Porto Alegre vislumbra candidatura para os Jogos Pan-Americanos

Prefeito revelou contato sinalizando ambiente favorável para escolher a Capital em 2023

Prefeito revelou contato sinalizando ambiente favorável para escolher a Capital em 2023  Crédito: Paulo Nunes/CP Memória

Prefeito revelou contato sinalizando ambiente favorável para escolher a Capital em 2023
Crédito: Paulo Nunes/CP Memória

Porto Alegre em mais um grande evento, sede do Jogos Pan-Americanos. A possibilidade nasceu nesta quinta-feira, quando o prefeito José Fortunati revelou no Twitter ter sido sondado para a realização do evento graças ao sucesso da organização da Copa do Mundo. O prefeito relatou ter sido contatado por um representante da Organização Deportiva Pan-Americana (Odepa), entidade que supervisiona a realização dos Jogos e escolhe as sedes. A pessoa, cujo nome não foi divulgado, queria saber se a Capital iria se candidatar a receber a competição.

O chefe do Executivo municipal respondeu que não havia planejado isso. Ouviu, então, uma sugestão de que o fizesse, pois agradaria a cúpula da instituição, tamanha a repercussão positiva do desempenho portoalegrense no Mundial. O prefeito apressou-se a enfatizar que não é nada oficial ou definitivo. Mas, diante do incentivo vindo do México, afirma: “Vamos nos preparar para possivelmente nos candidatarmos”. As próximas duas edições já têm sede definida: Toronto, em 2015, e Lima, em 2019. A próxima data livre, portanto, é a de 2023.

A preparação à qual Fortunati se refere inclui tudo, a começar por conhecer as exigências da Odepa para as cidades-sede. Só o custo de inscrição da candidatura é de US$ 50 mil (cerca de R$ 115 mil). Locais de competição, infraestrutura, centro de imprensa, tudo é diferente do que a Fifa demanda. Em 2007, quando sediou o Pan, o Rio pleiteava a realização da Olimpíada. O custo final teria sido de R$ 3,5 bilhões, quase 10 vezes mais que os R$ 390 milhões planejados. Por isso, o prefeito Eduardo Paes agora faz questão de definir a próxima Olimpíada como os “Jogos do legado”, em que não haverá nenhum “elefante branco”. Guadalajara-2011, que não tinha ambições olímpicas, teve um custo menor, mas ainda alto: cerca de R$ 2,27 bilhões.

Correio do Povo



Categorias:Eventos

Tags:, , , ,

34 respostas

  1. Adriano o parque Marinha NUNCA teve “velodromo”!!! Poa só teve velodromo no final do século XIX onde hoje se localiza a faculdade de Arquitetura da UFRGS!!

    Curtir

  2. Acho estranho quando as pessoas falam: “não, com esse dinheiro poderíamos resolver nossos problemas”, achando que só “europeu” pode deveria sediar jogos.

    Esses países também têm problemas pra resolver! A Europa envelhecida busca soluções pra previdência, os EUA têm problema de mobilidade urbana, entre outros, e nem por isso recusam estes eventos.

    Curtir

  3. Tomara que de certo, estou torcendo pra isso, pena que faltam 9 anos ainda. Mas obvio, vão começar os contra a se manifestar, só esperar!!!

    Curtir

  4. Quero ir na abertura, começam quando as vendas dos ingressos??? 😛

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: