Uma Porto Alegre com a Copa, por Sebastião Melo

As hashtags #naovaitercopa e #imaginanacopa ocuparam as mídias sociais durante um ano. Traduziam um profundo desconforto com a política e com as formas como ela é exercida pelos políticos.

Os resultados positivos, colhidos até aqui na realização do evento, não servem como um passe de mágica, que faz desaparecer esse sentimento, mas sim como a maior prova da capacidade que temos de construir cidades muito mais seguras, organizadas, solidárias e participativas. A rigor, a vocação da política no mundo moderno.

No caso de Porto Alegre, este verdadeiro “Caminho do Gol” foi construído com muita mobilização da administração municipal, integração com as demais esferas de governo e participação voluntária de centenas de porto-alegrenses.

Por meio do Comitê de Serviços Extraordinários da Copa, replicamos para o evento o modelo de gestão municipal, fazendo com que todos os órgãos públicos trocassem informações diariamente, promovessem a integração com as autoridades estaduais e federais, Comitê Organizador da Copa e sociedade civil, sempre com o objetivo de manter um ambiente seguro e hospitaleiro.

Toda essa mobilização, e sobretudo a capacidade demonstrada pelos porto-alegrenses de receberem com hospitalidade milhares de turistas, resultaram numa #portoalegrecomacopa, hashtag que melhor define o espírito de nossa cidade durante os jogos.

A festa dos holandeses no Largo Glênio Peres; a alma argentina na Fan Fest; a boemia australiana na quadra da Banda da Saldanha; as festas de todas as cores das comunidades nas exibições públicas nos bairros Restinga, Bom Jesus, Cruzeiro, Rubem Berta e Lomba do Pinheiro — celebrações somadas à aprovação pela população das obras no entorno do Beira-Rio, do viaduto da Júlio de Castilhos e à qualidade dos serviços prestados pela prefeitura — projetam como maior legado da Copa a constatação de que temos todas as condições não só de receber grandes eventos, mas especialmente de reinventar uma política à altura da nossa história e do nosso povo.

Sebastião Melo
Vice-prefeito de Porto Alegre

Artigo originalmente publicado no jornal Correio do Povo desta quarta-feira, dia 2.



Categorias:Artigos, COPA 2014

Tags:, , ,

16 respostas

  1. Juro que não entendo mais nada…..

    Curtir

  2. Pra quem acha que esses resultados pífios justificam o tamanho da roubalheira, então tá.

    Curtir

  3. Parabéns a todos, à Prefeitura de Porto Alegre, prefeito, vice-prefeito, homens inteligentes e com vontade de trabalhar, só poderia dar certo, continuem nesse ritmo que nós Porto Alegrenses só temos a ganhar. Precisamos da duplicação da Av.Oscar Pereira e Vicente Montégia, sei que já está nos próximos projetos de obras, torcemos para que também aconteça.

    Curtir

  4. A Copa em Porto Alegre deixou um legado de que o Porto Alegrense é carente em perspectiva turística e com isso faltam mais eventos internacionais para ativar a mobilização da administração municipal.
    Espero que não fique tudo para a próxima copa!

    Curtir

  5. A verdade é que se a Copa tivesse sido um fracasso a culpa, sem a menor dúvida, seria dos governos: municipal, estadual e federal. Como deu certo, o mérito não será de nenhum deles. Será do povo, do acaso, da sorte.
    Faz parte da nossa cultura não ver méritos nas outras pessoas mas enchergamos até demais os defeitos. Sabemos criticar e temos soluções para todos os problemas mas dificilmente “damos mão a palmatória” quando nos equivocamos.
    Isso também vale para o Felipão e a seleção. Se perder serão os culpados pelo fracasso e se ganhar será pela fraqueza ou ineficiência das outras equipes.

    C’est la vie!

    Curtir

    • CC detected !

      Curtir

      • Não sou CC, nunca fui e não tenho a menor intenção de ser CC no futuro. Ao invés de desqualificar quem escreve, sugiro que faça o contraponto do que foi escrito, com argumentos válidos.

        Curtir

    • Eu acho que o sucesso até pode ter alguns méritos de decisões acertadas, como o caminho do Gol. Mas as críticas sobre superfaturamento ou obras com projeto inadequados não são diminuídas pelo fato de ter sido um sucesso.

      Curtir

    • Os problemas de infraestrutura e etc foram muitíssimo bem abordados pelo Rafael no comentário mais acima. Eles existem! Mas APESAR deles, a Copa foi um sucesso pela recepção que o gaúcho fez. As deficiências do poder público não sumiram, foram RELEVADAS apenas. Entendeu?

      Curtir

    • A Copa seria um sucesso se não houvesse superfaturamento, se a politicagem não tivesse induzido a construção de elefantes brancos em cidades onde não tem nem torcida ou se ao menos metade das obras de mobilidade prometidas fossem entregues. Como já foi dito aqui, é patético a prefeitura de achar que colocar dezenas de turistas a pé a “Caminho do Gol” é algum tipo de legado para mobilidade urbana da cidade. E depois do rombo causado pela copa mais cara da história, ainda surgem políticos caras de pau tentando convencer que não aconteceu um desastre.

      Curtir

    • Adir, ninguém está tirando o mérito da prefeitura. A segurança funcionou. O Caminhos do Gol foi uma decisão acertada (já que não havia como chegar de maneira eficiente ao estádio utilizando transporte público tal como um metrô ou BRT).

      Mas o grande sucesso foi graças ao quê? Receptividade gaúcha; bares da Cidade Baixa e Moinhos de Vento e Fan Fest (evento DA FIFA!).

      Os australianos e holandeses vieram para fazer festa e conseguiram, Os franceses quiseram conhecer a cidade e se decepcionaram. Disseram que a cidade tem muitos prédios, mas não tem história preservada (tudo bem que comparar qualquer vilarejo da França com POA é covardia). Ou seja, faltou um Cais do Porto reformado, uma orla revitalizada, um centro histórico mais bem cuidado e com mais atrações (bonde elétrico, passeios de barco pela Lagoa dos Patos, uma roda gigante panorâmica, etc).

      Outra coisa, muitos comerciantes e empresas sofreram prejuízos enormes devido aos pontos facultativos, à mudança na rotina da cidade, aos desvios e às ruas trancadas. Isso tudo por que a prefeitura não entregou uma avenida importantíssima para manter a mobilidade durante a copa (a avenida Tronco).

      Portanto, antes da prefeitura sair arrotando sucesso na mídia, deveria verificar a fundo qual o motivo que levou o evento a funcionar dentro de uma padrão aceitável.

      Curtir

  6. Não vai ter copa ainda tem 8% de menções nas redes sociais. Eu não entendo mais isso, se a copa já está quase terminado de quê adianta protestar agora?

    Curtir

  7. A Copa foi um grande sucesso graças, principalmente, a calorosa recepção gaúcha. Os estrangeiros, em clima de festa, deixaram passar o fato de nosso sistema de transporte ser tão complicado e a infraestrutura da cidade ser tão deficiente. Afinal, eles estavam em clima de Copa do Mundo e de férias. Para que se aborrecer com problemas da cidade se eles não viverão aqui?

    Os políticos acham que num “passe de mágica” esqueceremos que as obras do BRT, Viadutos da 3º Perimetral, Avenida Tronco, Cais do Porto, Revitalização da Orla não ficaram prontas e nem há prazo para serem finalizadas. Isso sem contar que a cidade carece de manutenção nas calçadas e parques, carece de projetos para os mirantes de morros, para os bairros mais decadentes e para a forma de ocupar a cidade.

    Colocaram centenas de policiais na cidade durante 15 dias, mas como ficará a partir de agora? Legado de segurança não há! Ter apenas mais câmeras de vigilância sem
    um efetivo policiamento não garante mais segurança.

    Foi muito bom, foi! Foi excelente receber milhares de estrangeiros em nossa cidade. Mas, agora, vamos trabalhar para mudar definitivamente esta cidade para melhor, começando por terminar e entregar com alta qualidade as obras prometidas como legado.

    Curtir

  8. Engraçado como usam o fato da copa não ter sido trágica como justificativa para dizer que foi tudo ótimo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: