Projeto do Parque do Gasômetro deve ser votado quarta-feira

Sebastião Melo participou da audiência pública na noite de segunda-feira   Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Sebastião Melo participou da audiência pública na noite de segunda-feira   Foto: Ricardo Giusti/PMPA

O projeto de lei do Executivo que propõe a instituição do Corredor Parque do Gasômetro, no Centro Histórico da Capital, deverá ser o primeiro projeto discutido e votado na Ordem do Dia da sessão ordinária da desta quarta-feira, 26, a partir das 14 horas, no Plenário Otávio Rocha. A informação foi manifestada pelo presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereador Professor Garcia, na noite desta segunda-feira, 24, durante a audiência pública promovida pelo Legislativo e que debateu, no plenário Otávio Rocha, o projeto que prevê a criação do Corredor.

O vice-prefeito Sebastião Melo e o líder do governo na Câmara, vereador Airto Ferronato, defenderam que seja apreciada na sessão de amanhã a delimitação da área do parque, deixando a decisão sobre o rebaixamento ou não da pista para uma etapa posterior à votação da proposta pelo Legislativo. O projeto do Executivo chegou à Câmara Municipal no dia 6 de dezembro de 2013.

O espaço público, cuja criação está prevista no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental, deverá compreender o Museu do Trabalho e seu entorno, a Praça Brigadeiro Sampaio e a área delimitada pela avenida Presidente João Goulart, avenida Loureiro da Silva, rua Vasco Alves, rua Washington Luiz e rua General Salustiano, incluindo a totalidade da Praça Júlio Mesquita. Durante a realização da audiência, os ambientalistas e moradores voltaram a defender a necessidade de que a proposta inclua o rebaixamento da pista da avenida Presidente João Goulart.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Parques da Cidade

Tags:, , , , ,

6 respostas

  1. Acabou de sair notícia que a prefeitura continua se negando a fazer a tal trincheira…

    Curtir

    • E enquanto pessoas discursavam expondo seu desejo e argumentos para a tal trincheira o vice Melo ficava mexendo no celular…

      Curtir

  2. Se recusam pois só fazem trincheira em benefício de automóveis e, como lembrado pelo Leandro, cadê a “revitalização do Lerner”?

    A audiência de ontem foi o mesmo de sempre: o executivo repetindo como um gravador o que foi decidido em uma sala fechada e tapando os ouvidos para a população.

    Meu medo é que uma hora venham com uma solução tosca para o pedido de integração da orla, como uma passarela. Fecharia com o normal, relega o pedestre a segundo plano e garante o fluxo de automotores.

    Curtir

  3. Tem é que rebaixar isso logo e fazer aquele parque de maneira certa, garantir a segurança dos pedestres, porque a mauá recebe tráfego da castelo branco em alta velocidade. A Beira-rio também devia ter sido feita segregada do entorno desde o inicio, mas aí já é pedir demais.

    Curtir

  4. A prefeitura esta gastando 150 milhões para a freeway da orla com o viaduto meio estaiado do beira rio. Gastando mais algumas dezenas de milhões nas 3 trincheiras da perimetral.

    Mas não tem $ para fazer o rebaixamento do parque. Este que está há muito tempo no plano diretor, inclusive no projeto do Jaimer Lenner da orla. O rebaixamento tb está previsto no projeto do shopping do cais mauá.

    Toda a população quer o rebaixamento. Para os pedestre será muito bom (não vão ter que atravessar as 3 pistas de cada lado. Até os motoristas gostaram, já que possibilitará que saia a sinaleira da frente do gasômetro e tb a nova sinaleira da rótula logo adiante.

    Só o Fortunati e cia não quer.

    Curtir

    • Empreiteiras financiadoras de campanha não tem experiência com rebaixamento ou túneis. A especialidade deles é cobertura asfáltica e viadutos.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: