,5% ou 14%, os empresários e o prefeito usarão isso como desculpa para aumentar as passagens e pedir desoneração fiscal junto ao governo federal. Derrota porque a sociedade continuará com a impressão de que o lado opressor sempre vence. E não digo que o lado mais forte é o dos empresários simplesmente por serem empresários. Há muitos pequenos comerciantes que estão operando no prejuízo nos últimos dias e se a greve se alongar muito, terão de demitir e fechar lojas.

      No entanto, no caso específico dos rodoviários, o lado mais forte é o da ATP, pois conta com o apoio do prefeito, que sempre tratou a greve com desdém e criminalizando os rodoviários desde os 30%. O lado da ATP também é o mais forte, pois conta com o apoio da Zero Hora e da RBS, passando pelo Correio do Povo (exceto o Juremir que pode se dar ao luxo de falar o que quiser) e pela Pampa/O Sul.

      Se essa greve acabar nos 7,5%, será uma vitória para as obras mal fiscalizadas que nunca terminam; será a vitória dos ônibus sobre o Catamarã e o transporte fluvial entre as ilhas e o centro; será a vitória do discurso oficial, que coloca a culpa do caos no transporte público sobre o trabalhador em lugar da Administração Pública e da ATP.

      Alguém estudou em escola estadual nos anos 80 e 90? Lembram das greves com aulas 100% suspensas durante mais de um mês? Alguém dava a mínima para isso? Não. Pois é… por que a educação não vale nada e o transporte público vale tanto? Não deveria ser o contrário? Se a greve acabar nos 7,5%, estará selado o sucesso desta administração (e das anteriores, incluindo o PT, não sejamos ingênuos) que trocam favores com os financiadores de campanha enquanto vemos a cidade afundar.

      • Isto não é briga de patrão e empregado. É COERÇÃO de um grupo autoritário sobre funcionários que desejam voltar a trabalhar, e coerção no meu dicionário é crime!

      • É coerção, Adriel. É da mesma ordem de coerção do patrão dizendo no ouvido do empregado novato em contrato de experiência: “se tu não entrar nesse ônibus, vou te colocar na rua, é só aguardar o fim da greve”.

        Não sei o que é pior, confesso. É um jogo sujo. Duvido que exista trabalhador “morrendo de vontade” de trabalhar, pois no fundo ele sabe que, se o reajuste não sair agora, ele vai lamentar no futuro. É o patrão ameaçando o funcionário de um lado e é o grevista apedrejando de outro. Quem é o inocente aí?

        O fato de a greve ser ou não legal é uma tese em disputa até o seu julgamento derradeiro. Observe a seguinte notícia de julgamento no TST, com multa alta no início e tornada irrisória posteriormente. A patronal recorreu, requerendo a aplicação da multa original em seu favor. Não rolou.

        http://www.tst.jus.br/noticias/-/asset_publisher/89Dk/content/id/4454105

      • “É coerção, Adriel. É da mesma ordem de coerção do patrão dizendo no ouvido do empregado novato em contrato de experiência: “se tu não entrar nesse ônibus, vou te colocar na rua, é só aguardar o fim da greve””

        Não, não é! E se não consegues enxergar a diferença entre direito sobre uma propriedade privada (despedir um empregado) e coerção de terceiros (atirar pedra para impedir os outros de trabalhar). Não vou perder meu tempo discutindo contigo.

      • Perde um pouco de tempo… é bom exercitar a capacidade de argumentação. Mas já adianto que, para mim, a propriedade privada não é um ente sagrado, podendo ser desapropriada pelo Estado havendo interesse da coletividade (aliás, isso é bem comum quando precisam abrir uma estrada ou um viaduto). Logo, o bem privado não é inalienável, intocável e muito menos sagrado.

      • “Logo, o bem privado não é inalienável, intocável e muito menos sagrado.”

        Não, não é! Mas também não deve ser tratado como algo banal, deve ser respeitado. Banalizar isto gera insegurança jurídica, falta de investimento privado e o caos.

        Demitir um funcionário é um direito do patrão, assim como é um direito do funcionário pedir demissão para ir para outro emprego que lhe pague mais.

      • Te enganas Adriel, despedir um empregado não é um direito inalianável do patrão, conforme a Constituição Federal:

        Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:

        I – relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos;

        Para a doutrina, toda demissão tem de ser fundamentada e regulada por lei, quase nos moldes da demissão por justa causa. Só não foi regulamentada ainda (talvez nunca o seja, mas está na CF).

      • Sim, a lei diz que tem que pagar os direitos trabalhistas se não for por justa causa. E dai? Isto contradiz o que eu disse?

      • 1- A greve foi considerada ILEGAL pela justiça que ordenou 30 e 70% de frota mínima nas ruas dependendo do horário. Menos do que isto é se aproveitar da importância da profissão para fazer chantagem. O prejuízo para a cidade é MUITO maior do que o próprio salário deles.

        2- Greve de professores nem se compara pois por lei as escolas são obrigadas a recuperar o período atrasado, nem que leve 10 anos para isto. O maior prejuízo é ter aula no verão mesmo.

        3- Como disse acima, está havendo coerção de alguns grevistas sobre quem quer voltar a trabalhar e isto é ilegal. Portanto cabe sim intervenção da Brigada para garantir este direito.

        4- ATP vs Rodoviários vx Prefeitura – Como disse o Felipe-X, não há inocentes nesta história!

        5- 7,5%, 10%, 15%… adoro ver como tu que nem és rodoviário sabe com precisão o salário justo para eles. Aposto que nem sabes quando foi o último reajuste, a inflação acumulada, se a média salarial deles está acima ou abaixo da média praticada no país ou se está faltando interessados a virar motorista e cobrador nos últimos concursos para o cargo (o que indicaria que o salário está baixo)

        6- Nem uma palavra sobre acabar com os cobradores, fato este que potencialmente diminuiria a passagem em uns 40 centavos, dando para colocar A/C em toda a frota e ainda baratear a passagem.

      • Adriel,

        1- Quando se fala que a justiça considera ilegal a greve, na verdade, que a 1ª instância da justiça um dia considera ilegal. Ainda tem muitos recursos para reverter. Pega o exemplo do ano passado da greve do trensurb. Não foi considerada ilegal (mesmo não tendo ônibus).

        2- É aquela história da lei de Gerson, se não sentir na pele não tem problema. Que pena que pense que professor fazer greve é menos problemático do que motorista de onibus (ou qualquer outra profissão).

        3- Para retirar meia duzia de grevista em frente da garagem é bem facil, so chamar o PM e pedir para liberar. O problema é fazer os motoristas dirigir os onibus. Isso é obvio.

        4- ATP (e empresários) estão todos na ilegalidade, com lucros exorbitantes. O pessoal da prefeitura nem se fala (como bons políticos são). Mas colocar culpa em trabalhador que está buscando melhor condição de vida e de trabalho já é demais.

        5- Bancário trabalha 6 horas. Não vejo qual o problema de motorista trabalhar tb 6 horas. É bom para todos (os ciclistas e pedestres que digam). Nos vivemos no capitalismo, sendo assim a greve é o meio do pessoal buscar seus direitos. Se não quiser vai para a China.

        6- Mudar o sistema legal do transporte público é com a Camara dos Vereadores. Que concordo que nem uma palavra a pelegada do governo Fortunati falou (so a oposição que não tem poder de mudar).

      • 1- Tu achas que tem a mínima chance desta greve ser considerada legal?

        2- Tu achas que uma greve que afeta TODA a população, incluindo estudantes (daqui a 15 dias começam as aulas) é menos problemática que uma que afeta somente estes últimos?

        3- Saiu nos jornais de hoje que haviam 50 pares de motoristas e cobradores dispostos a trabalhar e que foram impedidos. Fora os inúmeros que nem se deram o trabalho de aparecer lá sob o risco de se saírem feridos. Ainda que fosse somente 1 par, este teria direito de trabalhar.

        4- Existem outros empregos em POA, inclusive como motoristas e cobradores se não quiserem mudar de ramo. O que me intriga é reclamar de cartel dos patrões e achar normal o dos empregados. Um pesos, duas medidas?

        5- Greve é um direito! Acontece que eles trabalham em uma concessão pública, sem concorrência. Há um limite legal para a greve. Além disto, coerção de quem quer trabalhar também é ilegal.

      • Só é ilegal depois de trânsito em julgado. Só vamos reconhecer a ilegalidade (ou não) após os trâmites no TST e no STF quem sabe.

  1. O Fortunatti estava tentando fazer com que os intermunicipais pudesses ser usados dentro de Porto Alegre durante a greve. Isso não vai acontecer simplesmente porque as empresas intermunicipais tem interesse na licitação. Quanto maior for a pressão sobre o sistema de transporte em Porto Alegre, antes ocorre a licitação e empresas da redondeza poderão participar.

  2. Dúvida honesta: as empresas não podem entrar com pedido na justiça para que a brigada seja ativada?

    • O Sr Governador.., o único que tem o poder de acionar a Brigada e tb solicitar o reforço do Exército, não o faz…. a tua dúvida Felipe é lógica, as empresas poderiam acionam a justiça.
      Os empregadores estão cautelosos com relação ao patrimônio. O TRT que tem cobrar 100 mil por dia; foi patrolado pelos grevistas… eles conseguiram “engessar total”

      • O TRT tá mais eficiente do que o TJ que multou em apenas 5 mil por dia a prefeitura por causa da licitação, versus 100 mil no caso da greve.

        Mas sempre esqueço, para o “liberais” o estado só serve para fazer controle social mesmo hahah.

      • De que adianta multar a prefeitura se quem paga a conta somos nós… ainda se fosse a pessoa do prefeito ou secretário.

        Sou totalmente favorável a uma licitação, que na minha opinião já deveria ter sido feita a meses, anos, décadas atrás. O que me preocupa agora é terem obrigado a fazer às pressas, possivelmente nas cochas.

    • Acho que como qualquer pessoa pode ligar para a Brigada para comunicar qualquer ato criminoso, as empresas também podem. Nem sei porque precisa da justiça.

      • Exceto que o governador barra!
        Sempre foi assim, desde a época do Olívio+Bisol que impedia as desocupações do MST a todo o custo.

      • Sim, qualquer cidadão pode ligar para a brigada e ser ignorado por ela, pela minha experiência.

        Adriel, até onde sei a justiça também pode ativar a brigada, não foi o caso no caso do Pinheirinho, por exemplo?

        Eu pergunto por ignorância mesmo, não entendo bem como funciona.

      • Fazer greve não é crime. A brigada só pode agir caso receba alguma ordem judicial (que se até agora não saiu, acho bem difícil sair antes da greve acabar).

      • E os caras se deitarem nas portas das garagens e apedrejar ônibus não é crime tbm? Vou deitar na frente da garagem do governador e do prefeito e apedrejar eles tbm então. ;-)

    • Marginais, no caso, aqueles que estão à margem da lei, é isso?

      Como as empresas, que operam sem licitação há décadas…?

      • Já que me provocaste… vou começar a escrever aqui coisas óbvias ao invés de apenas dar likes nos comentários dos outros… Só não vejo sentido em ficar re-escrevendo o que é unanimidade.

        Então lá vai:

        “É um absurdo estas empresas estarem operando todos estes anos sem licitação! Culpa da prefeitura!”
        –Adriel

      • hahahah para falar a verdade sempre odiei estes likes aqui do fórum… simplesmente não uso eles.

      • Eu só me manifesto em tópicos onde não há unanimidade.

        No outro post sobre o Fortunati eu dei um like no comentário do Mobus criticando a falta de licitação no discurso do prefeito e saí. Não adianta repetir o que todo mundo já sabe. Teve até alguns posts teus criticando isto que eu dei like e saí, a exemplo deste acima. Não é a primeira vez que dizes isto “que não há inocentes” e que eu dou like.

      • Muito bem. Então um erro justifica outro. Um erro + um erro = um acerto. Brilhante lógica.

      • Inclusive ele foi questionado: “A Procempa é como o Banrisul?”. Me caiu os butiás do bolso foi a resposta: “todo mundo sabe como é a política”.

  3. Apedrejar e queimar ônibus é vandalismo. Esses vândalos tem que pagar pelas consequências!

    Além do prejuízo da greve as empresas terão que arcar com o custo de manutenção dos ônibus depredados?

    E a Guarda Municipal, não pode fazer nada?

    Lamentável o que is rodoviários estão fazendo.

    • Roubar dinheiro público, fazer improbidade administrativa, não fazer licitação, etc tb é crime. Pq esses ladrões não sofre as consquências ?

      O prejuízo da corrupção instaurada em POA é muito maior do que qualquer greve.

      Lamentável que essa turma do Fortunati (respaldada pelos seus 65% de votos) estão fazendo de POA.

  4. Segundo a desembargadora do TRT, em caso público e notório de falta de segurança e vandalismo de veículos, como agora, tanto o governador quanto o prefeito podem pedir que a BM faça a segurança dos que querem trabalhar. Diz o Fortunatti que já pediu e que a BM se recusa em atendê-lo e a posição do Governo do Estado todos sabemos. Não se trata de briga de patrão e empregado, como alguns disseram aqui. Além de ser serviço público concedido (por isso o nome é Sistema de Transporte Público, né?), os episódios de depredação e ataques, dos quais os motoristas e passageiros estão sendo vítimas, extrapola e muito a simples questão da greve, ou como disseram (patrão x empregado). É uma questão de segurança pública na qual o governador tem se omitido completamente e não está cumprindo com sua prerrogativa constitucional de oferecer segurança à população. O fato de ter greve ou não, não quer dizer nada. Está havendo crimes (violência, física inclusive, e depredações) e o governador não cumpre com seu papel de dar segurança aos cidadãos. Falta c..lhões pra o MP para enquadrar o governo por não cumprir com seu papel, ainda mais que já houve relatos públicos e notórios, inclusive de autoridades (o prefeito), pedindo que o governo cumpra seu papel. pode-se não gostar do prefeito (eu não gosto) mas ele fez o que tinha que fazer, pediu ajuda da BM. Não tem nada a ver com interferência em briga de patrão e empregado, como disseram. É uma questão de segurança pública e que está se deteriorando dia a dia. Mas se a BM de Tarso fica como paisagem vendo os black bloc destruindo tudo bem à vontade, vcs esperariam algo diferente? Talvez seja preciso alguém morrer – um passageiro, talvez – para que a população se acorde e exija que o governador tome vergonha na cara.

    • Nunca li na imprensa (mesmo na RBS) sobre vandalismo sendo feito pelos piquetes. Alias, é muito facil a imprensa ir numa garagem qualquer e filmar esse vandalismo de meia duzia de pessoas (como está falando).

      É obvio que não é isso que está ocorrendo. O pessoal não quer trabalhar (mesmos os trabalhadores que estão trabalhando – ou a disposição do empregador).

      É difícil para mim aceitar essa tua opinião de voltar aos tempos da ditadura.

      Pelo que fala dos black bloc, pelo visto está assistindo muita TV. Vai em qualquer manifestação (principalmente quando encerra) que vai ver como a brigada do Tarso age com os manifestantes (não me vem dizer que todos os manifestantes são vândalos)

      • Sempre tem alguém para se fazer de desentendido…. e como tem gente de militância paga – se não é paga tanto pior ainda – que não perde uma oportunidade de defender sua amada presidenta, seu amado governador e meter a RBS em qualquer tópico…. Típico…

      • Concordo contigo e acrescento: típico também é meter a palavra “ditadura” em qualquer ação policial; ou também defender cegamente quem apanha, não importando se é vagabundo ou manifestante.

      • Renan. Olha essa:
        http://www.radioguaiba.com.br/Noticias/?Noticia=515944&utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

        Eu quero fontes concretas de que algum rodoviário quer trabalhar e não está sendo coagido pelo patrão. Coação por coação, seis por meia dúzia, não como falar em culpados.

        Quer resolver o problema? Que tal os patrões romperem a barreira dos 10%? A greve acaba. Depois eles negociam com a prefeitura o aumento das passagens. Simples! Só que não, né. É óbvio que eles não conseguirão provar que as margens de lucro estão perto do centro da meta da concessão.

        Mas vamos pensar friamente, o certo é isso. Não é papel dos empregados pedir aumento de passagem. Isso deve ser provado pela concessionária ao TCE e à prefeitura com dados concretos. Eu não entendo essa raiva contra o trabalhador. O grevista quer trabalhar, pois fazer greve é um saco. Você trabalha na greve, principalmente numa greve de verdade como essa. Tem que acordar cedo para as mobilizações, ficar o dia inteiro envolvido. Para tudo isso estar acontecendo, é que a situação chegou num ponto insustentável.

  5. alguem pesquise e me diga quem ajudou na cartelização do transporte publico em Porto Alegre ou seja a formação dos consorcios e dos seus acordos. Até pode se que as empresas da grande Porto Alegre tenham interesse em algumas linhas isto se já não são socias delas. Hora se um onibus que sai do centro em direção a Alvorada,cachoeirinha gravatai sem falar de outros municipios e esta ocioso em alguns trajetos e horarios deveria poder subir e desembarcar passageiros em poa integrado ao TRI ou seja dentro de Porto Alegre. Ajudaria um monte nas principais artérias viarias de Porto Alegre e adjacências. Vão deixar, não claro que não é ruim para alguns empresários e uma parte dos rodoviários e agentes publicos que faturam com a situação atual. Esta mais de que na Hora de acabar ou minimizar dinheiro rolando dentro de onibus e a função de cobrador e aplicar na melhoria dos serviços. Vão fazer,claro que não pois os rodoviários não estão nem ai para os usuários já vi cobrador falar que se não estivesse contente com o serviço que pegasse um taxi e outro defendendo patrão e falando que a passagem era barata e que se não estivesse contente que me virasse. È eu tomo ônibus e até sofro pouco pelo trajeto que uso.Quem não usa onibus talvez se solidarize com os rodoviários afinal de contas não são atingidos é o velho bom mocismo da esquerda e do velho discurso populista getulista brizolista de alguns jornalistas da imprensa local. A justiça tá sendo frouxa a prefeitura tá sendo frouxa. Eu queria quem alguns burguesinhos que escrevem aqui você perguntar pos pobres que não tem como se locomover se eles apoiam este movimento grevista que para piorar agora reclama que não tem mais plano de saúde e tem de usar o sus.Quantos votaram no Lula na Dilma eles tão vendo so o lado deles não querem um serviço melhor.

    • A maior parte dos problemas que citastes, a licitação não irá resolver. Tem que mudar a lei municipal. E sinto te informar, mas com esses vereadores desiste. A maior parte tem “o rabo preso com os empresários”.

      Essas empresas começaram no tempo da ditadura, depois da constituição de 88 é obrigado a licitar as linhas. Por motivos obvio (corrupção via caixa 2) nenhum partido fez.

      O que estamos sentindo na pele é o resultado da corrupção desemfreada que está ocorrendo em POA. EPTC não é diferente.

  6. O que eu acho estranho é que na manifestação do cpers em frente a casa do tarso (PACÍFICA), aonde os professores pediam que se cumprisse a lei do piso, que o tarso inclusive assinou como ministro da educação, a brigada usou bombas e a força pra tirar os professores de lá e dai os cara quebram, queimam e apedrejam tudo que podem e a brigada não faz nada sr.governador?

    • É isso Oioio!

      Qualquer manifestação contra o governo estadual (do PT), ainda que PACíFICA merece chumbo por parte da BM e do seu Tarso. Agora, quando queimam ônibus (JÁ SÃO QUASE 50, repito 50!!!!!!!), quando se atiram coquetéis molotov, pedras e etc, não sendo contra o governo do RS, aí pode, né?

      E tem gente que tem a coragem de dizer que se a BM simplesmente fizer o serviço para o qual são pagos – garantir a segurança à população – estaremos voltando aos tempos da ditadura!

      Outros dizem que se a BM fizer o seu papel irá se intrometer em questão de patrão x empregado….

      Dá para perceber como as coisas estão viradas por aqui? Dá para perceber a desordem em que estamos? Dá para percebemos em que situação em que estamos quando tudo o que pedimos é que a BM faça a segurança de ônibus que circulam com passageiros!!!!!

      E aí o cara vem e distorce TUDO que se fala e diz que estamos voltando ao tempo da ditadura!!!!!!!!!!!!!!!

      Dá para perceber o buraco, o desgoverno e a falta total de respeito para a com a população a que estamos TODOS expostos????????????????

      Este é o RS de 2014.

      Lembrem-se bem, antes de cometerem outra insanidade em outubro próximo!

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s