Daer cogita “licitação tampão” de cinco anos para rodoviária de Porto Alegre

Ana Ávila

Representantes do governo do Estado reuniram-se com o MPC para definir calendário para regularização da Rodoviária de Porto Alegre| Foto: Juliano Antunes

Representantes do governo do Estado reuniram-se com o MPC para definir calendário para regularização da Rodoviária de Porto Alegre| Foto: Juliano Antunes

O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul (Daer/RS) levantou nesta terça-feira (22) a hipótese de elaborar uma “licitação tampão”, de cinco anos, a fim de regularizar a situação da Rodoviária de Porto Alegre. A possibilidade foi aventada pelo secretário da Infraestrutura e Logística, João Victor Domingues, após reunião de mais de uma hora com o procurador-geral do Ministério Público de Contas, Geraldo Da Camino. “Acredito que o caminho mais curto é fazer uma licitação-tampão em Porto Alegre e, posteriormente, elaborar um bom projeto para uma licitação definitiva”, afirmou Domingues.

No início do mês, o Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS), a pedido do Ministério Público de Contas (MPC/RS), deu 180 dias para que o Daer apresente um plano para a licitação da rodoviária de Porto Alegre. De acordo com o órgão, a empresa Veppo, que administra o espaço há mais de 70 anos, está com o contrato irregular. O pedido inicial era para que em 180 dias o Daer apresentasse um novo edital de licitação. O TCE, no entanto, optou por impor para o mesmo período apenas a entrega do plano.

Neste momento, a Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado, a qual o Daer é vinculado, prepara o projeto. “Temos trabalhado intensamente nisso, temos uma consultoria já trabalhando. Em outubro, faremos uma nova reunião com o Ministério Público para discutir as conclusões a que chegamos. Até o final do ano, pretendemos estar com a modelagem pronta”, disse Domingues.

Carlos Eduardo Vieira, diretor-geral do Daer, ressaltou que o processo de licitação das estações rodoviárias também acontece no interior do Estado. “Algumas deram deserta (não houve proponentes interessados). Estamos trabalhando até fechar todas as rodoviárias licitadas para regularizar a situação em que se encontra o sistema”, disse ele.

A antiga legislação permitia que os contratos com as empresas que prestam esse tipo de serviço fossem renovados sem realização de licitação. Em 1994, a lei mudou, mas muitos contratos ainda estavam em vigência. Ao todo, 276 estações rodoviárias no Estado passam pelo mesmo processo atualmente.

SUL 21



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

7 respostas

  1. devemos discutir, nao a licitação dessa rodoviaria, e sim a relocação dessa “coisa” totalmente defasada na sua logistica de transporte e arquitetura. Devemos ter uma nova rodoviaria perto do Aeroporto ou Humaita, junto com o entroncamento da BR116, BR290 (leste e oeste) e BR448, fora do centro de POA!

    Curtir

  2. Eu acho incrível que tudo mais tudo em Porto Alegre é mais difícil que nas demais cidades do Brasil e do mundo. Uma obra para acontecer em POA só se for que ser por iniciativa privada, se tiver dinheiro público tem que ser minimo, quando fazem uma obra tem que ser feito na pechincha total abrindo mão da estética para economizar sempre como foi o caso do viaduto. E porque falo tudo isso, porque com o licitação essa Rodoviária de Porto Alegre é a mais feia, suja, anti-funcional do Sul/Sudeste no país. Qualquer cidadezinha no interior do semi-arido nordestino consegue fazer uma rodoviária com o minimo de conforto para os seus usuarios. Porto Alegre não.!

    Curtir

  3. Essa licitação ta ficando igual ao metro…

    Curtir

  4. Mais uma licitação que não vai dar em nada, alias, como gostam dessa palavra “licitação”. E a Veppo nao vai largar o osso, podem esperar, agora surgiu uma licitação tampão, adivinha quem vai ficar nesses 5 anos????

    Curtir

  5. Não acho ruim… pelo menos pode-se “testar” a licitação por um período mais curto. Acho até melhor do que a licitação do transporte coletivo de PoA que não há nenhuma garantia que será benéfica e durará pelo menos 20 anos.

    Curtir

    • Esta é uma posição ingênua. Num período tão curto a empresa que apresentar proposta pra licitação vai exigir muito mais ou dar em troca muito menos. Isto é, vamos continuar mais 5 anos com uma rodoviária exatamente do jeito que ela está agora. O prazo de 15 ou 20 anos das licitações existe para que o preço seja baixo, dando mais tempo pra retorno do investimento. Com um prazo de 5 anos não vai ter investimento nenhum, apenas manutenção.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: