Mais da metade dos brasileiros acham que País não deveria sediar Copa

Pesquisa da CNT mostra que 75,8% dos entrevistados acham que investimentos foram desnecessários

Caso a escolha do país que vai sediar a Copa do Mundo de 2014 ainda fosse ocorrer, 50,7% dos entrevistados na pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) não apoiariam a candidatura do Brasil. Outros 26,1% seriam totalmente a favor da medida e 19,7% defenderiam parcialmente o evento no país.

A pesquisa foi divulgada hoje (18) pela CNT e mostra também que 75,8% dos entrevistados avaliaram que os investimentos feitos no país para a Copa do Mundo foram desnecessários. Ficou em 13,3% o percentual dos que consideram esses investimentos adequados.

Em relação às obras de mobilidade urbana feitas para a Copa do Mundo como metrô, trens e corredores de ônibus, a maior parcela dos entrevistados (66,6%) não acredita que ficarão prontas a tempo dos eventos nas cidades-sede. Os que acreditam que as obras estarão concluídas a tempo são 27,7%. Os que não sabem ou não responderam ficaram em 5,6%.

As manifestações públicas durante o mundial de futebol são esperadas por 85,4% dos entrevistados e só 11,4% acreditam que o povo não irá às ruas. O percentual dos que pretendem participar dessas mobilizações chega a 15,2% e 82,9% não têm a intenção de protestar.

O otimismo quanto à Copa do Mundo surge na pesquisa quando o assunto é a seleção brasileira. Um total de 56,2% dos entrevistados acredita que o Brasil vai ser o campeão do mundial de futebol. Outros 34,6% acham que a seleção brasileira não vai vencer a copa e 9,2% não sabem ou não responderam a pergunta.

Nesta edição da pesquisa foram entrevistadas 2.002 pessoas em 137 municípios de 24 unidades da federação, entre os dias 9 a 14 de fevereiro. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais. A pesquisa foi encomendada pela CNT ao instituto MDA.

Correio do Povo



Categorias:COPA 2014

Tags:, ,

14 respostas

  1. O BNDES é o banco da mamãe e adivinha para quem ele empresta dinheiro?Olha se as pessoas achavam que a copa do mundo não iria ter custo ou são insanas ou da turma do balão mágico,vivendo no mundo da lua,e dá no mesmo. Não sei como os outros povos do mundo ocidental tratam esta coisa de dinheiro publico mas aqui com certeza as pessoas ou uma parcela delas não tem a minima idéia que pagam impostos e que o dinheiro é do governo portanto não é delas.O alarme só toca e olhe lá quando se precisa do serviço publico que é pago pelos impostos não funciona.Obras de infraestrutura são necessárias e muitas vezes dispendiosas por isso devem ser bem pensadas.Não sou especialista em mobilidade urbana mas pelo o que eu tenho ouvido muitas dessas obras são micos evão trazer mais problemas no futuro.As obras não são decididas por urbanistas e sim por politicos que não tem conhecimento técnico e estão se lixando para a cidade pois o deles está garantido no fim do mês.

    Curtir

  2. Deveria ser um orgulho para nós gaúchos que o nosso estádio da Copa foi o ÚNICO a não utilizar dinheiro público (fora essa palhaçada de estruturas temporárias)

    Curtir

    • Se dinheiro emprestado pelo BNDES não é público, não sei o que é. Dinheiro do BNDES só deixa de ser público com financiamento quitado. Do contrário, é dinheiro público sim, e a juros irrisórios.

      Curtir

      • O dinheiro do BNDES não é público, porque não pode ser usado livremente por um governo, nem vem das receitas dos impostos do governo. Banco é banco, capta recurso numa ponta e empresta na outra, cobrando juros por isso. Só porque o BNDES é público, não torna seus recursos públicos.

        Curtir

        • Julião, adivinha qual é uma das principais fontes de captação do BNDES? Emissão de títulos públicos! Isso mesmo, ou seja, quando o BNDES empresta dinheiro, está transferindo a conta (ou parte dela) para nós, contribuintes. Por isso, a mim importa que o dinheiro que o BNDES empresta seja para investimentos que tornem o país mais competitivo e a dívida pública se pague de outras formas, como maior arrecadação de impostos, crescimento do PIB, mais empregos, etc.

          Um estádio de futebol não me parece dar boas perspectivas de retorno de investimento, ou seja, quem compra títulos públicos, em alguma medida está recebendo juros da construção do Beira Rio.

          Curtir

        • Captar e repassar recursos para um Banco dá direito a um crédito, mas isso não o faz o dono dos recursos desse Banco,

          Curtir

        • O grande problema do país é exatamente a falta de investimentos e não o contrário, e no caso o BNDES faz bem esse papel de aumentar os investimentos.

          Curtir

        • Na questão dos estádio reformados/construídos para a Copa, o grande problema é que esses financiamentos foram feitos por governos estaduais para estádios público, que, daí sim, terão de usar recursos públicos para quitá-los. Nos estádios privados, isso não acontece e cumpre exatamente a função para o qual o BNDES foi criado.

          Curtir

        • BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Desenvolvimento econômico: torcedores pagando mais caro por ingressos, porém com estádios mais vazios. Desenvolvimento social: metade do RS orgulhoso por ter um estádio que sediou cinco jogos da copa. É, nesses aspectos haverá desenvolvimento econômico e social.

          Curtir

  3. “75,8% dos entrevistados avaliaram que os investimentos feitos no país para a Copa do Mundo foram desnecessários”
    Para mim é surpreendente esta percepção da maioria da população. Embora não fiquem prontos para a Copa, os investimentos em infraestrutura são fundamentais, na minha opinião. Reforma e ampliação de aeroportos, Ruas, viadutos, BRTs, Energia Elétrica, Telefonia, etc, não acho que sejam investimentos desnecessários. Talvez o pessoal esteja opinando sobre a parcela investida em estádios.

    Curtir

    • sim, pq ninguém ve as obras de mobilidade como prontas.

      Curtir

    • As obras de mobilidade serão revertidas como endividamento. Ficaremos 30 anos sem investir nada nas nossas cidades porque queríamos deixar tudo bonitinho para a copa. Só que os turistas, que poderiam gastar mais dinheiro se tivéssemos uma melhor infraestrutura, não vão gastar, irão se deslocar menos, ficar menos tempo na cidade em função dos atrativos turísticos inacabados, etc.

      Ou seja, ficamos com o pior dos mundos: obras feitas a toque de caixa, financiadas, e que não reverterão em aporte financeiro para a cidade durante a copa. Essas obras poderiam ter sido feitas a qualquer momento do jeito que estão.

      Curtir

  4. 15% pretendendo participar de protestos, justamente nesse momento de Black Blocs é impressionante.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: