Teste das sinaleiras provoca caos e EPTC considera impacto negativo

Autor do projeto pedirá revogação da emenda se prefeito sancionar a lei

EPTC alterou o tempo de 238 semáforos na cidade Crédito: André Ávila

EPTC alterou o tempo de 238 semáforos na cidade Crédito: André Ávila

A alteração do tempo de sinal vermelho de 238 semáforos de Porto Alegre por, no mínimo, 30 segundos causou um caos no trânsito logo nas primeiras horas da manhã desta terça. A modificação, que deve seguir até o feriado do Dia do Trabalho, é um teste para a implementação da emenda contida no Estatuto do Pedestre, aprovado na Câmara Municipal. Entre as principais vias incluídas na reprogramação, estão a Ipiranga, a Osvaldo Aranha e a Independência. Todas elas apresentaram congestionamento refletido em grande parte da cidade.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) trabalha há duas semanas para implantar o teste. Responsáveis pela programação e manutenção iniciaram a alteração às 20h de segunda-feira. Devido à complexidade do sistema, ele só será reformulado para os tempos voltarem à sincronia habitual na quinta-feira. O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, disse que a grande preocupação foi com o transporte coletivo, afetado consideravelmente pela modificação.

Um relatório com avaliação do dia, comparado com os demais será encaminhado hoje ao prefeito José Fortunati e à Câmara Municipal. Segundo Cappellari, todo o sistema é adequado à estudos técnicos e não pode ser gerido por lei. O tempo do sinal vermelho leva em consideração a largura das vias, a quantidade de carros e pedestres. Durante a madrugada, o período é reduzido para evitar assaltos. “O impacto do teste foi muito negativo. O prefeito está acompanhando e preocupado”, disse o diretor-presidente.

Autor do projeto de lei que atualiza o Estatuto do Pedestre, o vereador Nereu D’Avila (PDT) explicou que a emenda para alteração do tempo das sinaleiras foi inserida na e votada “na última hora”. Segundo ele, o teste provou que a mudança não funciona. “Se o prefeito sancionar, eu vou imediatamente apresentar um pedido de revogação da emenda”, declarou. Na opinião do parlamentar, Porto Alegre é heterogênea e a medida trata a cidade como um todo.

Para o autor da emenda, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT), não entendeu a forma como foi testada a determinação. “O que embasou? As sinaleiras foram sincronizadas?”, perguntou. Ele ressaltou que a matéria é clara e prevê o tempo mínimo de 30 segundos para os semáforos de pedestres. “Uma coisa é fechar todas ao mesmo tempo, outra é fazer isso no Centro”, disse, lembrando que o conteúdo favorece quem anda a pé. “Eu acho que estamos falando de prioridade no trânsito”, ressaltou.

O vereador ainda questionou os estudos técnicos que levam a prefeitura a determinar o período em que as sinaleiras ficam abertas. “Esses estudos técnicos não têm funcionado, porque as pessoas não tem tido tempo para atravessar. Será que este estudo leva em conta o sujeito mais fraco, como o idoso e a criança?”. A lei já foi aprovada pelos vereadores e deve ir para a sanção do prefeito José Fortunati nos próximos dias, antes de entrar em vigor. Ele já havia informado que aprovava a matéria. Caso o projeto seja assinado, todas as 1.091 sinaleiras terão de ser reprogramadas, apesar de nem todas terem interferência de pedestres.

Vias apresentaram congestionamento refletido em grande parte da cidade Crédito: André Ávila

Vias apresentaram congestionamento refletido em grande parte da cidade
Crédito: André Ávila

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , , , ,

40 respostas

  1. Ué? só teve congestionamento hoje em Porto Alegre?

    Curtir

  2. Ao invés de 30 segundos, tinha que ter uma fórmula do tipo t=k+(DxV), onde t é o tempo total da sinaleira para pedestre, k é uma constante, equivalente ao tempo de “start-up” do pedestre, incluindo a reação a abertura da sinaleira e o tempo para olhar para os sois lados antes de iniciar a travessia. D é a distância a ser percorrida pelo pedestre em metros, e V a velocidade da caminhada de uma pessoa andando devagar. E tem que ter tempo de atravessar as toda avenida. Ficar esperando vários minutos no canteiro central é um desrespeito.

    Curtir

    • Exato, isto se chama bom senso e civilidade. Mas aqui estipulam um valor arbitrário ridículo e se tu não concorda caem em cima de ti.

      Curtir

  3. Moro no Centro e caminhei bastante por aqui, não vi caos nenhum, fora os horários de pico que serão caóticos com 8 ou 30 segundos de sinaleiras fechadas. Mas não duvido que tenham tido pontos com transtornos já que este teste foi ridícula e intencionalmente mal feito. E foi notável a melhora na circulação pra quem é pedestre, mas quem liga pra opinião de pedestre? A divulgação dos resultados pelos grande meios foram muito parciais. E lembrando que é importante ter um bom tempo além daquele que resulta do cálculo da largura da via, pra evitar esperas (em Porto Alegre é muito comum enxergar a sinaleira verde para o pedestre de uma certa distância e quando chega para atravessar ele fecha – esse anda e para acaba com a boa mobilidade a pé), já que, ao contrário de carros, o fluxo de pedestres não é tão constante que seja possível sincronizar sinaleiras. Mas enfim, mais uma vez Porto Alegre se mostrou uma cidade com um discurso anti-carro só da boca pra fora, na prática são poucos dispostos a abrir mão do carro mesmo com todos os prejuízos que ele causa pra cidade.

    Curtir

    • O que mais chama a atenção das matérias é que nenhuma fala dos impactos positivos (ou sequer menciona que não houve impacto) ao pedestre. Desceram lenha no suposto impacto negativo nos carros, mostrando que já tinham decidido o que achavam.

      Curtir

  4. A Azenha tava um inferno hoje, mas provavelmente por tá dessincronizada dos outros semáforos, e muitos motoristas trancando o cruzamento, e nenhum azulzinho pra fiscaliza isso, ou seja, caos total.
    Da João Pessoa até o centro tava tranquilo.

    Curtir

  5. E pro terrorista miserável do Cappellari, bingo!
    Baita otário, ameaçando de caos e blablabla…

    De ônibus, não houve nenhum problema!

    Curtir

  6. A Carlos Gomes com a Furriel tava fluindo, achei muito estranho.
    Explicado.

    Curtir

  7. Em Singapura pessoas idosas ou com dificuldade de locomoção podem solicitar mais tempo.

    Curtir

    • Talvez o dia que o sistema de semáforos for realmente todo online (no sentido de controlado em tempo real por uma central) e aprenderem como sincroniza eles, possam pensa em algo assim.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: