Demanda de energia no RS bate quarto recorde em 2014

Se consumo superar 7,1 mil MW, podem ocorrer cortes para equilibrar o sistema, diz CEEE

foto_1338404062_01Pela quarta vez desde janeiro, a demanda instantânea de energia elétrica no Rio Grande do Sul bateu recorde na tarde da última quinta-feira. Às 13h52min, a marca alcançou 6.902 MW (megawatts), sob temperatura ambiente de 38,2°C. O maior índice registrado anteriormente foi em 23 de janeiro, quando o sistema alcançou 6.765 MW às 14h32min, com 36,8°C.

No final de dezembro passado, quando o calor contribuiu para o rompimento de um cabo, deixando meio milhão de gaúchos sem luz, o diretor de Distribuição da CEEE, Guilherme Barbosa, havia informado que companhia tinha capacidade para 6,8 mil MW. O marcador foi atualizado e agora chega a 7,1 mil MW.

Caso haja a superação da marca, Barbosa admitiu que podem haver cortes seletivos momentâneos para equilibrar o sistema todo. Disse ainda que na hipótese de ocorrer a superação, o sistema nacional, interligado ao gaúcho, passa a auxiliar no abastecimento do Estado.

O presidente do Grupo CEEE, Gerson Carrion, ressaltou, em nota encaminhada à imprensa, hoje, que “investimentos já realizados e em andamento têm ampliado a confiabilidade e a robustez do sistema elétrico gaúcho”.

Demanda de energia aumentou 75% em 14 anos

Servidores do Centro de Operação do Sistema (COS) do Grupo CEEE começaram a monitorar em 2000 o fluxo de energia em território gaúcho. Há 15 anos, o recorde de consumo foi de 3.846 MW. A marca batida ontem revela que a demanda aumentou em mais de 79% em uma década e meia.

Rádio Guaíba / Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , ,

4 respostas

  1. Acredito que seria melhor se o governo fizesse um acordo para termos acesso à instalação de aparelhos para captação de energia solar mais baratos. Do jeito que está e considerando o que já está ocorrendo com algumas cidades do interior devemos estar prontos para a provável falta de energia.

    Curtir

  2. Adoro esse estado que deixa uma empresa multinacional instalar uma usina eólica em seu território e assim se apropriar da força dos ventos do seu território para geração de energia elétrica que abastecerá uma fábrica de automóveis (milhares de empregos) no estado paulista, no caso, a Honda que ergue uma usina em Xangri-lá para abastecer sua fábrica em Sumaré.

    Curtir

    • Que absurdo isso né? Estão privatizando nosso vento! O estado deveria controlar tudo e impedir que isso acontecesse. Já poderia decretar ilegal a propriedade privada também. E ainda por cima isso está beneficiando uma multinacional (imperialismo estadunidense) fabricante de carros (símbolo da liberdade do estilo de vida americano).

      Curtir

  3. Adoro esse país que quebra todos os recordes de impostos e não faz absolutamente nada com esse dinheiro todo!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: