Estação do BikePoa é remanejada para o Jockey Club

A estação do BikePoa que ficava situada na Praça da Matriz, Centro Histórico, foi deslocada para as proximidades do Jockey Club, na avenida Diário de Notícias, e já está em funcionamento. A mudança de local aconteceu após uma solicitação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

O sistema de bicicletas compartilhadas BikePoa conta com 40 estações e 400 bicicletas. É possível ver os locais das estações e saber mais informações no site http://www.mobilicidade.com.br/bikepoa.asp ou no fone (51) 4003.6052.

bikepoaPrefeitura de Porto Alegre



Categorias:Aluguel de biciletas, Bicicleta

Tags:, ,

14 respostas

  1. Não dá p/entender, francamente!!! Qual seria a justificativa???

    Curtir

  2. Se é um lugar histórico, importante e turístico, entao porque nao dao um jeto naquele monte de mendigos, q sujam, empesteiam e depredam a praça? As bicicletas podem sair, os mendigos não? Isso está de acordo com o patrimonio historico?

    Curtir

  3. Sinceramente, nunca achei uma agressão a estação de bicicletas lá.

    Mas, se aquele é um lugar histórico ou importante ou turístico, então há algo que estraga o lugar. lago ridículo. O que o IPHAN deve retirar de lá é a pracinha colorida ridícula, que nunca deveria estar numa praça importante como aquela (e como a praça da Alfândega e a da “Mesbla”)

    o caso da Praça da Alfândega é muito ilustrativo. Comparem ela com as praças do centro de Curitiba ou com aquela praça de Belo Horizonte, e vejam o quão TOSCA e ridícula ficou a Alfândega.

    Em relação a praça da matriz: IPHAN, vocês não enxergam aquela pracinha horrorosa ?

    Curtir

    • O problema desses órgãos de patrimônio histórico ao meu ver é dar pouca importância para mobilidade. Como falaram acima, não deixam botar piso tátil por causa das preciosas pedras portuguesas.

      Nós ciclistas temos essa nova agora, e já teve aquela da churrasqueira da Ipiranga.

      Curtir

      • Aquele piso tátil é a coisa mais horrível esteticamente, além de ser uma droga andar em cima daquilo. Na prática divide a calçada em duas. Atrapalha 99,9% das pessoas para ajudar 0,1%. Acho que há outros meios de os cegos andarem na rua sem aquilo, até hoje o mundo não preciso disso.

        Curtir

      • Uau, realmente eu, pessoa sem problemas de acessibilidade, me sinto muito mal pisando naquelas bolhinhas. Quem tem limitações de visão que se vire.

        “acho que há outros meios” – essa é a definição de vomitar opinião.

        Curtir

  4. Por que não colocam na rua das motos que tem ali do lado?

    Curtir

  5. Ideia estupida essa de mover o bicicletario em um dos pontos de maior demanda da cidade para um local novo totalmente as avessas

    Curtir

  6. O mesmo intituto que impediu melhorias significativas no piso da Praça da Alfândega (tanto para pedestres quanto para bicicletas) e nos deixou presos no inferno que são aquelas pedras portuguesas desniveladas. Falta alguém que entenda de mobilidade por lá.

    Curtir

  7. Sem falar que não entendi o critério. Não seria uma mover da Praça da Matriz para sei lá, o outro lado da rua ou uma das ruas próximas (como a Riachuelo)?

    Curtir

    • Não faz nenhum sentido mesmo! Ainda mais em uma região que tem estações no Barra, Beira-Rio e se não me engano uma na Chui…

      Deveriam ter movido pra esquina democrática, Caldas Junior ou pro Iguatemi ate, criando a rota Encol>Iguatemi.

      Curtir

  8. O Iphan mandou tirar? Que absurdo!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: