Prefeito anuncia veto à emenda dos 30 segundos para pedestres

Foram registradas mais de 600 reclamações de problemas no trânsito   Foto: Anselmo Cunha/PMPA

Foram registradas mais de 600 reclamações de problemas no trânsito   Foto: Anselmo Cunha/PMPA

A emenda da Câmara Municipal ao Estatuto do Pedestre, de exigência de tempo mínimo de 30 segundos em todas as travessias de pedestres, não resistiu ao teste realizado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), na manhã e início da tarde desta terça-feira, 29. Em razão dos imensos engarrafamentos em toda a área central da cidade, com atrasos de até 50 minutos em diversas linhas de ônibus, e após relatos de técnicos da EPTC, o prefeito José Fortunati anunciou o veto à emenda. “A prefeitura, pela EPTC, deverá analisar caso a caso todos os pontos onde existir necessidade de ajustes nos tempos semafóricos, para uma maior segurança dos pedestres”, afirmou Fortunati.

Equipes responsáveis pela programação e manutenção dos semáforos já trabalham para que as sinaleiras voltem à normalidade até esta quarta-feira, 30.

Desde o começo dos testes, programados inicialmente para terça e quarta-feiras na área central, com reprogramação dos tempos em 238 semáforos, ficaram evidenciados os conflitos na circulação, com imensos engarrafamentos no perímetro entre a Ipiranga, Ramiro Barcelos e todo o centro da Capital. As principais vias, como a própria Ipiranga, João Pessoa, Azenha, Princesa Isabel, Mauá, Ramiro Barcelos e Túnel da Conceição, sofreram engarrafamentos de trânsito e atrasos constantes nos ônibus.

Reclamações – Segundo dados da EPTC, foram registradas mais de 600 reclamações pelos fones 156 e 118 relativas a problemas no trânsito e atrasos nas linhas de ônibus, lotações e táxis. Muitos pontos de engarrafamento foram verificados, prejudicando o deslocamento de 1,1 milhão de usuários de ônibus e condutores de veículos particulares. “As avenidas Azenha, Ipiranga, Mauá, Ramiro Barcelos, Independência, Borges de Medeiros, Sarmento Leite e outros eixos importantes da cidade apresentaram graves problemas de tráfego. Nosso principal objetivo foi tentar dar condições ao transporte público, mas verificamos que ocorreram muitos atrasos”, destacou o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

A circulação dos ônibus no corredor da Cascatinha (avenidas Érico Veríssimo e Aureliano Figueiredo Pinto) teve a velocidade média reduzida de 15 para 5 km/h. Comparando hoje com a terça passada, a linha de ônibus 274 – Glória teve um atraso de 38 minutos em viagem, no pico da manhã. Além da T1, com atrasos de até 50 minutos, outras linhas muito prejudicadas foram a 268 – Belém Novo e 178 – Praia de Belas, ambas com 34 minutos de demora. “Após o veto, a orientação do prefeito foi reformular e trabalhar os tempos semafóricos para que o pedestre tenha mais tempo onde é necessário, levando em conta sempre preceitos técnicos. Para isso, seguiremos monitorando as vias e tomando as medidas necessárias para dar prioridade ao pedestre”, disse Cappellari.

Neste momento, Fortunati fala sobre o assunto em entrevista coletiva.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , , , ,

18 respostas

  1. Não tenho palavras a dizer esse… José Fortunati.
    .
    Ele e o Cappelari sacanearam sem dó o pedestre e qualquer tentativa de mudar essa cultura nojenta do #RsdoNão de amarrar o cavalo na frente do bolicho, sem falar no culto ao shopping e lobby do automóvel.
    .
    Simplesmente mudaram o setor mais importante da cidade e fez de mudar toda a cidade.
    .
    A desculpa da onda verde é uma falacia desde 2003 quado governo federal começo a soterrar as cidades empurrando carro obedecendo o interesse do lobby do automóvel.
    .
    Agora vamos ter que esperar a EPTC se dignar mudar meia duzia de sinais e enrolar os alienados como ela fez com licitação de ônibus, 20 porcento das multas pra ciclovias sempre privilegiando o interesse da cultura do shopping e lobby do automóvel.
    .
    Assim com #RsdoNão continua alienando o povo com shoppings, esmagando o comercio de bairro e lobby do automóvel dando risada entulhando o povo com seu câncer do carro.
    .
    Também acabaram com possibilidade de trazer para o povo a necessidade de uma cidade sustentável, humana e um transporte coletivo de qualidade, com entrada do sistema BRT(de verdade), Metrô, VLT, Aeromóvel, Bike e etc….
    .
    Parabéns Fortunati, Cappelari, EPTC e claro, RSdonão vocês conseguirão de novo! Abre a espumante que o alienação continua.

    Curtir

  2. E não basta um tempo mínimo de 30 segundos de travessia. Os manuais técnicos recomendam neste caso um tempo de espera de até um minuto e, em nenhuma hipóteses, maior que um minuto e meio.
    Ver página 21 do documento de 2012 da Embarq, disponível na Internet: Seguranca Viária em Corredores de Ônibus Documento de Trabalho

    Curtir

  3. Poderiam ao menos usar esse caos para tentar pensar numa formula melhor pra isso.

    Acho que tem sim como mudar sem tantos problemas.

    Curtir

  4. Esse teste foi o teste mais fajuto que já se fez por essas bandas… que cara de pau do sr. Fortunatti.

    Curtir

  5. Eu trabalho perto do viaduto dos Açorianos e não vi caos algum. Mas não fiquei observando o tempo todo.

    O que posso afirmar é que pela primeira vez atravessei a borges sem esperar minutos a fio, com parada no canteiro central. Quase me emocionei.

    Curtir

  6. Pelo menos agora falam em reajusta os tempos dos semáforos para os pedestres de forma adequada, talvez, somente talvez, o enorme caos de hoje não tenha sido em vão.

    Só o que me impressiono, é que mesmo sabendo que o dia ia ser um caos em diversos pontos, não vi nenhum azulzinho ajudando a regula o transito, e evitando que motoristas trancassem os cruzamentos, isso é mais uma prova que tudo foi armado pra dar errado hoje.

    Curtir

    • Aí que está, não vai mudar nada. O Capelari já dizia que usavam uma forma adequada para os pedestres: tempo de 1m/s para atravessar. O resultado desta “normal técnica” é 8 segundos para atravessar as 3 pistas da beira-rio. Na realidade uns 6 segundos por que sempre tem gente furando o sinal e ninguém atravessa antes dos carros pararem.

      Curtir

  7. A pergunta que tenho sobre isso é, aumentaram proporcionalmente o tempo de sinal verde para os carros? Por exemplo, se antes era 10 segundos para pedestre e 30 para carros, agora seriam 30 para pedestres e 90 para carros.

    Curtir

    • Não acho que a mudança devia ser proporcional necessariamente, mas eu apostaria que apenas mudaram o tempo das sinaleiras e nada mais (e ficaram uma semana “planejando” isso hahah)

      Curtir

      • Pela lógica, aumentando os tempos proporcionalmente a fluidez do carro se manteria a mesma… talvez até fluiria mais rápido, pois trocaria 2 momentos de aceleração para carros em pleno movimento.

        Curtir

        • Faz sentido… Elimina-se período de aceleração e desaceleração aumentandoavevelocidade média. O único inconveniente é o psicológico de ficar esperando a sinaleira.

          Curtir

          • Quem esperar? pedestre ou motorista? Em SP o tempo de espera dos dois é maior que de POA. Aqui os intervalos são rápidos.

            Curtir

          • Eu estava pensando no desconforto do motorista esperando a sinaleira abrir, mas no fundo é dos dois. Com a nossa educação exemplar no trânsito se o ciclo for muito longo ninguém respeita nada.

            Curtir

    • Porto Alegre tem que mudar de nome para Rodoviária Alegre.

      Curtir

  8. Conseguiram executar o que queriam de maneira perfeita. Não nego, Maquiavel estaria orgulhoso.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: