Estudos para o Metrô de Porto Alegre serão apresentados em 22 de abril

O prazo de entrega dos estudos e projetos da Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada para o Metrô de Porto Alegre, prevista incialmente para o dia 10 de abril, foi prorrogado para o dia 22 de abril de 2014, em decisão acordada entre a prefeitura e o governo estadual. A necessidade de prorrogação deveu-se à alta complexidade do projeto e ao volume de trabalho necessário para consolidar os documentos, por parte das cinco empresas habilitadas.

Os projetos recebidos irão subsidiar o futuro edital de licitação e minuta de contrato da PPP (Parceria Público-Privada). O edital vai definir o vencedor da PPP, responsável pelo projeto executivo e obra, estimada em cinco anos, e operação e manutenção da linha do Metrô por 25 anos.

Será qualificado o projeto de metrô mais adequado, observando critérios como menores custos de implantação e de operação, maior durabilidade e confiabilidade e menores impactos de obras, ambiental e urbanístico. O projeto deve considerar as mais modernas tecnologias e soluções disponíveis no mercado do transporte coletivo, métodos construtivos, tipo de trem, sinalização, segurança, acessibilidade e informação ao usuário, concepção de terminais, estações de integração com ônibus e outros modais.

Investimentos: 

O projeto MetrôPoa tem investimento total orçado em R$ 4,84 bilhões para execução das obras. Deste valor, o Governo Federal destinará R$ 1,77 bilhão, o Governo do Estado R$ 1,08 bilhão e Prefeitura Municipal em R$ 690 milhões e o Parceiro Privado com R$ 1,30 bilhão.

Para execução das obras e operação do Metrô em 25 anos, a Prefeitura Municipal investirá além dos R$ 690 milhões com as obra, R$ 195 milhões com desapropriações e R$ 500 milhões (25 parcelas de R$ 20 milhões anuais), como contraprestação do serviço durante a operação, totalizando R$ 1,385 bilhão.

Critérios de seleção:

– Disponibilidade: maior disponibilidade do serviço (horário de operação e frequência);
– Eficiência: menor tempo de viagem e etapas do processo de deslocamento (informação, acesso, pagamento, espera, deslocamento, transbordo e desembarque);
– Acessibilidade: deslocamento, acesso às estações e aos serviços internos, incluindo bilhetagem, embarque, desembarque e interligação com outros modais;
– Atendimento: infraestrutura de atendimento, estrutura física e equipamentos para interface e informação ao usuário;
– Conforto: melhor infraestrutura de assentos, ruído, iluminação, climatização, vibração, facilidades ergonômicas, sanitários e oferta de comércio e serviços;
– Informação: recursos de informação dinâmica e estática, visual e sonora, nos veículos, estações, acessos, no entorno e à distância.
– Segurança: planos de emergência, ações preventivas, dispositivos e equipamentos com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes.



Categorias:Metro Linha 2

Tags:,

13 respostas

  1. É preciso ter fé.

    Curtir

  2. O Blog não vai publicar nada sobre o Fórum da Liberdade? Cada vez mais me convenço que esse é um canal de extrema esquerda!!!

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2014/04/primeiro-painel-do-27-forum-da-liberdade-discute-competitividade-4468792.html

    Curtir

    • Ps. Isso é uma brincadeira viu? Na verdade estou ironizando aqueles que acusam o blog de ser de direita… o Fórum Social tava todo dia aqui…..

      Curtir

  3. #NãoVaiTerMetrô

    Curtir

  4. Talvez seja mais fácil o Sargento Garcia prender o zorro do que sair algo bem feito nesta capital, ainda mais o metrô…

    Curtir

  5. Só vendo para acreditar que esta obra um dia vai começar. olha duvido muito? É ano de eleição prometem de tudo.

    Curtir

  6. oremos………

    Curtir

  7. Me pergunto em que ponto da Borges irão abrir um poço grande o suficiente para colocar ou retirar uma tuneladora.

    Curtir

    • Olha se algum dia eles informarem uma data concreta pelo menos para apresentar o projeto já é lucro.

      Curtir

    • Geralmente tuneladoras não são removidas. Eles devem deixar lá pra expansão da linha pra bento.

      Curtir

      • Isso se começarem o túnel pelo Triângulo. Não sei quanto é o custo de uma máquina ociosa ou de desmontar a máquina para retirá-la. Sei que, reza a lenda, há uma tuneladora abandonada 80 metros após a estação Estácio da Linha 2 do MetrôRio porque “técnicos avaliaram que era mais barato deixá-la lá”. Mas é fato que é uma máquina cara para simplesmente deixá-la parada, mesmo após a conclusão da linha. Em SP por exemplo, a tuneladora que construiu a L4 agora está servindo à L5.

        Curtir

    • Ali perto do mercado publico na prefeitura é um bom lugar

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: