Após meses de atraso, rota do catamarã até a Zona Sul de Porto Alegre deve ser liberada no início de agosto

Caio Venâncio

Previsão de início das atividades pode ainda ser revista| Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Previsão de início das atividades pode ainda ser revista| Foto: Ramiro Furquim/Sul21

A previsão inicial era de que o catamarã estivesse navegando entre o centro de Porto Alegre e o Barra Shopping no Natal de 2013. Não foi possível. A expectativa foi, então, transferida  para os primeiros meses de 2014. O momento chegou, os barcos continuaram sem navegar e o discurso das autoridades foi novamente modificado: durante a Copa do Mundo tudo estaria funcionando. A Copa do Mundo passou por Porto Alegre, mas o terminal hidroviário do Barra Shopping continua sem receber passageiros. Agora, o superintendente da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), Oscar Escher, sinaliza uma nova data para início das viagens: início de agosto.

No entanto, o próprio Oscar não afirma isto com muita convicção, já que a mesma burocracia que adiou tantas vezes o início das atividades pode postergá-lo novamente. Ele explica que a parte que cabia à Metroplan foi concluída, mas o projeto ainda deve ter sua aprovação finalizada pela Marinha. Entre as duas partes, a Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH) media a comunicação, o que Escher considera mais um entrave. “Não estamos acostumados a fazer projetos de hidrovias, é algo novo, diferente dos trâmites para liberar de uma rodovia, por exemplo, com os quais lidamos todos os dias. Agora, dependemos da Marinha e da SPH, que são estruturas mais lerdas”, lamentou.

O píer que a Marinha havia solicitado já foi construído pela Prefeitura. Além desta rota, Escher revela que a Metroplan está desenvolvendo em parceria com a Marinha, SPH, Fepam e municípios da Grande Porto Alegre um plano de uma rede de hidrovias no Rio Guaíba e seus afluentes. Assim, num futuro próximo não seria mais necessário refazer este trâmite a toda vez que se deseja inaugurar uma nova rota de navegação na região. “Desta forma teremos uma Política de Estado, não de Governo, será algo permanente”, ressaltou.

O superintendente já adianta que o valor da passagem para a rota entre o Barra Shopping e o terminal do Centro da cidade deve ficar em torno de cinco reais ou “algo parecido com o preço das lotações”. A alegação é de que os catamarãs foram concebidos como transporte seletivo, com ar-condicionado nas embarcações e sem que ninguém possa viajar de pé, o que aumenta os custos.

A Delegacia da Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul, representante da Marinha em Porto Alegre, foi procurada pela reportagem, mas não se manifestou até o fechamento desta matéria.

SUL 21



Categorias:Catamarã

Tags:, ,

3 respostas

  1. Pais dos PETRALHAS e logicamente da “””BURROCRACIA”””….aja tempo perdido…

    Curtir

  2. Não adianta, tudo aqui é assim.

    Bom saber que eles já estão pensando na região metropolitana.

    Curtir

  3. Tomara que agora saia isso! Mas vão ter que dar uma geral no pier, já está bem danificado. Se quiserem tenho a foto de uma cratera no piso.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: