Transporte público de Porto Alegre perdeu 2,5 milhões de usuários mensais em dez anos

Em contrapartida, a Capital ganhou mais 200 mil carros no mesmo período

Faixa exclusiva na Avenida Brasil permitiu aos ônibus aumentarem em cinco vezes a velocidade  Crédito: Anselmo Cunha / PMPA / CP

Faixa exclusiva na Avenida Brasil permitiu aos ônibus aumentarem em cinco vezes a velocidade
Crédito: Anselmo Cunha / PMPA / CP

Há uma década, a Capital dos gaúchos tinha mensalmente 2,5 milhões de usuários a mais do que hoje. Nos últimos sete anos 200 mil carros a mais foram emplacados em Porto Alegre. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), que em 2011 implantou a segunda passagem gratuita, passou agora a apostar nas faixas exclusivas para ônibus a fim de privilegiar o transporte público, mesmo que isso faça os congestionamentos de carros aumentarem.

No ano de 2004 a média mensal de usuários do transporte público da Capital era de 27,5 milhões. O total caiu para 25,6 milhões em 2007. Em 2011, ano da implantação gratuidade na segunda passagem, chegou a 27 milhões. A média do ano passado ficou em 26,8 milhões. Os dados são da EPTC. A média parcial de 2014, conforme o sindicato das empresas de ônibus é de 25,1 milhões, quase 2,5 milhões a menos que no início da década passada.

Nesse período a população de Porto Alegre cresceu pouco, passando de 1.416.363 habitantes para 1.467.816. Ainda assim, são quase 60 mil habitantes a mais, segundo estimativas populacionais do IBGE.

Dados do Detran confirmaram que o aumento do número de carros foi bem maior. Os números disponibilizados são a partir de 2007, quando a Capital tinha frota de 591.598 veículos. Hoje são 792.854, ou seja, 200 mil carros a mais nas ruas.

Faixa exclusiva na av. Brasil permitiu aos ônibus aumentarem em cinco vezes a velocidade

De acordo com o diretor-presidente da EPTC, os resultados das primeiras avaliações do uso do corredor exclusivo para ônibus estão acima da expectativa. Na avenida Brasil, onde a faixa começou a operar na segunda-feira, os coletivos que percorriam o trecho a uma velocidade média de 4,5km/h em horário de pico, passaram a trafegar a 25km/h, comemorou.

Caso se mantenha a expectativa, o tempo de viagem dos veículos de transporte coletivo deve ser reduzido em mais do que os 12 minutos esperados, disse. “A tendência é que a gente possa resgatar passageiros… que o suário do transporte tenha tempo adequado, viagens rápidas para que ele possa novamente ser atraído pelo transporte coletivo”, comentou.

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, onibus

Tags:, , ,

7 respostas

  1. Com a qualidade dos nosso sistema de transporte publico..
    hahah

    Mesmo com todos os ônibus do mundo indo para o centro, a maioria das pessoas que conheço preferem não ir pra la, só para não pegar bus, ou, pagar caro pelo estacionamento.

    Curtir

  2. Nunca me conformei com a falta de visão empresarial das empresas de ônibus. Como não percebem que, na medida em que oferecem serviços ruins, perdem passageiros e consequentemente diminuem seus lucros??

    Curtir

  3. Querem o que ? Com o calor fora de época e todos bus com ar funcionando desligados ?

    Curtir

  4. Não será porque o transporte coletivo, apesar de ser responsável por cerca de 50% dos deslocamentos recebe apenas 20% dos investimentos?

    E tem gente aqui no blog que diz que “tem que investir em tudo”…

    Curtir

  5. Vale lembrar que a queda de uso do transporte público não é só pelo fato dele não ter se atualizado, mas também pelo fato de ser mais fácil comprar carro nos últimos anos.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: