Food-Trucks, uma nova ideia chega em Porto Alegre

Existe uma nova tendência mundial chegando em Porto Alegre: os food-trucks. Nome genérico para comércio transitório em vans ou pequenos caminhões, especializados em oferecer comidas diversas na via pública. Seria uma evolução e uma diversificação das towners de cachorro quente, que ofereceriam uma gama maior de alimentos inclusive da linha “gourmet”: carreteiros, risotos, tapiocas, produtos de cafeterias, temakis, massas, sanduíches, crepes, etc.

Mas há um problema: a legislação municipal ainda não prevê esta atividade de forma regular. Seria necessário haver uma previsão desta atividade com a elaboração de novos artigos na lei que ainda é bem restritiva. Mas não tem volta. Terá que se achar uma solução para as food-trucks que já estão prontas para operar na cidade. Inclusive algumas já operam em eventos com a anuência do poder municipal, como é o caso das vans do Caminho do Gol, nos dias de jogos da Copa em Porto Alegre. Já funcionaram nos dias 15 e 18 de junho e ainda operarão em 22, 25 e 30 deste mês.

Aguardemos a modernização da lei para os próximos meses para que a prefeitura possa licenciá-los.

Vale a pena ler esta matéria da Revista Exame sobre o assunto especificamente das food-trucks de São Paulo:  Food truck vira opção de negócio gastronômico em SP

Aqui algumas fotos feitas no Caminho do Gol, no dia 18.

Texto e fotos: Gilberto Simon



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , , , ,

17 respostas

  1. Acho interessante certas reportagens que divulgam uma pseudo novidade, como algo revolucionário, só porque é modinha em Nova Iorque e, lógico, foi copiada pela nossa cidade mais baba ovo de americano (São Paulo).
    Nós já temos este costume, afinal o que são nossos trailers?
    Este movimento não passa de uma tentativa de conferir prestígio a uma alimentação realizada de forma precária, afinal o bom é comer de pé, escutando o barulho dos automóveis ou em um banquinho em um estacionamento (como sugeriu alguém).

    Curtir

    • Tu viu que as fotos aqui do post são na redenção? 😛

      Curtir

      • Não é Redenção não. É no Caminho do Gol, Borges em frente ao Viaduto D. Pedro I, local onde fica normalmente uma feira modelo da Smic.

        E só pra frisar, somente duas delas (Olivia & Palito e o Ligeirin) tem alvará regular. As demais foram licenciadas somente para o evento Caminho do Gol pois o tipo de alimentação que comercializam ainda não está previsto na lei. Ainda dependem da criação de uma lei ou aditivos à lei que regula todo o comércio de ambulantes em Porto Alegre, que é a Lei N.º 10605, de 29 de dezembro de 2008, regulamentada pelo Decreto N.º 17134, de 4 de julho de 2011. Ah, eu sou o chefe do Setor de Licenciamento de Atividades Ambulantes da Smic. Este assunto eu domino. Qualquer dúvida podem perguntar aqui mesmo no Blog.

        Curtir

      • Putz, confundi então. Mas então deixa eu corrigir meu comentário: Alex, tu viu que é no Marinha? Eu não me importo em sentar num parque e comer 🙂

        Curtir

  2. Bah, aquela polenta com carne de panela me chamou a atenção.
    haha

    Poderiam juntar isso com aquele esquema em São Paulo de usar o espaço de estacionamento nas ruas pra por uns bancos e mesas, seria interessante.

    Curtir

  3. Quem sabe a gente começa a chamar camelô de algo em inglês, aí fica chique ter camelôs nas ruas porque agora eles são “street sellers”

    Curtir

  4. Sempre dou risada quando vejo uma coisa que nos vimos o tempo todo ser rebatizada com um nome em inglês e vendida como novidade.

    Em Porto Alegre não há tanto costume de se comer na rua, mas no nordeste por exemplo eles comem até buchada de bode nessas vans.

    Parece aquelas pessoas que chamam cachorro de “meu pet”

    Curtir

  5. Tem um desses em plena atividade no Bom Fim, perto do Zaffari. Quer dizer que existe algum tipo de acordo ou permissão.

    Curtir

    • Esses tem alvará regular. Só dois possuem alvará em Porto Alegre. Este que é o Olivia & Palito. Também o Ligeirin, na Praia de Belas possue alvará. As demais foram autorizadas somente para o evento Caminho do Gol.

      Curtir

  6. So estou confuso sobre qual aspecto isso é uma inovação.

    Curtir

  7. Qual a diferença disso para os trailers de lanche? Ja deve existir a legislação para esse caso.

    Curtir

    • Não existe não Daniel. Trailer é trailer. Lanche é lanche. Van é van. Comida é comida.

      Curtir

      • Podem negativar. Existe lei que regula todo o comércio ambulante. Não queiram saber mais do que as pessoas que trabalham com isso. Enquanto não for criada a lei específica pra eles ou for alterada a lei atual do comércio transitório não será permitido o comércio em veículos pra COMIDA. Pra cachorro quente já tem. E pra xis e similares também somente em treiler.

        Curtir

    • De fato existe uma legislação para comércio ambulante. A diferença entre POA e SP é que aqui é preciso pedir alvará para a prefeitura que, se autorizado, te permite atuar em somente um ponto fixo ou dois pontos dentro do mesmo bairro. Em SP eles derrubaram essa exigência e atualmente é permitido vender em qualquer ponto da cidade.
      O Ligerin Temaki, por exemplo, tem ponto fixo na Praia de Belas e também faz saídas de algumas festas e eventos fechados.

      Curtir

      • Já proveis os Temakis do Ligerin pois trabalho ali no Praia de Belas. Eles ficam quase na frente da Justiça do Trabalho.

        Acho bacana esse tipo de comércio. Bem melhor e mais higiênico do que os ambulantes de rua.

        Curtir

  8. Teve um evento – acho que ainda está tendo – o Pop Up Restaurant que teve vários dias com food truck.
    O ruim pra mim pelo menos é que foi dia de semana e no Parcão, inviável pra atravessar a cidade e almoçar.

    E era uma alternativa aos jantares meio salgadinhos no valor…

    Curtir

  9. Isso é bacana, o Rodrigo Paz (da comida de rua) tem feito seguido.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: