Prefeitura consultará população sobre ar condicionado em ônibus

Reação à proposta da EPTC de retirar refrigeração leva a recuo

Prefeitura poderá incluir o ar-condicionado na licitação para o transporte público da Capital Crédito: Arthur Puls / CP Memória

Prefeitura poderá incluir o ar-condicionado na licitação para o transporte público da Capital
Crédito: Arthur Puls / CP Memória

A prefeitura recuou e marcou para o dia 27 uma audiência pública para consultar a população sobre as especificações técnicas da frota e operacionais a constarem no edital de licitação do transporte coletivo de Porto Alegre. A decisão foi oficializada após polêmica gerada pela informação publicada com exclusividade na edição de domingo do Correio do Povo de que o edital excluiria o ar-condicionado da frota de ônibus. O edital de convocação para a audiência será publicado no dia 13, e a consulta pública ocorrerá no plenário da Câmara dos Vereadores a partir das 19h.

Com a iniciativa, a prefeitura passa a cumprir em parte uma das principais exigências prevista na lei de licitações, a de realizar uma audiência pública antes da abertura de um edital. O presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, afirmou nessa segunda-feira, no entanto, que, mesmo com a consulta à população, não haverá tempo para grandes mudanças no edital – a lei prevê que o documento seja publicado 15 dias após a audiência. “Não temos capacidade para alterar o edital substancialmente após o dia 27, pois a abertura determinada pela Justiça deve ocorrer até o dia 5 de março.”

Cappellari voltou a apontar que a inclusão do sistema de refrigeração nos ônibus aumentaria a tarifa em R$ 0,10, sem contar o reajuste que será feito pelo prefeito após o acordo do dissídio dos rodoviários ser firmado. “Não somos contra o ar-condicionado, só queremos que a população decida. As pessoas avaliaram essa informação muito em função do calor que vem fazendo nos últimos dias. Essa regra do uso do ar, hoje, não tem contrato, é decisão política.”

Com ou sem ar

Segundo a EPTC, um ônibus novo, sem ar-condicionado, custa entre R$ 600 mil e R$ 700 mil. Se o veículo for comprado com o aparelho, o valor aumenta em R$ 125 mil. O uso do sistema de refrigeração aumenta o consumo de óleo diesel dos veículos em 25%, além da necessidade de manutenção periódica.

Segundo apontou relatório do Tribunal de Contas do Estado, se todo o sistema de transporte público operasse com as características da Carris, na qual 56% da frota tem ar-condicionado, a tarifa custaria R$ 3,55. Uma das possibilidades para reduzir custos, apontada pelo TCE, seria a prefeitura tornar o sistema mais eficiente: mexer em linhas e operação. Hoje, dos R$ 2,80 da tarifa, R$ 2,60 referem-se ao custo do sistema e R$ 0,20 é lucro.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

34 respostas

  1. Estou começando a acreditar que a história do ar condicionado é para desviar a atenção do principal problema que é a organização dos itinerários e integração do sistema.

    Curtir

  2. Com o atual método de cálculo tudo é dividido pelo IPK, que é o índice de passageiros por quilômetro.

    Para diminuir a passagem ou aumenta os passageiros ou diminui os quilômetros. Diminuir os quilômetros é fácil, só fazer rotas mais diretas, com menos zigue-zague. Outra solução é criar pontos de transbordo usando o TRI (integrado). Só na frente da rodoviária passam mais de 100 linhas diferentes, Reformando a parada do Instituto de Educação ou usando aquela região perto do Túnel que está ociosa, consegue-se eliminar milhares de quilômetros por dia.

    Esse sistema de ônibus obriga o usuário a rodar mais, sem necessidade, esse custo recai sobre o IPK encarecendo a passagem.

    Curtir

  3. Prefeitura tornar mais eficiente o sistema = empresários ganhando menos dinheiro. Obviamente que ficará como está, tem muita gente ganhando grana com a bagunça generalizada dos serviços públicos.

    Curtir

  4. “Segundo a EPTC, um ônibus novo, sem ar-condicionado, custa entre R$ 600 mil e R$ 700 mil. Se o veículo for comprado com o aparelho, o valor aumenta em R$ 125 mil. ”

    Mas estão comprando esses ônibus da onde? Da Suécia?

    Alguém do tribunal de contas deveria dar uma olhada nesses valores. Com certeza estão superfaturados!!!!

    Curtir

    • Esse valor é para ônibus de turismo, comprado por unidade, direto da Marcopolo. Básico.
      Se comprado em grande quantidade é claro que o preço é diferente!!!! O ar condicionado dilui na prestação, mas para quem compra à vista, tem desconto maior que o valor do bem e… o ar acaba saindo de graça…

      Curtir

      • Ônibus rodoviário de turismo é diferente de ônibus urbano. O custo do ônibus urbano é muito inferior ao ônibus de turismo.

        A carris ou qualquer operadora de transporte urbano, dificilmente comprará apenas um carro. Quanto mais carros compram menor é o valor final. Então os valores apresentados nesse estudo estão ainda mais fora dos praticados da realidade.

        Curtir

  5. Que tal acabar de vez com a inutilidade dos cobradores para reduzir o tão falado custo? Informatiza logo toda a frota com o dinheiro que irão economizar e depois aplicam no desconto da tarifa. Chega de mimimi da prefeitura e EPTC para ficar justificando aumento nas passagens.

    Curtir

  6. A ideia de tirar o ar condicionado é de alguém que não usa transporte coletivo. Fica apenas no A/C do carro oficial da prefeitura.

    Curtir

  7. 1 ar condicionado para 1 ônibus custa 125 mil reais? É isso mesmo? Entendi direito?

    Curtir

    • Carao Abrao, tu estas certo. Nao sao verdadeiras as afirmações que o ar condicionado iria aumentar em R$ 125.000,00 por veiculo, e um mero e irresponsável chute de quem informou e um sem nocao. E aumento de 25% no consumo e outra estupidez, aumenta no máximo entre 5% e 7%……todos tem automóvel com ar condicionado sabe disto, so um insano para fazer esta absurda afirmação, e sem falar que os novos ônibus, seriam comprados no atacado, com grandes descontos, nos quais o ar condicionado saíra de graca para as empresas, e este aumento entre 5% e 7%, sobre o item combustível, no custo final da passagem, seria irrisório, nada que uma boa licitação (seria), nao possa absorver este desconto. Estes administradores tem que saber que a população nao e idiota, que qualquer lunático fala qualquer coisa e todos asseitam…..Porto Alegre…fiquem espertos, pois os espertos ja estão se articulando, para explorarem a população ……

      Curtir

    • Em setembro do ano passado a UFRGS adquiriu 3 ônibus rodoviários com ar condicionado e internet sem fio + quatro caminhonetes + 1 minivan por 1 milhão e 800 mil reais. Segundo a EPTC um ônibus urbano novo com ar (e sem internet) custa 825 mil reais.

      Pois bem, que milagre a UFRGS fez para comprar 3 ônibus rodoviários (mais caros que urbanos), 4 caminhonetes e 1 minivan pelo preço de +/- 2 ônibus urbanos cotados pela EPTC????

      Curtir

  8. Parabéns para a prefeitura por consultar a população. Atitude louvável!

    Há chance de reorganizar as rotas de forma a diminuir a sobreposição e melhorar a eficiência reduzindo-se o custo?

    Curtir

  9. Notem a pegadinha: vai consultar só que não vai dar tempo de mudar muita coisa no edital.

    Edital que aliás, ainda não foi divulgado.

    Curtir

    • Sim, quinze dias realmente é muito pouco tempo para mudar a frase: “Os veículos não poderão ter ar condicionado” para “Os veículos deverão ter ar condicionado”.

      Curtir

  10. Como gostam de perder tempo!

    Curtir

    • R$3,50 se ficassem ligados o AC os 365 dias do anos né? Levaram em consideração neste cálculo que não há gasto com manutenção e combustível no inverno?

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: