EPTC fará estudo para avaliar impacto de teste com sinaleiras no transporte coletivo

Intervalo de 30 segundos vai ser implantado no Centro Histórico a partir das 22h

A Empresa Pública de Tranporte e Circulação (EPTC) testa, entre esta terça e quinta-feira, o impacto da mudança nos tempos das sinaleiras de Porto Alegre. O órgão pretende, em seguida, fazer um estudo técnico para dimensionar o aumento no tempo de deslocamento do transporte coletivo. A fim de dar conta da demanda de 1,2 milhão de passageiros diários da cidade, o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, admite que pode haver redução nos horários de ônibus ou aumento no número de coletivos, hoje de 1,7 mil.

Caso a EPTC decida pela segunda opção, Cappellari reconhece o possível impacto na tarifa, que hoje custa R$ 2,95. Ele fala, porém, que antes é preciso apurar quais linhas serão afetadas e qual o acréscimo no percurso de cada uma. Segundo Capellari, terão que ser levados em conta os gastos com a aquisição dos veículos e também com funcionários e consumo de combustível. A partir disso, deve ser feito o cálculo do reajuste.

A partir das 22h, 238 sinaleiras terão o tempo alterado, respeitando o mínimo de 30 segundos para travessia de pedestres, estabelecidos pelo Estatudo do Pedestre, aprovado na Câmara de Vereadores e que deve ser sancionado pelo prefeito José Fortunati.

Os equipamentos estão instalados em um trecho entre a avenida Ipiranga e a rua Ramiro Barcelos e a região Central de Porto Alegre. Após a entrada em vigor, todas as 1,1 mil sinaleiras da cidade terão o tempo alterado.

Mapa mostra a área da cidade onde ocorre o teste nas sinaleiras | Foto: Divulgação / PMPA

Mapa mostra a área da cidade onde ocorre o teste nas sinaleiras | Foto: Divulgação / PMPA

 

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

34 respostas

  1. Até as pedras sabem que a alteração do tempo dos semáforos para pedestres para 30 segundos iria causar algum impacto no trânsito. Por isso, cada local deveria ser estudado individualmente e sincronizado com os demais semáforos do entorno.

    Aplicar a medida, ainda que a título de “teste” a TODOS os semáforos da região central da cidade, de uma vez só e sem atentar para o sincronismo é uma decisão cretina e de má-fé da EPTC, só para a anta do Capellari poder dizer: “Viram? Eu avisei!”

    Curtir

  2. Interessante que a lei é para os pedestres mas as notícias só falam no fluxo de veículos, ônibus, etc. O que isso diz sobre nossa cultura? Que ninguém tá se lixando para quem caminha talvez?

    Só gostaria de lembrar aqui também que os manuais tecnicos recomendam que o atraso de pedestre seja de no máximo 10s, ou na pior das hipóteses 30s, senão muitos pedestres irão avancar o sinal. Mas é conveniente que continue assim, com eles avançando, assim podem ser culpabilizados pelo incidente (não me venha com “acidente”) como sempre acontece certo?

    Curtir

  3. Sim. Aí tu coloca todas as sinaleiras 30 segundos no Centro e no resto da cidade tu deixa as sinaleiras no tempo normal (que é mais rápido). JURA que não ia ter engarrafamento. Esse teste da EPTC é totalmente irracional. A única coisa que conseguiu demonstrar é a dependência do nosso trânsito e a concentração de serviços quanto à região central da cidade.

    Curtir

  4. Infelizmente tem que ter uma lei (pressão) para que o executivo execute um estudo de forma séria.

    Curtir

  5. Acho muito bom no mínimo 30 segundos de travessia independente da largura da rua. Ainda mais na zona central. A prioridade deve ser o pedestre, as ciclovias e o transporte público.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: