Após mortes, ciclistas protestam em Porto Alegre

Grupo pediu maior segurança no trânsito depois de atropelamento de duas jovens

Ciclistas realizam protesto pacífico na Capital Crédito: Fabiano Amaral

Ciclistas realizam protesto pacífico na Capital
Crédito: Fabiano Amaral

Após o atropelamento de duas ciclistas por ônibus na quinta-feira, centenas promoveram um protesto pacífico na noite desta sexta na região central de Porto Alegre. Eles se reuniram desde o fim da tarde na Praça Garibaldi, esquina da Erico Verissimo com a Venâncio Aires, e pediram mais segurança no trânsito da Capital. A concentração foi organizada pela internet.

O movimento provocou o bloqueio de diversas vias centrais da cidade nesta noite. Por volta das 19h30min, o fluxo de veículos na Erico, entre Ipiranga e Venâncio Aires, ficou completamente fechado para os ciclistas. Muitos também acompanharam o grupo a pé por alguns trechos, enquanto palavras de ordem contra a violência no trânsito eram proferidas. Posteriormente, eles se dirigiram à sede da EPTC.

O protesto também causou bloqueios na Aureliano de Figueiredo Pinto e Getúlio Vargas. Em alguns momentos, os manifestantes pararam e fizeram atos de apoio às famílias das vítimas. O ato terminou por volta das 22h em frente ao Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa. Conforme a EPTC, nesse horário, todas as vias fechadas já estavam liberadas.

Ainda na quinta, um grupo menor havia feito uma vigília para homenagear uma das vítimas. Uma ciclista de 19 e outra de 21 anos foram mortas. Uma delas foi atingida na própria Érico Veríssimo e a outra no cruzamento das ruas Martim Félix Berta com 6 de Novembro.

Ciclistas querem rigor na apuração

Na análise do advogado Francisco Antônio Paim, representante do movimento Massa Crítica, que reúne adeptos do ciclismo como meio de transporte e estilo de vida, é necessária uma perícia criteriosa sobre os tacógrafos dos ônibus envolvidos nos dois acidentes que mataram as ciclistas na quinta-feira. Ele também pediu mais consciência dos condutores de todos os tipos de veículos e olhar mais apurado de toda a sociedade sobre o modelo de gestão pública para o trânsito.

Embora aparentemente tardia, diante a trágica perda de duas vidas em circunstâncias semelhantes, a reflexão deverá ser inevitável, garante o criminalista. Antônio Paim acredita que além da rígida apuração sobre a eventual responsabilidade dos motoristas, a sociedade deverá fazer cobranças da Administração pública sobre seu plano de gestão, em especial, da mobilidade cicloviária. “Não adianta pintar no chão faixas para bicicletas, sem a devida educação dos condutores de todas as modalidades sobre as leis e as práticas de boa convivência. Sem ampla educação, pintura no chão é apenas maquiagem de atuação pública, para prestar satisfação a eleitores”, provocou.

“Nutrimos a expectativa de que testemunhas do fato fiquem sensibilizadas e se apresentem à Polícia para ajudar a elucidar estas dúvidas”, concluiu o advogado.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

11 respostas

  1. Sem querer ir contra nada mas do primeiro acidente tem testemunha de como aconteceu, pelo menos li isso a respeito, e que a ciclista estava com fone de ouvido e sem capacete(andar de bicicleta com fone de ouvido é suicídio).Sobre o segundo acidente não vou me manifestar.
    Eu tenho medo de ciclistas que vem pelas calçadas em alta velocidade e atravessam a faixa de pedestre sobre a bicicleta desviando de todo mundo.
    Verdade tem que ser dita, que muitos motoristas em geral, pedestres e ciclistas não seguem as leis de trânsito, todos sabem quais são mas cumprir para que.
    Quem burla acha que esta sozinho no mundo e pode fazer o que vem entender….

    Curtir

  2. Sobre os motoristas de ônibus, a maioria realmente não respeita regras de trânsito em função da total inoperância da EPTC. Fiscalização não existe. Apenas radar móvel pra arrecadar, este sim funciona bem.

    Circulo quase diariamente pela Sertório e todo santo dia tem carro circulando pela faixa dos ônibus. Nunca vi um único azulzinho fiscalizando e aplicando multa.

    Já sobre os ciclistas… os porto alegrenses devem estar atirando pedra na cruz. Depois dos ecochatos, que há décadas emperram o desenvolvimento da nossa orla, agora surgem os bicichatos. Ô povinho pé no saco, viu?!

    Curtir

  3. Eu como motorista, ciclista e ex-passageiro de ônibus podem dizer que há tempos todos os motoristas e ciclistas fazem erros diários!

    Não há um dia que não se vê um carro se atravessando, trancando cruzamento, motoristas desatentos…

    Não há um dia que não se vê um ciclista no sentido contrario, ou fora da ciclovia em espaço que tem. Ou ciclista que atravesse no sinal verde…

    Ou um ônibus fazendo trajeto errado, alta velocidade, se atravessando… Um horror, talvez a pior categoria de motoristas!

    Curtir

  4. Onde já se viu protestar e atrapalhar o trânsito? ? As pessoas tem que morrer em silêncio, todas 40 mil por ano!

    Curtir

  5. Eu ando de carro, não tem um dia que um onibus não faça besteira no transito, será que somente eu vejo isto? Será que nenhum funcionario da EPTC não vê isto, nos movemos por denuncia, os orgãos de fiscalização não fiscalizam nada, e se vamos denunciar precisamos nos identificar, e se o denunciado não gostar de nossa denuncia ficamos a merce dele, acho que tem que haver uma mudança comportamental, as pessoas so querem o dinheiro que o trabalho lhe proporcina, aquele comportamento dos delegados da Policia Federal lá no Rio de Janeiro na loja de loterias explica o que quero dizer, antigamente um policial era policial sempre, um funcionario da CEEE era sempre um funcionario da CEEE, ou seja no horario fora do trabalho se ele visse um cabo no chão ele comunicava a CEEE, ele estava prestando 3 serviços, um a comunidade, um a CEEE, e um ao seu proprio eu. SE nada for feito cada vez mais gente vai morrer, precisamos ser justos, concientes, verdadeiros e antes de tudo ser humano.

    Curtir

    • Eu ando de ônibus, não tem um dia que um ÔNIBUS, um CARRO, um CICLISTA, um MOTOQUEIRO, um PEDESTRE não faça besteira no transito, será que somente eu vejo isto?

      Curtir

      • Acho que o único que não vê é a EPTC, aliás, vê e depois perdoa a multa. Sabe como é, se a EPTC for efetiva nas multas ninguém mais vai fazer infração e acabam-se as galinhas dos ovos de ouro da EPTC, a indústria da multa.

        O objetivo da multa para a EPTC é lucro, por isso não multa sempre, só o suficiente para lucrar e manter os mal educados cometendo infrações. Estacionamento ilegal, por exemplo, multa em um ponto por uma semana e depois deixa um ou dois anos sem aplicar multa, só para a população pegar confiança que não acontece nada. Daí volta a multar, continua ganhando dinheiro sem coibir o estacionamento ilegal de uma vez.

        Curtir

    • A EPTC multa os ônibus, mas por “ordem da gerência” as multas são perdoadas. Foi só depois de divulgar esse fato que o Cappellari foi na mídia. Escreveu 8 palavras de consolo aos familiares da vítima e dois parágrafos inteiros tentando desmentir esse fato e arrumando desculpas. Garanto que se não tivessem divulgado esse escândalo o Cappellaria continuaria com aquela de “não é comigo”.

      Curtir

  6. A imprensa não conseguiu entender a massa crítica ainda. Representante? Oi?

    Curtir

    • A Massa Crítica ocorre em todo mundo, na última sexta do mes. Vai ser nesta sexta a massa. Acho que será uma das maiores.

      O da sexta passada foi um protesto, de ciclista, pedestre, cidadãos contra a violencia. O pessoal protestou caminhando, empurrando a bike, tinha muitos pedestres.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: