Copa pode injetar meio bilhão de reais na economia gaúcha

Estimativa da FEE projeta crescimento de 0,15% no PIB do Estado durante os 16 dias de evento

meio-bilhao-reais-copa-2014-rsPorto Alegre – Durante os dias 15 a 30 de junho deste ano, o Rio Grande do Sul pode ter um acréscimo financeiro de R$ 503,6 milhões. Esse é o impacto da Copa do Mundo projetado pela Fundação de Economia e Estatística do Estado (FEE). Na prática, R$ 228,3 milhões entrariam na economia gaúcha de forma direta e R$ 275,3 milhões de forma indireta. O que resultaria em 0,15% de aumento no PIB (Produto Interno Bruto) do Estado.

A geração de emprego também é um fator que contribui para essa projeção. A FEE espera que neste período sejam gerados 12.486 postos de trabalho, sendo 7.567 diretos e 4.919 indiretos. A estimativa de arrecadação do ICMS (Imposto sob Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) pode chegar a R$ 36,4 milhões. Grande parte desse total deve ser oriundo de serviços de hotelaria e comércio, setores que mais devem lucrar durante este período, já que a Embratur – Instituto Brasileiro de Turismo – espera que 207 mil turistas visitem a terra gaúcha durante estes 16 dias. Segundo cálculos da própria Embratur, com base no Mundial da África (2010), cada turista poderá gastar entre R$ 11 mil e R$12 mil em pouco mais de duas semanas.

Mas, para esta pesquisa ser verificada na prática, é necessário que o evento chegue ao Rio Grande do Sul. Hoje, o impasse para a realização do investimento nas estruturas temporárias gera polêmica e incerteza da realização da Copa aqui no Estado. O governo garante que não haverá investimento estadual. Porém, para ajudar a contornar a situação, será estudada uma forma que haver a contrapartida privada com redução dos impostos como benefício.

Entre esta quarta-feira (19), no máximo nesta quinta-feira, será apresentado um projeto específico para a Assembleia Legislativa, no documento será descrito o método do abatimento fiscal para as empresas que investirem na estrutura temporária.

Diário de Canoas



Categorias:COPA 2014, Economia Estadual

Tags:, ,

20 respostas

  1. AS faladas estruturas temporarias vão custar 30 milhões e o governo espera arrecadar 36 milhões em icms fora o que já foi gasto para copa, é piada.Ou seja o papo que o dinheiro vai retornarpara os cofres publicos que deveriam empregar o dinheiro em melhores serviços publicos é balela.A copa do mundo na Africa do Sull não trouxe melhorias para a maior parte da população só ficou a conta para pagar e adivinha quem levou o lucro.

    Curtir

    • Não sei se a Africa do Sul ganhou ou perdeu, até agora só vi gente achando coisas, outro estereótipo brasileiro, falar sem responsabilidade. O turismo na África do Sul cresceu muito, como demonstra o site http://www.statssa.gov.za/publications/Report-03-51-02/Report-03-51-022012.pdf, documento do governo sul africano. E aí só tem estatística até 2012, de 2012 para 2013 cresceu quase 10% mais. Isto é emprego e impostos. Sem investimento, só rezando para cair do céu!!!

      Curtir

      • Pedro não se trata de achar nada,quando você quer realmente saber como esta a real situação de um pais não deve buscar informações na midia oficial ou seja nas estatisticas de governo pois não são confiáveis e tampouco a midia ligada aos interesses economicos . Para quem conhece a geografia e a história recente da Africa deve saber que a Africa do Sul devido ao apartheid criou uma espécie de Disney na Africa ou seja um lugar sem grandes conflitos bélicos,um paraiso em relação ao resto do continente. Mas lendo o relatorio dá para notar que a maioria dos chamados turistas vem por terra e são do proprio continente,inclusive vizinhos.As entradas de turistas por via aerea nada de exepcional. Eu estive em 4 cidades da Africa do Sul antes da copa e posso te dizer que a infraestrutura para grande parte da população era péssima e provavelmente não mudou nada.Paises perifericos como a Africa do Sul a entrada de turismo não reflete necessáriamente em mais empregos ou aumento de impostos pois a sonegação é muito alta.Além do mais aAfrica do Sul já era vendida como destino turistico para europeus e americanos há muito tempo e pelos proprios numeros apresentados no relatorio não mudou muito,ou seja não foi a copa que motivou as pessoas a viajar para lá e sim o que o pais tem a oferecer há muito tempo.

        Curtir

  2. Só o estadio Baleia Branca de Brasília custou muito mais que 1 bilhão… levando isso em consideração é apenas uma confirmação que no final, só a FIFA saiu ganhando nessa brincadeira…

    Curtir

  3. O maior legado de um evento desse tipo é o aumento de nível de expectativa em relação aos serviços públicos e principalmente privados. O ideal era que todo mundo pudesse viajar mundo a fora e assim ter parâmetros para exigir (e oferecer) mais e melhor, mas como isso é impossível, outra grande oportunidade existe recebendo estrangeiros de todas as partes do planeta num evento, tipo Copa/Olimpíadas, possibilitando essa troca de informações.

    Em termos de serviços públicos provavelmente evoluíremos pouco ou o resultado virá mais longo prazo (resultado das esperadas críticas), mas em termos de serviços privados (alimentação, hotelaria, turismo em geral, etc) ainda acredito que teremos grandes melhorias. Quanto aos lucros do evento em si, por enquanto só vejo um beneficiário privilegiado, a própria FIFA (dona do evento, que terceriza todos os ônus e se apropria de todos os bônus).

    Curtir

  4. Acho que o verbo corretor deveria ser “poderia injetar”, mas, todo mundo sabe, não vai, porque somos incopetentes, desorganizados, mesquinhos e burros.

    Curtir

  5. Não entendi. Alguém tem alguma dúvida que qualquer evento realizado na cidade trás retorno financeiros para o município? Por que as cidades brigam para sediar provas de F1, F.Indy (POA já tentou), Feiras, Congressos, etc? Quando pagamos a conta de qualquer hotel, parte do valor vai direto para a prefeitura (ISS) o mesmo acontece com bares, restaurantes (inclusive Tia Carmen), etc. Cada dólar gasto no município, seja no que for, alguns centos vai para a prefeitura, óbvio.

    Curtir

  6. Cada turista gastar 11 ou 12 mil em Porto Alegre? Onde? No Tia Carmem?

    Curtir

  7. 500 milhões de retorno?

    Quanto custou pra fazer?

    Curtir

    • Do governo, nada!!!
      Todo este discurso me lembra o discurso do Olívio Dutra contra a internet na usina do Gasômetro. Grande visionário!!! Talvez o melhor seja quebrar mais um contrato agora, podemos nos superar, vai ser maior que a questão da Ford!!! Não só todo o Brasil vai nos achar não confiáveis, o mundo todo!!! Uau, este é o momento!!!!

      Curtir

      • Nada? Na hora de calcular o lucro tem que considerar as isenções fiscais.

        Curtir

        • O velho papo das isenções fiscais. O legal é cobrar imposto sobre zero, sobre o investimento que não vem. Uau!!! Por isto que estamos nesta situação. Bela lógica… Aliás, como a Ford e todas as empresas que não vieram pagam impostos aqui, não é? Como aquela decisão contribui para gerar empregos e renda no estado…
          Chega de estereótipos!!!!!!!

          Curtir

        • Ahhh certo, isencao não deve entrar como custo, afinal dinheiro público não tem dono.

          E sério, ford de novo? Que saco.

          Curtir

      • Esse papo da FORD??

        Again??Afff supera amigo!
        Quem quebrou contrato foi a FORD porque graças a uma MP do FHC conseguiu muito mais vantagens pra se instalar no Nordeste.

        Isso até o coxinha mais gorduroso sabe

        Curtir

        • Mas se não houvessemos dado chance não aconteceria obviamente, também “o coxinha mais gorduroso sabe”.
          Este é um país que quer sempre esquecer o passado. Mais um estereótipo!!!
          Nunca se deve esquecer os erros, só assim podemos evitar cometer o mesmo erro “over and over again”… como agora
          Memória serve para isto, para usar a experiência passada em prol de uma melhor decisão no momento atual.

          Curtir

        • Pedro, quem quebrou o contrato foi a FORD. Ponto final. O governo Olívio exigiu que ela cumprisse a clausula de contrato de prestação de contas antes de liberar o dinheiro, apenas isso.

          Mas sabe que eu não te culpo, você como muitos nesse estado foi bombardeado por anos por um mídia que repetia o mantra “Olívio mandou a FORD embora”…no fundo você é uma vítima, e eu sinto por você.

          Curtir

      • Essas fábricas geram emprego até certo período. É só ver o que ocorreu com as cidades nos EUA que as tinham. Todas quebradas. Tem é que atrair outro tipo de investimento para cá. O turístico seria uma boa. Se conseguirmos atrair os turistas, tratando-os bem e não repetir os erros que cometeram com os jogos que tivemos anteriormente acho que teríamos uma projeção boa da cidade.

        Curtir

  8. Factóides para justificar gasto público em plena divulgação pelo jeito.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: