Um ano após incêndio do Mercado Público, segunda etapa das obras é iniciada

Parte da estrutura do teto ainda está incompleta | Foto: Juliano Antunes/Sul21

Parte da estrutura do teto ainda está incompleta | Foto: Juliano Antunes/Sul21

Débora Fogliatto

Há um ano, os porto-alegrenses foram pegos de surpresa com uma notícia que entristeceu a cidade. O Mercado Público, um dos locais mais tradicionais da capital gaúcha, estava em chamas. O fogo começou por volta das 20h30min do dia 6 de julho de 2013 e demorou cerca de três horas para ser domado. O incêndio atingiu cerca de 30% da estrutura do prédio histórico, no segundo andar. Por oito meses, os estabelecimentos que foram atingidos ficaram sem funcionar, voltando às atividades em março. Na sexta-feira (4), o vice-prefeito Sebastião Melo (PMDB) e uma comitiva da prefeitura visitaram as obras de restauração, que estão entrando em sua segunda fase.

O teto, que foi destruído com o fogo, recebeu chapas metálicas que já estão em grande parte colocadas. É uma espécie de “subtelhado” que nunca enferruja e garante que não haja problemas caso as telhas caiam. Além disso, a estrutura feita na parte inferior do teto agora é de concreto, ao invés da madeira que existia na época do incêndio. “Eu nunca vi um telhado com esse nível de sofisticação. E está tudo sendo feito impecavelmente dentro do cronograma, agora com a cobertura, passa a ser mais rápido”, disse Luiz Custódio, arquiteto coordenador da Memória Cultural da Secretaria Municipal da Cultura.

SUL 21



Categorias:Incêndios e PPCI, Restaurações | Reformas

Tags:, , , , ,

12 respostas

  1. Na China ele fazem 50x mercado desses completinho em 10 meses.

    Curtir

  2. ate nisso precisam tocar no assunto sobre os motoristas e os CC’s

    hahaha

    Curtir

    • Pensar não custa nada:

      1. Reforma precisa de dinheiro;
      2. Prefeitura recebe dinheiro para a reforma;
      3. CCs consomem dinheiro e não trabalham;
      4. Multas são a segunda receita da prefeitura.
      5. EPTC força as pessoas a andarem pelo corredor e agora estão multando.

      Difícil não é?

      Curtir

  3. Escuta, não houve repasse de verba para essa reforma? Vai ver usaram essa verba para CCs e estão contando com o IPTU no final do ano para terminar a reforma.

    Curtir

    • Ou a verba das multas por trafegar no corredor… foi por isso que a EPTC instruiu os motoristas a usarem o corredor de ônibus. para aplicar multa depois.

      Curtir

  4. O Japão foi atingido por um terremoto e tsunami. Teve cidades inteiras arrasadas , mas poucos meses depois quase tudo já estava em ordem.
    Alguém por favor pode me explicar o porque desta restauração do Mercado Público demorar mais do que a reconstrução de meio país?
    Alguém está ganhando com a demora? Não há interesse dos estabelecimentos retornarem ao segundo piso?

    Curtir

  5. Lamentável essa demora. Vivemos em nossa cidade o maior evento esportivo do Mundo e não nos preparamos decentemente pra isso.

    Curtir

  6. Demora um ano para começar a segunda fase? Essa burocracia faz a política de piada e ninguém se importa. Ninguém se dá conta de que teria seu nome eternizado na História se fizesse uma reforma política decente.

    Curtir

  7. A copa passando e o Mercado semidestruído… Isso eu achei que a prefeitura não teria coragem de fazer.

    Curtir

    • Não teria coragem de fazer o que Pablo? De iniciar a restauração? Nenhum lugar do nundo deixariam de iniciar a recuperação dele por causa de um evento. Só o que faltava. Eu também fiquei muito triste que a cidade ia deixar de exibir o Mercado como devia, mas foi uma fatalidade o incêndio.

      Curtir

      • Não achei que a prefeitura deixaria o mercado sem reforma enquanto “milhões de turistas”, segundo a prefeitura, estão vindo para Porto Alegre.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: