Edital de licitação dos ônibus será debatido no OP

Conselheiros do OP recebem terça-feira informações da EPTC sobre licitação  Foto: Anselmo Cunha/PMPA

Conselheiros do OP recebem terça-feira informações da EPTC sobre licitação Foto: Anselmo Cunha/PMPA

A prefeitura de Porto Alegre, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Secretaria de Governança, debaterá via Orçamento Participativo (OP) e Audiência Pública, o edital de licitação das linhas de transporte coletivo da Capital.

Na noite de terça-feira, 11, a partir das 19h, o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, apresentará os dados ao Conselho do OP (COP). Os conselheiros levarão o tema para debate nas 17 regiões e seis temáticas e devolverão os estudos até a última semana de fevereiro. Além da consulta referente à revisão da planilha tarifária, será realizada mais uma audiência pública sobre o tema, no Plenário da Câmara de Vereadores, no dia 27 de fevereiro, às 19h. Um dos principais pontos a ser debatido com a população será o ar-condicionado nos ônibus. Segundo análises realizadas pela EPTC, com este equipamento em toda a frota, o custo adicional a tarifa seria de R$ 0,10.

“A população sempre nos cobra uma redução nos custos do transporte coletivo. Não somos contra a instalação, queremos que as pessoas debatam, pois para instalar o ar-condicionado em toda a frota, será necessário aumentar a tarifa em 10 centavos. Por isso, acreditamos que é importante consultar a população, para ver se realmente há interesse em pagar mais pela tarifa”, afirmou Cappellari.

Licitação do transporte coletivo – A equipe técnica da prefeitura – envolvendo profissionais da EPTC, das secretarias de Gestão e Fazenda e da Procuradoria-Geral do Município – trabalha há mais de um ano na elaboração de edital de licitação para o transporte coletivo na Capital, também presente nas resoluções do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A proposta completa para qualificação do serviço previa integração com o metrô e o sistema BRT, por isso a necessidade de estudos complementares para efetivar a licitação.

Diante da decisão judicial que definiu o lançamento do edital em 30 dias, a partir de ação movida pelo Ministério Público no final de janeiro, o prefeito determinou a publicação do edital no dia 5 de março, como prevê o prazo. “Estávamos trabalhando com transparência no melhor edital possível, prevendo uma integração dos ônibus com o metrô e os BRTs, projetos que ainda estão em desenvolvimento. Mas vamos cumprir a decisão judicial, ouvir a população e lançar o edital, buscando fazer o melhor que está ao nosso alcance”, manifestou Cappellari.

Comissão Especial de Licitação – O prefeito José Fortunati, determinou nesta segunda-feira, 10, a constituição de comissão especial de licitação para concessão do serviço de transporte coletivo por ônibus. A comissão será presidida pela Secretaria da Fazenda e conta com servidores designados das Secretarias dos Transportes, de Gestão e da Empresa Pública de Transportes e Circulação. A Portaria será publicada nesta terça-feira, 11, no Diário Oficial de Porto Alegre.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

27 respostas

  1. Legal é que não se fala em racionalizar as linhas;
    Mas ELEVADOR para acessibilidade os caras querem. Aquela engenhoca que demora 5 minutos a cada vez que é acionada, de cara manutenção e serve para contribuir com a poluição sonora dentro do bus. Por que não rampas de acesso como tem nos onibus da Carris? A maravilha da engenharia do século VI a.C.! Basta adequar as calçadas das paradas de ônibus para tal. O custo-benefício certamente se mostrará a favor dessa solução.

    Curtir

  2. Guilherme eu já acreditei neste orçamento participativo pois tinha a opinião que se a população participasse mais, seria dona de seu destino.,ledo engano, é como você falou o orçamento é dominado pela politicagem barata e o pior é que eles jogam pobre contra pobre. O PT fazia isto e os que estão ai fazem a mesma coisa pegam um valor quase infimo do orçamento da prefeitura e chegam nas vilas pedindo para as pessoas decidirem se comem ou bebem pois os dois juntos não dá. As pessoas tem de ter idéia que a maior parte do orçamento da Prefeitura é para pagar pessoal e o que sobra serve para pagar dividas e fazer um pouco de assistencialismo.Obras de maior porte que as vilas precisam mesmo só com financiamento da caixa ou banco mundial.Agora se o negocio é em área nobre aadministração rasga as leis de edificação e pega a grana da compensação e aplica onde mais lhe convier.Não possuimos pessoas visionárias administrando Porto Alegre faz muito tempo e tenho a impressão que se alguem se candidatar com boas idéias vai acabar afundando neste pantano que é a burocracia nesta cidade.

    Curtir

    • nunca deixamos de esperar pelo salvador da pátria. E quando anunciarem sua chegada, seremos mais uma vez ludibriados.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: