Segundo aeromóvel começa a operar

aeromovel

Obs.: Aeromóvel entrará em operação comercial a partir do dia 1º de maio … das 05:00 às 23:30, mesmo horário do trem.

Jornal Metro – Porto Alegre – 15/04/2014



Categorias:Aeromóvel, Aeroporto Internacional Salgado Filho

Tags:,

14 respostas

  1. O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) suspendeu a concorrência internacional para a construção da Linha 18-Bronze, o monotrilho que vai ligar a capital ao ABC. A abertura das propostas estava marcada para quarta-feira (16).

    A decisão foi tomada após pedido da empresa PL Consultoria Financeira, que contestou a concorrência, alegando existir no mundo apenas duas fabricantes do monotrilho: a Canadense Bombardier e a Japonesa Hitachi. E que, por isso, as cláusulas do edital “inviabilizam a competição e, em consequência disso, comprometem a eficiência do sistema.”

    Em Agosto de 2010 a Trensurb adquiriu o pacote tecnológico do aeromovel. De 23/12/2010 à 01/02/2011 foi realizado pela Trensurb o processo licitatório público para o fornecimento de dois veículos, incluindo serviços de engenharia, suprimentos, montagem, instalações, fabricação e transporte.

    Em abril de 2011 a empresa T’Trans Sistema de Transporte S/A, vencedora e única participante da licitação para contratação da fabricação dos veículos, assina o contrato. O prazo para conclusão dos serviços seria de seis meses a partir da assinatura do contrato.

    Em São Paulo foi suspenso por existirem apenas 2 fabricantes do sistema monotrilho. E, em Porto Alegre, as cláusulas do edital não inviabilizavam a competição? Os serviços foram concluídos em outubro de 2011? O TCU nada constatou de anormal neste processo do aeromóvel?

    Curtir

    • Olho, se você perguntar pro pessoal da área, vai ouvir que o preço por quilômetro do aeromóvel – mesmo tendo apenas esse um vendedor na concorrência – é significativamente menor do que as outras tecnologias como o monotrilho.

      Cabe observar, também, que o projeto do aeroporto tem um cumprimento e complexidade bem menor que o da Linha 18 de São Paulo – além de ter claramente um caráter mais “experimental” do que essa Linha 18, que é claramente “pra produção”. Se estivéssemos falando de uma linha de aeromóvel de maior cumprimento, com várias estações, e uso urbano comum (e.g. projeto de Canoas), aí sim caberia ficar em cima desses problemas.

      Curtir

      • Não estou questionando o custo “bem menor” de R$ 40 milhões/km. E certamente o “pessoal” da área não deve achar este valor muito adequado para a finalidade de movimentação de pessoas a que se propõe. Comprimento e complexidade bem menor??? Mas reitero a finalidade de meu comentário sobre a suspensão da concorrência em SP por falta de competitividade. Ou o sistema monotrilho não é mais complexo, considerando apenas 2 empresas internacionais deterem tal tecnologia.

        Curtir

    • Acredito que o que foi licitado foi “módulos de tecnologia” e não o Aeromóvel em si. Deve ter sido licitado a empresa que iria administrar o projeto, a empresa que forneceria os dutos (trilhos), a empresa fornecedora dos propulsores, a empresa fornecedora dos veículos, a empresa fornecedora do controle… Para esses módulos individuais há dezenas de empresas brasileiras que podem concorrer. Fora isso, todo mundo sabe que o Aeromóvel é único, ao contrário do monotrilho, logo não deixariam um furo tão grande em uma licitação.

      Curtir

    • Me pergunto como alguém promoveu essa ação, e como o juiz acatou, com esse argumento de que apenas duas empresas fabricam monotrilhos no mundo, Bombardier e Hitachi. Se o juiz tivesse pesquisado, saberia que na linha 17-ouro, também paulistana, vão rodar monotrilhos fabricados pela Scomi e MPE, fora essas, ainda consigo listar Mitsubishi e CNR como fabricantes de trens para monotrilho.

      Já a questão do aeromóvel, realmente, a tecnologia pertence à somente uma empresa, porém os sistemas de controle, via férrea, veículos e sistemas embarcados são praticamente todos de prateleira, tendo inclusive a Marcopolo auxiliado na fabricação do primeiro aeromóvel.

      Curtir

  2. Nesse mesmo tempo a China ja teria feito 5.000 km de trilhos com trens bala circulando de 2 em 2 mins………

    Curtir

    • É que no Brasil se prefere fazer estradas e viadutos, gastando petróleo e necessitando de manutenção cara.

      Curtir

  3. A implantação do aeromóvel ligando o terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho a Estação Aeroporto do metrô é sem dúvida uma grande iniciativa para novas linhas a serem implantadas na capital. nota 10.

    Curtir

  4. O aeromóvel funcionará comercialmente e completamente a partir de 1º de maio de 2014..

    Curtir

  5. Bem que o BRT poderia seguir a mesmo conceito. Coloca algumas paradas e deixa-o funcionando de forma experimental para testar o sistema. Mas no fundo, o que eu acredito é que a prefeitura não quer que o BRT funcione, então quanto mais ficar ensebando, esburacando, desviando, colocando concreto, instalando parada provisória, melhor, seguindo a lógica da prefeitura de prejudicar o transporte coletivo.

    Curtir

    • E com certeza em qualquer candidato que assumir vai ser assim, exceto nas campanhas politicas, onde tudo muda, tudo vai ficar lindo ao assumir, e isso ocorrendo, dizem que não é bem assim, e se candidatam novamente pois em 4 anos não conseguiram cumprir o prometido, e por aí vai…..

      Curtir

  6. DE FORMA EXPERIMENTAL!!!!!!! Ou seja, não está concluído, alem do mais, fins de semana, que tem grande fluxo de pessoas pro aeroporto, ele não funciona, quando isso vai ficar funcionando??????

    Curtir

  7. Finalmente algo foi concluído em Porto Alegre.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: