Apesar de ação judicial, projeto do Cais Mauá continua

O Armazém A7 foi o único que não foi tombado e será demolido para o Projeto de Revitalização do Cais Mauá. Imagem: Google Maps

O Armazém A7 foi o único que não foi tombado e será demolido para o Projeto de Revitalização do Cais Mauá. Imagem: Google Maps

O desembargador federal Cândido Alfredo Silva Leal Júnior, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, manteve as obras no Cais Mauá, em Porto Alegre.

Ele negou, na última semana, liminar do Sindicato dos Conferentes de Carga e Descarga nos Portos Fluviais do Rio Grande do Sul, que pedia imediata paralisação do projeto.

A entidade alega que a empresa Porto Cais Mauá, vencedora da licitação da reforma do complexo do Cais Mauá, não teria a capacidade financeira alegada no contrato, bem como não teria apresentado até agora os projetos das obras a serem executados.

A demolição do Armazém A7, construído entre 1938 e 1941, é outra preocupação do Sindicato. A entidade pede que seja preservada a construção, alegando que é tombada pelo IPHAN e que sua demolição não teria sido liberada.

Affonso Ritter



Categorias:Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, ,

32 respostas

  1. Coitadinha da Tania Faillace & cia….devem estar com enxaqueca hoje!!
    hahhahaaaaaaaa……
    #chupa.sua.louca

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: