Câmara rejeita criação de Fundo Cicloviário em Porto Alegre

Projeto previa a destinação de 20% das multas para construção de ciclovias

Projeto previa a destinação de 20% das multas para construção de ciclovias  Crédito: Leonardo Contursi / CMPA / CP

Projeto previa a destinação de 20% das multas para construção de ciclovias
Crédito: Leonardo Contursi / CMPA / CP

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre rejeitou nesta segunda-feira o projeto de criação de um Fundo Cicloviário. O projeto previa que 20% das multas seriam destinadas à construção de ciclovias e promoção de educação no trânsito. A proposta recebeu 17 votos contrários e 11 favoráveis.

O projeto é de autoria do parlamentar Marcelo Sgarbossa (PT) e havia sido aprovado pela Câmara em votação simbólica no dia 14 de abril. No entanto, um requerimento do vereador João Carlos Nedel (PP), solicitando verificação nominal da votação, foi aceito pelo presidente da Câmara. Por isso, foi realizada uma nova votação nesta segunda.

Pela proposta de Sgarbossa, os valores do novo fundo seriam provenientes de doações da iniciativa privada e entidades governamentais, decisões judiciais, contrapartidas e rendimentos e juros de aplicações financeiras dos recursos. O projeto determinava também que o fundo teria no mínimo 20% do valor arrecadado com multas de trânsito.

O objetivo da proposta era fazer com que a implantação e manutenção do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) contasse com recursos financeiros próprios. Além dos valores provenientes de doações da iniciativa privada e entidades governamentais, decisões judiciais, contrapartidas e rendimentos e juros de aplicações financeiras dos recursos.

O autor da proposta lamentou a decisão da Casa. “Foi uma pena o que aconteceu. Depois de um projeto aprovado, se inicia a discussão do projeto seguinte. Mas a Câmara, na sua maioria, acabou rompendo essa regra”, disse Sgarbossa.

Correio do Povo



Categorias:Bicicleta, ciclovias, Fundo cicloviário

Tags:, , , ,

40 respostas

    • Pedalo desde que me conheço por gente e não tenho coragem de andar pelas ruas de Poa, mas vejo pessoas que mal sabem se equilibrar num bicicleta circulando em meio aos carros, só poderia dar merda. A culpa dessas mortes é dos irresponsáveis que querem conquistar um espaço no trânsito na marra, usando pessoas ingênuas como bucha de canhão.

      Curtir

      • Tomara que não seja mais uma vítima desse trânsito maluco. Mesmo não sendo irresponsável por querer pedalar em POA, tem grande chance de se acidentar dentro do carro/moto/a pé.

        Pelos teus comentários, será um dos poucos alienados que ainda não se tocaram que sem educação todos podem sofrer com a consequência (e não somente os “irresponsáveis” que andam de bicicleta).

        Curtir

      • E por acaso o que a administração Fortunatti fez com o dinheiro que iria para a educação no trânsito não são ações “na marra”?

        Para que Julião? Para sustentar CCzada? é isso que estão fazendo. Estão trocando vidas humanas por CCzada!

        Curtir

      • Deixa de ser incoerente. Você diz que as pessoas são ingênuas e mal sabem se equilibrar na bicicleta e que você tem medo do trânsito, mas você é contra os 20% das multas para a educação!

        É esse radicalismo esquizofrênico que resulta nas mortes divulgadas na notícia!

        Curtir

      • Educação não vai resolver o problema dessas pessoas, mas academia, anos de pratica em parques, praças e terrenos abandonados, consulta com um oculista, um otorrinolaringologista, um neurologista e até mesmo um psquiatra.

        Curtir

      • Grande comentário Julião, continue fazer academia, pratique em parques em POA (até mesmo da milhares de voltas nos terrenos abandonados). E ande sempre colocado no meio fio. Assim quando um carro te atropelar vai ser menos um mané sem noção em POA (ou menos um CC).

        Curtir

  1. Se for levado em conta a participação das bicicletas no volume de circulação da cidade, esse fundo deveria ser de 0,001%, mas como incentivo ao modal esse percentual poderia ser ampliado para 0,1%.

    Curtir

  2. Parabéns a maioria dos vereadores que não se curvaram a um grupelho de radicais e suas pautas exóticas, baseada em uma visão de mundo esdrúxula.

    Curtir

    • Por acaso sabe de que trata este projeto ?

      Desde 2009 existe a lei que garante o recurso para educação referente a 20% das multas. Este projeto foi o primeiro a ser protocolado em 2013, para garantir esse recurso, é uma sugestão do próprio MP a criação do fundo para ter o dinheiro separado.

      Amanhã possivelmente vão votar o projeto do Cappelari, este sim que revoga essa lei dos 20% para educação.

      Vamos ver que lado os vereadores estarão (ou do lado do corrupto do Cappelari – que desde 2009 não cumpre a lei – ou dos “radicais” da oposição que acham que somente educação se resolve a barbárie das mortes e acidentes do trânsito de todo o dia).

      Qual o teu lado JULIÂO ?

      Curtir

    • Quero te lembrar que os 20% poderiam ser investidos (nenhum centavo em ciclovias) em educação em vez de “desaparecer” no caixa único. Suponho que isso não te interesse?

      Curtir

      • Campanhas educativas significa melhorar o trânsito sem multas e isso é um sacrilégio à segunda fonte de recursos da prefeitura.

        Curtir

    • A julgar pela popularidade de sua opinião, parece que quem faz parte do “grupelho radical” é você….

      E não se esqueça de que um dos grupos mais prejudicados por essa decisão insensata, que vai contra tudo o que está em andamento no mundo todo em questão de mobilidade urbana, é justamente o dos motoristas que não abrem mão do carro, que irão ver os engarrafamentos crescendo mais e mais.

      Curtir

  3. Olha o que o Cappellari acha disso tudo http://cdn.memegenerator.net/instances/500x/49768991.jpg

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: