FIFA avisa aos torcedores que vão à Copa: o Brasil não é a Alemanha

Para a entidade, o maior desafio da falta de estrutura da Copa e da opção de levar o Mundial a todo o país será para os torcedores.

Valcke diz que governo Lula e Ricardo Teixeira pediram à Fifa para que as seleções não ficassem em apenas uma região e que a Fifa acreditou que, em cinco anos, a infra-estrutura de transporte estaria pronta

logo-copa-201411GENEBRA – A Fifa alerta aos milhares de torcedores estrangeiros que, nas próximas semanas começarão a desembarcar no Brasil para a Copa: não adotem os mesmo comportamentos e o mesmo planejamento como se estivessem na Alemanha na Copa de 2006. Quem reconhece isso é o próprio secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke. “Não apareça (no Brasil) achando que é a Alemanha”, disse. Segundo ele, foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a CBF de Ricardo Teixeira que insistiram que a Copa teria de ocorrer em todo o país e que as seleções não poderiam jogar apenas em uma região.

Para o futuro, Valcke aponta que a experiência da Fifa no Brasil deve levar a entidade a exigir que as futuras sedes se comprometam de uma forma mais rigorosa às exigências da entidade antes de ganhar o direito de sediar o evento. Em uma conversa com agências internacionais nesta semana em Zurique, ele admitiu que, desta vez no Brasil, os torcedores não poderão nem dormir em seus carros ou em barracas como fizeram em 2006 na Alemanha e nem usar trens para ir de uma sede a outra.

O CEO da Fifa é claro em alertar que, em 2014, quem mais vai sofrer durante a Copa do Mundo no Brasil por conta das distâncias, falta de estrutura, preços altos, insegurança e falta de transportes são os torcedores. ”Eu sei que é difícil falar sem criar uma série de problemas. Mas minha mensagem para os torcedores é de que tenham certeza de que tenham tudo organizado quando cheguem ao Brasil”, disse.

“Não há como dormir na praia, porque é inverno. Garanta sua acomodação. Não há como chegar com um mochila e começar a andar. Não existem trens, não se pode dirigir de uma sede à outra”, alertou.

“Não apareçam no Brasil pensando que é a Alemanha, que é fácil se mover pelo país. Na Alemanha, você poderia dormir no carro. No Brasil não”, disse. ”O maior desafio será para eles (torcedores)”, disse. “Não será para a imprensa, não será para os times e nem dirigentes. Será para os torcedores”, alertou.

Ele admitiu que, em 2009, a Fifa sabia dos limites do Brasil em relação à infra-estrutura de aeroportos. Mas a aposta era de que haveria tempo suficiente para que todas as reformas fossem feitas. “Sabíamos disso. Mas isso era em 2009 e podemos esperar que você tem cinco anos para um país garantir que as estruturas estejam instaladas para entregar o que havia sido acordado”.

Lula – Valcke deixou claro que a decisão de estruturar a Copa da forma que ela vai ocorrer não foi ideia da Fifa. Segundo ele, foi o governo brasileiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Ricardo Teixeira que fizeram questão de insistir com a Fifa de que a Copa teria de ocorrer em doze cidades e que as seleções não poderiam ficar em apenas uma região do País. A Fifa pede apenas oito sedes.

“É verdade que você multiplica os riscos ao ter mais estádios. Mas tivemos uma situação em que tínhamos um governo e um presidente, que naquele momento era Lula, que te explicam que a Copa deve ser para todo o Brasil, e não apenas para poucas cidades”, disse.

Valcke também deixou claro que o pedido para que a Copa se estruturasse dessa forma também veio de Ricardo Teixeira.

O dirigente da Fifa admite que o “lógico” seria dividir os 32 times em quatro grupos regionais, justamente para evitar que tivessem de sair de Manaus e jogar em Porto Alegre, de São Paulo à Recife. “Isso evitaria que eles tivessem de se mover para outras zonas do país”, declarou.

Mas a Fifa acabou sendo obrigada a abandonar a ideia de dividir o país em quatro, justamente por conta da insistência da CBF e do governo de que a seleção brasileira iria percorrer o Brasil em seus jogos.

Segundo Valcke, esse também foi um pedido do Brasil. “Eles não queriam que o Brasil jogasse apenas em uma parte do país”, disse. O problema é que, para o calendário da Copa funcionar, todos então teriam de viajar. Valcke, em 2007, foi pago pela CBF como consultor para ajudar a preparar a candidatura brasileira.

Valcke ainda apontou que a mudança de governo no Brasil no meio da preparação também afetou o andamento do processo. “Encaramos uma eleição geral no Brasil e não foi fácil sair de Luiz Inácio Lula da Silva para uma nova presidente. Sempre leva algum tempo para um novo governo entrar nos assuntos e tivemos também um número elevado de mudanças de ministros”, disse. Um deles, Orlando Silva, acabou caindo por conta de suspeitas de irregularidades.

Futuro – Valcke não escondeu que a experiência no Brasil o leva a pensar que a Fifa, para as futuras Copas, deve adotar uma nova postura e exigir maiores compromissos do país sede. “Deve ser pelo menos parte do processo de candidatura que haja compromisso do país em uma série de pontos”, declarou.

Uma opção, segundo ele, é de que haja uma decisão vinda do Poder Legislativo sobre esses compromissos, e não apenas do presidente no momento da escolha do país. “Não pode ser apenas a decisão do presidente ou de um ministro. Mas deve ser apoiado pelo senado, congresso ou assembleia nacional”, disse. Isso, segundo ele, evitaria “potenciais conflitos”.

Valcke ainda se queixou da imprensa, apontando que ele havia se transformado na pessoa que é sempre citada quando há uma crítica a ser feita. Ele citou um estudo que avaliou que, em 63% dos casos, a imprensa apenas reproduziu comentários negativos que ele teceu sobre a Copa do Mundo.

Jamil Chade – direto da Europa

Estadão



Categorias:COPA 2014

Tags:, , , , , , ,

13 respostas

  1. Apesar do Valcke ser um completo babaca (mas que vai encher os bolsos de grana), não tá mentindo. A infra e a supraestrutura desse país é um lixo. Vamos todos passar vergonha.

    Os políticos tão se lixando pra imagem e repercussão externa, o foco deles é permanecer no poder. E permanecerão. Infelizmente.
    Todas as eleições é a mesma história, falam que vão votar diferente, que vão tentar mudar o país. A colonada continua votando burramente no interior em troca de uma teta na prefeitura ou um rancho; são contra a corrupção federal mas a municipal são os primeiros a fazer. Então, se não conseguem mudar uma cidade de 5 mil habitantes, quem dirá um país de 190 milhões, sendo uma boa parte voto de analfabeto funcional que troca o seu voto por qualquer mixaria.

    Sobre o Valcke, não lembro de terem publicado na copa da França a cartilha de como lidar com os franceses. Já que publicaram uma daqui e o humor dos franceses não é algo tão interessante.

    Vi esse vídeo hoje, e achei muito bom o tapa na cara dado internacionalmente no Brasil.

    Curtir

  2. O Brasil não é a Alemanha. Não possuímos a organização, a estrutura e a eficiência deles. Mas temos um povo hospitaleiro, alegre e tolerante que recebe as pessoas com muito calor humano. A Copa vai ser sim, um sucesso – Milman, Túlio (adaptado). Durma-se com um barulho desses!

    Curtir

  3. Essa proposta saiu no jornal de Gravataí
    http://www.correiogravatai.com.br/_conteudo/2014/05/noticias/regiao/41515-metroplan-quer-implantar-sistema-unico-entre-os-cartoes-do-transporte-publico.html

    Como essa é uma proposta do estado e o estado é daquele partido, a proposta é ruim.

    Curtir

  4. Acho que finalmente vamos nos blindar das promessas e renders eleitoreiros. Se hoje falamos “imagina na copa”, depois que passar a copa, quando aparecer político com um render debaixo do braço falaremos “não fizeram nem para a copa”

    Curtir

  5. Reforçando sugestão lida em outro comentário:

    COMO NUNCA NINGUÉM DIVULGOU ISSO?
    Assistem o video no youtube, sensacional. E votem.

    http://www.metroplan.rs.gov.br/conteudo/1723/?Metroplan_apresenta_sistema_integrado_de_transporte_para_sete_munic%C3%ADpios__e_lança_pesquisa_para_usuário

    (peço desculpas de antemão por sugerir o post aqui, mas não sabia onde sugerir e essa iniciativa DEVE ser divulgada)

    Curtir

  6. Engraçado que foi dito que a nossa seleção deveria passar por todas regiões do país. Mas não vai jogar na região Sul….acho que eles não consideram nossa região como parte do Brasil. Além disso jogam 2 vezes em SP ou em BH…

    Curtir

  7. Vergonha. Lamentável mas a culpa e de todos que elegeram esses idiotas

    Curtir

  8. Bom, é isso aí, o gringo não é burro, esses caras trabalham. Está começando a se blindar mais fortemente da enxurrada de críticas que virão. A diferença dessa inteligência é que, infelizmente e provavelmente, a “culpa” pelo possível vexame não será da FIFA. Já sabemos muito bem de quem é.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: