Jornal espanhol detona o Brasil e diz que estádio da Copa está entre favelas


beira-rio-615x400

Duas semanas após a presidente da República, Dilma Rousseff, ter inaugurado oficialmente o Beira-Rio, o jornal espanhol ‘Sport’ publicou nesta sexta-feira um artigo criticando o atraso nas obras dos estádios Internacional, que irá receber cinco jogos da Copa do Mundo.

O texto afirma que “o Brasil não é só alegria e Carnaval”. “Hoje, o Brasil mostra a sua cara desenhado entre ruas escuras e maltratadas, rodeado em uma combinação de edifícios de luxo e vilas repletas de favelas”, diz parte do artigo.

A moderníssima Arena do Grêmio não passou batida. O diário catalão afirma que a nova casa do Tricolor Gaúcho também foi erguida entre cortiços e ruínas.

Artigo publicado pelo jornal 'Sport' faz duras críticas ao Beira-Rio

Artigo publicado pelo jornal ‘Sport’ faz duras críticas ao Beira-Rio

A publicação também recorda o alto índice de pobreza e insegurança que assola o Brasil. Os problemas de logística, infraestrutura e as estruturas temporárias do Beira-Rio também foram lembrados.

A reforma do Beira-Rio, que deveria ter sido finalizada há um ano, durou cerca de 24 meses e custou R$ 330 milhões, sendo R$ 275 milhões de financiamento federal. O estádio colorado será palco de cinco partidas do Mundial de 2014: França x Honduras (no dia 15 de junho), Austrália x Holanda (18/06), Coreia do Sul x Argélia (22/06), Nigéria x Argentina (25/06), além de uma oitavas de final (30/06).

Por Augusto Zaupa Atualizado em 7 de março de 2014

Fonte: Torcedores.com



Categorias:COPA 2014

Tags:

51 respostas

  1. Quem conhece Barcelona sabe que a autonomia da qual aquela cidade é capital, sendo milenar e fundada pelos Cartagineses, tem uma historia de destruição e reconstrução de mais de 2500 anos. Ela tem uma cultura que pela proximidade com a França não diz “gracias” mas “merci”. A Catalunha e barcelona oscilam entre duas culturas de dominadores, a cultura espanhola e a cultura francesa. Eles não são capazes de compreender o que é a América, na dimensão das diferenças que nela existe. Vivem de imagem a muitos anos e isto é demonstrado pelo fato de que a maior indústria da Espanha é a do turismo, ou seja, a cultura da imagem pela imagem para os outros a verem. Desde a expansão de CERDA, a revitalização da BARCELONETA e do POBLE NOU parece que a capital dos catalães esqueceu que aquelas áreas haviam sido desde os anos 20 um antro da escoria humana dos portos do Mediterrâneo Ocidental. Tiveram muito tempo e dinheiro a rodo, com o advento da União Europeia, para modificar e melhorar as condições daqueles espaços, vide as ultimas modificações que fizeram com projetos de recuperação e reciclagem da orla em frente ao POBLE NOU o que demonstra a pouca tradição dos arquitetos catalães em paisagismo. As críticas ao desenvolvimento dos projetos dos estádios brasileiros, mostra uma tradicional capacidade de crítica. Seria importante os espanhóis olharem para os desvios financeiros ocorridos pelos dirigentes do barcelona e das estatais que tiveram valores enriquecendo o marido de certa infanta. Temos problemas, sim nós temos, é bem verdade. Temos favelas… sim temos… e não vamos esconde-las atrás de tapumes para europeu nenhum ter seu olhar elitista ferido.

    Curtir

  2. Voltei da Espanha há poucos dias. Todo continente está em crise neste momento. O Brasil desde a independência está em crise. Mas não comparem a Espanha com o Brasil pois o país europeu continua recebendo milhões de turistas todo ano e não há favelas como aqui. A violência que se tem por aqui é absurda, quantos assassinatos, latrocínios diariamente na RMPA? A quantidade de turistas que chegará ao Brasil para a Copa não é nem perto do que a Espanha recebe no ano. Por isso eles estão certos em noticiar isso, um alerta para quem vier para cá. Na questão das favelas, é preciso dar segurança para quem vier. Ah, e a Espanha noticia muito bem os seus problemas. Discordo do comentário acima do Gustavo.

    Curtir

    • A Espanha fica fazendo pose de que tá por cima, mas os seus próprios habitantes estão vindo aqui pro Brasil, das favelas, em busca de emprego.

      Não acho que o Brasil esteja bem, pelo contrário. Mas a Espanha tá na lama e de lá vai demorar anos, quiçá décadas, para sair. A única diferença é que eles já tem uma infra-estrutura, e acredito que não seja difícil já que o seu tamanho é muito menor que o BR.

      Curtir

      • O que o tamanho da Espanha tem a ver com desenvolvimento?

        EUA, Canadá e Austrália deveriam ser pobres então pois são grandes e Uruguai e Paraguai ricos pois são pequenos

        Ou então, se este for o problema, a solução é simples: vamos desmembrar o Brasil ou implementar um federalismo verdadeiro!

        Curtir

        • É muito mais fácil construir ferrovias pra uma dimensão como a Espanha do que para o Brasil.
          Deveria ser algo linear, Brasil arrecada mais e gasta mais, mas a qualidade da administração no Brasil segue dimensões que só seriam adequadas pra algo como a Espanha.

          Curtir

  3. Sou gremista, mas o “repórter” se aproveitou de um “bom ângulo”. O entorno do Beira-rio atualmente pode não estar num bom estado, mas não é uma favela.

    E mesmo que fosse, os gringos não amam vir pro Brasil visitar favela? Estão reclamando do que?

    Curtir

  4. Só sei que o vizinho do estádio da copa em Porto Alegre, é a famosa vila buraco quente no triste, esquecido Morro Santa Teresa. Local de maior potencial turístico da cidade e que agoniza ha décadas!!!!

    Curtir

  5. Mas isso, desde que escolheram o Brasil, todo mundo sabia que ia acontecer.

    Curtir

  6. R$275 milhões de investimento federal? Eu li direito? Achei que o Beira Rio fosse o único estádio a não recebr dinheiro público!

    Curtir

    • FINANCIAMENTO, ou você é um analfabeto funcional? A AG pega 275 milhões emprestados do BNDES, e paga após, com juros, como um empréstimo em um banco normal. Simples assim.

      Curtir

      • grosseiro isso…

        Curtir

      • Serto. A gente somos analfabeto.
        Agora, onde consigo um financiamento com tais taxas? Nem meu pai me emprestaria dinheiro dessa maneira.

        Curtir

      • Acho que o analfabeto é o senhor, se acha que um empréstimo do BNDES a juros ridículos de baixos não é o mesmo que dar dinheiro público de mão beijada.

        Curtir

        • Atualmente, os empréstimos concedidos pelo BNDES representam um quinto do crédito total no país. E o que é ainda mais perturbador é o fato de que suas concessões de crédito têm sido direcionadas majoritariamente para as indústrias favoritas do governo, empresas grandes que não teriam dificuldades para obter crédito no mercado.

          Em 2013, a taxa de juros para os empréstimos subsidiados estava mais ou menos entre 3 e 5%, em termos nominais. Isso significa taxas de juros reais negativas. Ou seja, o governo está basicamente pagando as grandes empresas para que elas peguem dinheiro emprestado. Outros programas federais constitucionalmente obrigatórios estão oferecendo empréstimos a uma inacreditável taxa de 2,5%. Em suma, o capital é realmente gratuito — quando concedido pelo governo petista, é claro.

          O artigo inteiro aqui:
          http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1492

          Curtir

        • Caro Marcelo, eu nem me daria o trabalho de explicar isso para alguns indivíduos que provavelmente nem entenderão, mas já que tu o fizeste… É isso aí mesmo, e pode colocar aquele porto de Cuba aí nesse bolo. É doação de dinheiro público anunciada como empréstimo.

          Curtir

    • Este comentário esta muito certo… Que investimento federal foi feito no Beira Rio!

      Curtir

      • O que esta sendo pretendido de fato, pelo Internacional, é que o entorno seja financiado pelo Governo Municipal. Mas esta circunstância não vai ocorrer.

        Curtir

  7. Se pra eles, o Beira-Rio é no meio de uma favela (o que não é verdade)…Imagina se a Copa fosse na Arena então.

    Curtir

    • As favelas perto do Beira-Rio, em compensação, são as mais perigosas do RS, já as do Humaitá o pessoal não tem nem dinheiro pra comprar armas e drogas. Eu certamente prefiriria me perder no meio do Humaitá do que no meio do Santa Tereza e arredores (Vila Cruzeiro).

      Curtir

  8. Apenas a verdade.
    Mas né, não temos dinheiro para investir no básico.
    haha

    Curtir

  9. Mais um país usando a copa pra esconder os próprios problemas…

    Curtir

    • Comentário de Bruno Ribeiro, via twitter: “A classe média da Espanha tá revirando lata de lixo atrás de comida. Os caras não perdem a fleuma, hipócritas.”

      Curtir

      • Dois exageros!

        Mas, pelo menos, a Espanha tem toda uma infraestrutura pronta, para voltar a crescer ao fim da crise.

        Já quando terminar a Copa…

        Curtir

        • Duvido a Espanha sair da crise tão cedo. Digo mais, a crise lá não tá nem na metade.

          Curtir

        • Exatamente… E se for ver, a Europa sempre esteve em crises, guerras, ditadores, conflitos territoriais, étnicos, religiosos… Aqui não temos nada disso, nem infraestrutura, saúde, educação, transporte público…

          Curtir

      • Esse cara tá de brincadeira se acha realmente que a classe média lá tá passando fome.

        Curtir

      • Temos sempre que por em perspectiva o que é “crise” na Europa e o que é “crise” no Brasil.

        Aliás, o desemprego na Espanha ficou em 27% ano passado. A taxa REAL de desemprego no Brasil está por volta de 21%, o que não nos deixa assim tão diferentes:

        http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1471

        Curtir

        • Mas o RS, em questão de desemprego, tá sambando na cara da Espanha. E a crítica do jornal é POA.

          Curtir

  10. O pior é que eles estão certos.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: