Está nascendo o Projeto Orla Sul

orla-sul-01Estive conversando com o Arquiteto Marcelo Allet, da Secretaria Municipal de Urbanismo, na semana passada, quando este me colocou a par do Projeto Orla Sul. Este projeto visa desenvolver a orla dos bairros da zona sul da cidade. Este desenvolvimento na verdade é uma revisão e um detalhamento do extenso relatório do GT Orla iniciado em 2000, criado e coordenado inicialmente pela Arq. Ligia Klein Ebbesem e posteriormente pelo Arq. Marcelo.

Este detalhamento do projeto visa criar formas de aproveitar e potencializar nos aspectos sócio-econômicos, especialmente em relação ao turismo, recreação e laser, os bairros da área sul da cidade: Vila Assunção, Tristeza, Ipanema, Espírito Santo, Guarujá, Ponta Grossa, Serraria, Lami e Belém Novo. O estudo, já iniciado, vai contemplar todas as intervenções urbanísticas feitas na orla e sistematizar as carências e as oportunidades destes bairros e de suas áreas de orla assim como os encaminhamentos necessários para um tratamento adequado de forma a criar um plano de políticas públicas para qualificação e desenvolvimento sustentável para a área costeira sul da cidade.

Uma importante característica é que vai ser realizado juntamente com a comunidade via Fórum da Região de Planejamento n. º 6. Pode parecer mais do mesmo, mas sabemos que é fundamental que a sociedade participe da elaboração das diretrizes do desenvolvimento local, e que elas mesmas vão usufruir.

O que mais chama atenção neste estudo é que vai haver uma definição do que é melhor para cada bairro da orla, respeitando suas características originais mas dando um bom salto de qualidade nos equipamentos para utilização da população e dos turistas.

Ipanema

Ipanema. Foto: Ivo Gonçalves

Ipanema. Foto: Ivo Gonçalves / PMPA

Um dos principais módulos do Projeto é o do bairro Ipanema, que prevê um novo pier, multifuncional, mais adequado a todo tipo de transporte fluvial, desenvolvido para ser modelo para outros que surgirão na orla, inclusive com estação hidroviária incorporada.

O Projeto Orla Sul inicialmente foi planejado para iniciar no módulo do bairro Belém Novo, no extremo Sul da cidade. Mas o péssimo pier implantado lá, que está praticamente “naufragando”, foi um dos responsáveis por fazer com que a comunidade percebesse a necessidade de um projeto melhor e mais completo e não simplesmente um pier de 20 metros. Isto é fundamental para que este novo processo de desenvolvimento da orla vá adiante, começando por Ipanema, norteado por diversas iniciativas da comunidade organizada, em especial da  Associação Brasileira de Esportes de Praia – ABEP e da Associação do Turismo Náutico – ATUN.

O Pier de Ipanema dias atrás. Fotos: Luis Reis via Facebook

O Pier de Ipanema dias atrás. Fotos: Luis Reis via Facebook

Este módulo de Ipanema está estruturado em duas fases: a primeira já iniciada pelos integrantes do Grupo de Trabalho n.2 do Fórum da RP6 em outubro de 2013 consiste  em sistematizar e equacionar três fatores condicionantes para viabilização da continuidade dos trabalhos: as condições favoráveis das forças políticas locais, o mapeamento das possibilidades territoriais para implantação de atracadouros na orla sul e a incorporação das iniciativas comunitárias locais.  A segunda fase prevê a participação comunitária irrestrita e consiste na elaboração de um plano local de desenvolvimento que depois de finalizado deverá ser encaminhado à Câmara Municipal para se tornar lei, de modo a ser então gradualmente materializado assumindo a condição de “Política Pública de Qualificação urbanística”.

O novo Pier de Ipanema

Agora, nesta quinta-feira, dia 7, acontece uma reunião para apresentação do estudo preliminar do novo Pier de Ipanema. Todos estão convidados.

Tive o privilégio de ver este estudo do pier e fiquei bastante impressionado e entusiasmado com a possibilidade dele se tornar realidade. Me parece que Porto Alegre daria um grande salto em termos de turismo náutico na zona sul com sua implantação lembrando que ele funcionará como modelo para outros a serem futuramente implantados na orla.

Não tenho o projeto para apresentar aos leitores do Blog, mas garanto que é muito bom. Para se ter uma breve ideia, o pier teria cerca de 170 metros de comprimento Guaíba a dentro, distância essa necessária para se atingir a área do Guaíba com calado para atracação de barcos como o Cisne Branco, por exemplo. O pier prevê também uma estação hidroviária, com bilheteria e sala de embarque além de áreas com cafeterias e para atracação de barcos menores. Seria simplesmente o tão reivindicado amadurecimento de Porto Alegre para este tipo de turismo e um resgate do transporte hidroviário pelo Guaíba.

orla-sul-02

CONVITE

Fórum Comunitário Local – Grupo de Trabalho N.º 2 e Secretaria Municipal de Urbanismo – SMURB

convidam para

APRESENTAÇÃO DO PROJETO ORLA SUL

MÓDULO IPANEMA

DATA: 07/08/2014 – QUINTA-FEIRA

LOCAL: IPANEMA SPORTS – AV. CORONEL MARCOS, 2353

HORÁRIO: 19:30



Categorias:ORLA, Pier de Ipanema, Projeto Orla Sul

Tags:, , ,

29 respostas

  1. Caro Editor:
    Tenho muita curiosidade em saber qual a fonte do blog Porto Imagem que forneceu uma informação tão descabida e despropositada como esta:
    “O Projeto Orla Sul inicialmente foi planejado para iniciar no módulo do bairro Belém Novo, no extremo Sul da cidade. Mas o péssimo pier implantado lá, que está praticamente “naufragando”, foi um dos responsáveis por fazer com que a comunidade percebesse a necessidade de um projeto melhor e mais completo e não simplesmente um pier de 20 metros”.
    Inicialmente, cabe lembrar que o “píer que está praticamente naufragando” foi construído em época muito anterior ao projeto orla sul, que surgiu somente após a articulação da comunidade de Belém Novo, o que provocou a própria concepção do referido projeto, no final de 2011.
    A formalização das iniciativas comunitárias relativas à orla foi iniciada com a solicitação da Região de Planejamento 8 do Plano Diretor, em julho de 2010 e posterior apresentação da revitalização da orla de Belém Novo ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental, em 18.01.2011, culminando com o “Seminário para Revitalização da Orla de Belém Novo”, ocorrido em março de 2012. Após a realização do seminário referido, todas as iniciativas comunitárias esbarraram numa série de negativas como ‘NÃO HÁ VIABILIDADE” e ‘NÃO É POSSÍVEL’, em várias instâncias do governo municipal, com a previsível desmobilização comunitária e com a elaboração pela comunidade de um folder que foi distribuído em diversos fóruns de participação, observando que ‘BELÉM NOVO SÓ RECEBE LIXÃO, MAQUETE E PRESÍDIO’, em alusão ao lixão da Extrema, à primeira e segunda maquetes da orla de Belém Novo e ao centro de atendimento sócio educativo da FASE, que voltou à baila em 2012, após 10 anos de outra tentativa frustrada de implantação na região em 2001.
    Isto posto e de acordo com o escopo do “projeto orla sul”, onde consta a orientação de identificação dos pontos passíveis de receber atracadouro em toda orla sul, objetivo que complementa a diretriz de implantação de marina e atracadouro público na região extremo sul, com o respectivo estudo de identificação dos locais adequados, entendemos que o mapeamento de ditos pontos deva ocorrer imediata e paralelamente ao módulo Ipanema, como uma primeira ação para dar andamento ao projeto de “Revitalização da Orla de Belém Novo’ que está pendente de continuidade.
    Ao invés de dar andamento ao módulo Belém Novo, como é o esperado em um projeto que se pretende sério, a prefeitura optou por desconsiderar o trabalho e dinheiro empenhados no seminário de Belém Novo e nos trabalhos já realizados na região e jogar suas fichas no módulo Ipanema que, saliente-se, carece de trâmites formais no Conselho do Plano Diretor.
    Como conselheira do Plano Diretor da região extremo sul e articuladora, juntamente com a comunidade, do seminário de revitalização da orla de Belém Novo, quero ratificar que a região extremo sul está profundamente constrangida com a desimportância às iniciativas e participação comunitárias.
    E mais do que constrangimento, estamos assistindo a um enorme descaso que, impotente e distraidamente, percebemos que sequer há qualquer possibilidade de argumentação e de uma gestão integrada, como no samba de Chico Buarque “dormia, a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações”.

    Curtir

  2. Quanto tempo até um grupo de ecochatos inúteis quererem barrar o projeto?

    Curtir

  3. AMANHÃ REUNIÃO DO GRUPO CONTRA TUDO …KKK OUTRA COISA O FORTUNATI FALOU NO TWITTER SOBRE JOGOS PANAMERICANOS EM PORTO ALEGRE…BAITA NOTICIA

    Curtir

  4. O mais importante de tudo e nao esquecer que existem pessoas comprometidas com a qualidade de vida da orla e que sao incansaveis batalhadores para que alguma coisa boa aconteca. Pessoas como o Marcelo Allet que se preocupa e vai atras do sonho de ver a orla mais qualificada! Concordo com a Giulia, mas tendo um projto podemos lutar para que ele aconteca!!!!!

    Curtir

  5. Esse projeto seria o mais complexo e difícil de ser executado pois na zona sul existem diversas propriedades privadas na orla. Creio que a maior parte da orla naquela região é provada.

    Curtir

  6. Mais um projeto. Ficamos muito bons em fazer projetos, precisamos aprender a colocar em prática 😉

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: